Capa da Publicação

Produtor fala sobre o tom sombrio e violento da série do Demolidor!

Por Gus Fiaux

Em uma longa entrevista, DeKnight, famoso por seu trabalho como showrunner de Spartacus, falou um pouco sobre trazer o Homem sem Medo para as telas do Netflix em 2015. Recentemente, foi dito que a série seria bem mais sombria e madura que os outros seriados da Marvel pelo canal ABC (Agents of SHIELD e Agent Carter), e Steven foi rápido em responder sobre o que os fãs devem esperar da nova adaptação do personagem:

“Com essa versão do Demolidor, queríamos que fosse mais pé-no-chão, sombrio, o mais realístico que pudéssemos representar. Isso naturalmente se encaixa no personagem. Matt Murdock é um personagem que poderia muito bem apanhar feio. Isso faz dele um grande personagem. Ele não tem super-força. Ele não é invulnerável. Em todos os aspectos, ele é apenas um homem que encara seus limites. Apenas tem sentidos melhores que os humanos normais. Ele é humano. Algo que realmente me interessa no personagem é o fato dele ser um dos heróis mais moralmente neutros.”

“Ele é um advogado de dia, e fez seu juramento. Mas todas as noites ele quebra esse juramento, sai e faz coisas bem violentas. Uma imagem que vive em minha mente é uma de Elektra, da época de Frank Miller, onde ele segura o Mercenário pelas mãos na beira de um prédio e o deixa cair para que não possa matar mais ninguém. Quando eu li isso da primeira vez, quando eu era jovem, eu nunca tinha visto nada parecido nos quadrinhos. O Superman pegava os bandidos e os jogava na prisão. Dessa vez o herói não tinha feito isso. Foi uma área neutra que eu achei fascinante. Há dois lados do seu personagem. Ele está literalmente a um dia ruim de virar o Justiceiro! Frank Castle só foi um pouco além do que ele já foi. O Demolidor não tem escrúpulos quando o assunto é bater em alguém. Ele não irá prender os bandidos com teia. Ele chegará perto de matar. E essa é a linha tênue – Por que ele não termina o serviço? Eu realmente gosto de heróis falhos. De heróis humanos.”

O assunto então chegou a outros temas, como seu papel de showrunner e o quanto ele interage com os membros da equipe técnica: “Normalmente eu falo com o diretor se acho que algo está meio estranho. Em Demolidor, temos um diretor de fotografia fenomenal, Matt Loyd. Ele foi apenas o cara com uma indicação ao Emmy por Fargo, então normalmente tenho pouco a dizer. Apenas um ‘Isso foi fantástico!'”

A série é feita pelo Netflix e isso dá uma liberdade maior que outras emissoras, como a ABC. Então, sobre o envolvimento do grupo e como isso direcionou a série, DeKnight disse: “Netflix tem sido fantástica. Eles dão grande apoio à equipe criativa. Quanta liberdade eu terei? Esse é um cenário diferente, pois é uma propriedade da Marvel. A partir do momento que se tem algo assim, há restrições que você deve aceitar. Estou de bem com isso, entendo totalmente. Levarei o mais longe que puder, claro. Mas também respeito o fato que o personagem existe há décadas. Em geral, estou bem surpreso com o quanto todos estão dispostos a ver nossa nova versão e apoiar o projeto.”

Sobre o futuro da série, ele ainda disse: “Eu honestamente não tenho ideia. Isto está longe demais do meu pagamento atual. Ainda mais complicado é o fato que o Demolidor é parte de algo maior – Jessica Jones, Luke Cage, Punho de Ferro e Os Defensores. Como tudo isso se encaixa e se haverá ou não uma segunda temporada – e como isso se desdobra sobre as outras – são questões que ninguém ainda sabe as respostas. Eu posso dizer que estivemos falando sobre coisas tão boas para uma possível segunda temporada que, meu deus, nem posso dar pistas! É algo que seria maravilhoso de trabalhar.”

Fonte: Paste Magazine

Imagem de perfil
sobre o autor Gus Fiaux

Formado em Cinema e Audiovisual pela UFPE. Crítico, roteirista e mago nas horas vagas. Wouldst thou like to live deliciously? || @gus_fiaux