Os 10 melhores quadrinhos de heroínas da Marvel e da DC na atualidade!

Capa da Publicação

Os 10 melhores quadrinhos de heroínas da Marvel e da DC na atualidade!

Por Gus Fiaux

A ideia é selecionar quadrinhos recentes que tenham tratado as mulheres da forma mais natural e poderosa possível. Sem sexualização exagerada e tratando das personagens com profundidade e importância dentro de seus respectivos universos. Para isso, selecionamos as duas fases atuais de cada editora, a All-New, All-Different Marvel e a DC YOU. 

Sugestão da fã crishelena4, em nosso Snapchat, legiaodosherois. Não deixe de mandar suas sugestões também!

Imagem de capa do item

Mulher-Aranha

Desde antes da Nova e Diferente Marvel, Jessica Drew vinha tendo um papel bem interessante nos quadrinhos da editora. Dona de sua própria revista, ela teve seu uniforme alterado para dar lugar a um traje mais casual e utilitário.

Seu quadrinho dentro da nova fase da Marvel é bem interessante por contar com a heroína em sua vida civil enquanto lida com uma misteriosa gravidez. E ainda assim, ela não deixa de combater o crime.

Imagem de capa do item

Estelar

Depois de uma extensa e criticada fase dentro dos Novos Titãs, onde basicamente era o brinquedinho sexual da equipe, a Estelar agora possui sua própria revista, puxada para um lado mais bem-humorado e representando as dificuldades da princesa alienígena de se adaptar na Terra.

Escrita por Amanda Conner e Jimmy Palmiotti, que já tinham feito sucesso no título da Arlequina, essa revista lida com uma doçura interna da personagem e até mesmo sua própria sexualidade e como ela aflora. Porém, o foco não é admirar as curvas dela, e sim a heroína que ela representa.

Imagem de capa do item

Feiticeira Escarlate

Depois do sucesso de Vingadores: Era de Ultron, era aparente que Wanda Maximoff teria mais destaque nos quadrinhos. E isso veio na forma da surpreendente Scarlet Witch de James Robinson, onde somos reapresentados à personagem que caminha ao redor de suas origens, com participação presente de outro forte ícone feminino: Agatha Harkness.

A série, um verdadeiro projeto artístico de Robinson - que convida um artista diferente para ilustrar cada edição -, mergulha em todo a arco místico de Wanda, e a coloca para enfrentar um problema muito maior do que ela mesma espera.

Imagem de capa do item

Canário Negro

A Canário Negro era uma personagem que andava em constante desuso no Universo DC dos quadrinhos. Porém, com a estreia de sua revista, ela não apenas retorna, mas o faz em grande estilo. Líder de uma banda, a heroína precisa lidar com um caso que ela pensa afetar a Canário Negro, quando na verdade, tem a ver com seu alter-ego civil.

A história é bem diferente de tudo que se vende com o selo de super-heróis atualmente, mais preocupada em desenvolver a personalidade de seus personagens do que apenas mostrar ação desenfreada. E isso funciona perfeitamente com a heroína e sua banda.

Imagem de capa do item

A poderosa Thor

Há algum tempo, o filho de Odin perdeu sua dignidade, e, consequentemente, seu martelo encantado. Com isso, uma nova heroína misteriosa assumiu seu lugar como a nova Thor, empunhando o Mjölnir e encarregando-se de salvar o universo como seu antecessor.

Na revista escrita por Jason Aaron e com bela arte de Russell Dauterman, a Thor brilha como alguém encarando preconceito de asgardianos e terrestres, enquanto luta para provar seu valor como a Deusa do Trovão... e isso tudo enfrentando uma grave doença degenerativa.

Imagem de capa do item

A-Force

Um derivado direto das Guerras Secretas da Marvel, A-Force, escrita pela magnífica G. Willow Wilson, conta com o foco em Singularidade, uma personagem surgida na última mega-saga, e que desperta em um mundo novo e inesperado.

A saga é muito interessante por mostrar um verdadeiro grupo de heroínas, todas unidas e que dependem apenas de si próprias. Além disso, o traço de Jorge Molina sabe lidar muito bem com as personagens e colocá-las em ação ou em momentos bem dramáticos.

Imagem de capa do item

Batgirl

A Batgirl sempre foi a face da modernidade. Barbara Gordon sempre foi um elo mais direto com os fãs mais novos, e isso sempre foi interessantíssimo na "irmã caçula" da Bat-família. Na série de Gail Simone, a personagem é reinventada para nossa era, o que torna sua importância e identificação muito maiores.

Ela se torna a face do heroísmo em plena era digital. Uma heroína adolescente cheia de criatividade e com uma personalidade bem forte e imponente, a ser seguida por várias leitoras mirins.

Imagem de capa do item

Capitã Marvel

Uma personagem que tem ganhado considerável destaque na Marvel em pouco tempo é Carol Danvers, a ex-Miss e atual Capitã Marvel. Com diversas séries de quadrinhos com ideais feministas e forte empoderamento das mulheres, ela se tornou um ícone importante.

Em seu novo quadrinho, temos uma elevação de suas histórias como elas foram contadas durante toda a Nova Marvel. Porém, agora ela é "apenas" a linha de frente de defesa da Terra contra invasões alienígenas.

Imagem de capa do item

Mulher-Maravilha

Qualquer lista com melhores títulos de super-heroínas não pode ser levado a sério se não tiver sequer uma menção honrosa à Mulher-Maravilha. A personagem está em uma nova fase na DC YOU, e suas histórias andam bem.

Com um novo uniforme, a personagem agora encontra a amada pelos fãs Donna Troy, mas não deixa de lutar pela justiça, paz e verdade.

Imagem de capa do item

Ms. Marvel

Kamala Khan pode ser uma personagem recente, mas ela tomou de jeito o coração de grande parte dos fãs da Marvel. É raro encontrar alguém que não goste ou ao menos se sensibilize pela história da menina muçulmana.

Imagem de perfil
Gus Fiaux

Formado em Cinema e Audiovisual pela UFPE. Crítico, roteirista e mago nas horas vagas. Demon to some... angel to others (ele/dele) || @gus_fiaux