Capa da Publicação

Paul Thomas Anderson sai em defesa dos filmes de super-heróis!

Por Gus Fiaux

Paul Thomas Anderson é diretor de vários cultuados e brilhantes filmes. Suas produções conseguem mandar bem nas bilheterias, mas ele está longe de ser um diretor de blockbusters multibilionários. Suas produções geralmente são menores e focadas em outro público. Exemplos de filmes seus são os aclamados Magnolia, Boogie Nights, Sangue Negro e o recente – e indicado ao Oscar – Vício Inerente. Entretanto, mesmo atuando em um ramo que, geralmente, fica eclipsado pelos filmes de heróis e de ação, Paul Thomas Anderson não mede esforços em defender o gênero.

Quando a famosa revista Rolling Stone perguntou ao diretor sobre o que ele achava do “estado do cinema atual” e das frequentes reclamações de que o cinema hollywoodiano não passava de filmes de heróis, eis o que Anderson disse

“Ah, isso é uma p*rra de m*rda. Eu não consigo me lembrar de um ano na memória recente em que havia menos reclamação sobre a qualidade dos filmes. E o que há de errado com os filmes de super-heróis, sabe? Eu não sei. Você está falando com alguém que gosta desse tipo de filme. As pessoas precisam arranjar uma vida se vão entrar nessa discussão! [Risos] Esses filmes ganharam uma reputação injusta.”

Paul+Thomas+Anderson+56th+San+Sebastian+Film+iuA6CfXRwGEx

O diretor fez bem em dar sua opinião em um assunto que a maioria dos seus colegas de ramo mais independente, ou ignoram ou condenam. E o que acham? Será que essa “saturação de filmes de heróis” é tão prejudicial para o cinema assim? Pessoalmente, acho que é um fenômeno da época, e que será tão bem aproveitado pelo público como os faroestes dos anos 50 ou os filmes de ficção científica espacial dos anos 70/80. E o que vocês acham?

Fonte: Playlist

Imagem de perfil
sobre o autor Gus Fiaux

Formado em Cinema e Audiovisual pela UFPE. Crítico, roteirista e mago nas horas vagas. Wouldst thou like to live deliciously? || @gus_fiaux