Capa da Publicação

Lucas Till fala o retorno de Havok em X-Men: Dias de um Futuro Esquecido

·
Por Fernando Maidana

Sobre trabalhar com Bryan Singer:

Fizemos cenas dentro e fora. Fizemos muitas gravações na segunda unidade. Não consegui passar muito tempo com Bryan, mas amei trabalhar com ele. Ele reinventou a maneira de atuar. Gostaria de ter atuado assim no último filme, mas havia tanta coisa em oposição que você só se preocupava em concluir seu trabalho e receber seu salário. É ruim trabalhar desse jeito. Nesse filme eles me deram liberdade, o que é legal, já que sou um fã de X-Men.

Sobre a pesquisa de Dias de um Futuro Esquecido:

Em Primeira Classe havia um cara cujo trabalho era apenas fornecer HQ’s para o elenco. Ele me deu mais de mil páginas só sobre Havok. Foi a partir disto que fiz a maioria de minhas pesquisas. Desde então não parei mais de ler quadrinhos, não tanto quanto deveria. Tenho feito muitas viagens, mas agora que tenho tempo vou sentar e ler muito mais sobre Havok e outros de meus personagens favoritos.

Se ele vai trabalhar com o núcleo de elenco do “futuro”:

Eu não posso dizer nada. Mesmo se pudesse não falaria.

Sobre como ele vê o caráter de Havok no filme:

Ele é muito ambíguo. Sua ambiguidade substitui sua responsabilidade. Ele não consegue controlar seu poder e por isso não consegue ficar do lado dos “bonzinhos”. Ele não quer machucar ninguém, não é um cara mal. Havok tem um bom coração, mas não consegue jogar em equipe.

Se Havok lutará na Guerra do Vietnã pelo Exército Americano:

Bom, a história se passa na mesma época em que a guerra aconteceu… vou deixar sua imaginação trabalhar.

Se o filme introduzirá Ciclope:

Preste atenção e descubra.

Fonte: iamROGUE

Imagem de perfil
sobre o autor Fernando Maidana

Boa piada. Todos riem. Rufam os tambores. Cortinas se fecham.