Capa da Publicação

Os 10 melhores finais de temporadas das séries de super-heróis!

Por Gus Fiaux

Atenção: Alerta de Spoilers!

Os super-heróis estão dominando tudo! Além dos cinemas, que carregam dezenas de filmes heroicos todos os anos, os personagens da Marvel e da DC Comics estão amplamente difundidos na televisão, com cerca de dez a quinze séries baseadas em quadrinhos sendo exibidas anualmente.

E uma coisa que todo fã gosta é um bom final de temporada. São justamente esses momentos que provam a qualidade de uma série, e se ela conseguiu amarrar todas as pontas soltas deixadas ao longo de seu ano de exibição. Unindo o útil ao agradável, aqui estão os 10 melhores finais de temporadas das séries live-action de super-heróis!

Esta lista foi uma sugestão do fã Arthur Fontes, através do nosso e-mail. Não deixe de mandar suas sugestões e ideias de temas para o nosso Instagram!

Créditos: Divulgação

Imagem de capa do item

The Gifted (1ª Temporada)

A segunda série situada no Universo dos X-Men foi um tremendo sucesso no ano passado, e conseguiu concluir sua temporada de forma excelente, ainda no começo deste ano. Claro que estamos falando de The Gifted, que introduziu um grupo de resistência mutante contra as Soluções Sentinelas, e que focava-se na sobrevivência de uma família em meio a esse caos.

No final da temporada de estreia, vemos a equipe de heróis se fragmentar, especialmente depois que Polaris descobre sobre seu pai e as Trigêmeas Cuco entram em ação. Assim, cria-se o grupo dissidente que se junta ao Clube do Inferno, e então já estabelecemos como será a nova era da série: mutante contra mutante!

Imagem de capa do item

Legends of Tomorrow (3ª Temporada)

Quando começou a ser exibida, Legends of Tomorrow foi duramente criticada pelo público, por parecer apenas uma reunião dos personagens excluídos de outras séries. Com o tempo, ela aprendeu a criar uma fanbase fiel ao trazer histórias mais divertidas e que não se levavam a sério, usando a viagem no tempo como pano de fundo.

O final da terceira temporada é a coroação final de tudo isso, já que ele explora uma vastidão de temas absurdos, da forma mais divertida possível. Temos uma aventura no Velho Oeste, vemos as Lendas reencontrando o Jonah Hex e o Constantine, e também temos a luta entre o demônio Mallus contra o colossal... Beebo!

Imagem de capa do item

Fugitivos (1ª Temporada)

Por mais que não tenha sido tão divulgada quanto outras séries de super-heróis populares do ano passado, Fugitivos veio para trazer à tona a equipe criada por Brian K. Vaughan e Adrian Alphona para a Marvel Comics. Porém, os fãs ficaram confusos com uma coisa: ao longo de toda a temporada, os heróis não fugiram...

E é claro que a season finale veio para mostrar isso. Aqui, vimos os jovens finalmente se rebelando contra o ORGULHO, a equipe de vilões composta pelos seus próprios pais. Assim, a temporada termina com eles finalmente se tornando os Fugitivos. Ao mesmo tempo, agora seus pais se voltam contra Jonah, o que deve criar algo intenso para a trama da próxima temporada.

Imagem de capa do item

Agentes da S.H.I.E.L.D. (2ª Temporada)

Agentes da S.H.I.E.L.D. pouco a pouco se estabeleceu como uma das melhores séries de super-heróis da TV atual, e cada temporada merecia um lugar nesta lista, por seus finais cada vez mais desoladores e impactantes. Mas dois são os melhores, sem comparações. E o primeiro deles é o da segunda temporada.

O segundo ano já tinha melhorado bastante a série, introduzindo mais história para a S.H.I.E.L.D., e os próprios Inumanos. A temporada se conclui com a grande guerra entre a mãe de Tremor e a organização, ao mesmo tempo em que Ward mostra suas garras para a Harpia. Ah, e não podemos esquecer do choque que foi ver Simmons "engolida" por um Monólito.

Imagem de capa do item

The Flash (2ª Temporada)

Embora a segunda temporada de The Flash não tenha sido tão querida quanto seu ano de estreia, há de se concordar que seu final foi o melhor já estabelecido na história da série, por trazer o último confronto entre o Velocista Escarlate e seu poderoso e diabólico inimigo, o Zoom. Aqui, os dois travaram uma corrida até a morte.

Mas o conflito foi o de menos, já que o que realmente deixou os fãs maravilhados foi a conclusão, com Barry Allen percebendo seu papel junto da Força de Aceleração, e voltando ao tempo para impedir o Flash-Reverso de matar sua mãe. Uma pena que a trama do Ponto de Ignição tenha sido tão desperdiçada na terceira temporada da série.

Imagem de capa do item

Jessica Jones (1ª Temporada)

Jessica Jones se configura como uma das mais importantes séries "de super-heróis" da atualidade, embora sua protagonista não queira, de forma alguma, o rótulo de heroína. A primeira temporada se propôs a discutir uma série de questões muito importantes, como abuso psicológico, estupro e alienação.

O final, no entanto, não poderia ser diferente: agora, ciente de sua imunidade aos poderes de Kilgrave, Jessica parte para enfrentar seu odiado inimigo, e acaba o matando de uma vez por todas. É um final muito condizente com a proposta da série e a personalidade da personagem. E, principalmente, é a libertação de Jessica Jones.

Imagem de capa do item

Arrow (5ª Temporada)

Todos os fãs concordam que a quinta temporada de Arrow veio para salvar a série da desgraça depois de duas temporadas insuportáveis. Aqui, o Arqueiro Verde e seus aliados finalmente voltaram às origens, e passaram a enfrentar um inimigo muito perigoso: o misterioso Prometheus, que depois foi revelado como o "aliado" de Oliver Queen, Adrian Chase.

O último episódio da temporada mostra as equipes dos dois personagens trazendo seus "exércitos" para a guerra. E que lugar seria um melhor campo de batalha que Lian Yu, a ilha onde Oliver passou cinco anos de sua vida? Tivemos o retorno do Exterminador e o final acabou em um cliffhanger tenebroso, quando a ilha explodiu, deixando os fãs sem saber quem havia morrido e quem havia sobrevivido.

Imagem de capa do item

Arrow (2ª Temporada)

Falando no Arqueiro Verde e no Exterminador, é claro que não podíamos deixar de citar o fim do segundo ano de Arrow, que veio para provar de vez a importância da série na televisão, com a primeira grande reunião de super-heróis para derrotar o exército de Slade Wilson, decidido a destruir Starling (atual Star City) de vez.

O episódio não apenas mostrou Oliver Queen sendo capaz de impedir o inimigo, mas também fez um milagre ao poupar a vida do Exterminador, que se tornou uma das maiores lendas da série. Além disso, foi muito épico ver o Arqueiro Verde lutando ao lado do Arsenal, da Canário Negro e de toda a cidade, para que não pudesse falhar com ela novamente...

Imagem de capa do item

Demolidor (1ª Temporada)

Por mais que cinco séries tenham o sucedido, Demolidor continua sendo o programa mais aclamado da Marvel na Netflix, e tudo isso devido ao sucesso incomparável e a qualidade absoluta de sua primeira temporada, que além de nos apresentar os desafios diários de Matt Murdock, também nos deu um gostinho de um dos maiores vilões da TV: Wilson Fisk.

O final do primeiro ano é a culminação da construção da série, nos trazendo o confronto final entre o Demolidor e o Rei do Crime. Além disso, foi a nossa primeira oportunidade de testemunhar o traje heroico oficial do Homem Sem Medo. Por fim, o episódio ainda deu grandes indícios do que esperar da segunda temporada e toda a trama do Céu Negro.

Imagem de capa do item

Agentes da S.H.I.E.L.D. (3ª Temporada)

Encerrando a contagem, temos um dos finais mais arrasadores de séries de super-heróis, já que a terceira temporada de Agentes da S.H.I.E.L.D. veio com uma facada no coração dos fãs. Há semanas, a temporada já tinha dado pistas que um membro da equipe iria morrer. E aqui, além do conflito final contra Hive/Ward, finalmente a morte bateu na porta.

O episódio foi tenso do começo ao fim, principalmente devido à passagem de um crucifixo dourado (um elemento que estava no presságio da morte) para todos os membros da equipe. Ao fim, foi Lincoln Campbell que se sacrificou para salvar a equipe, o que acabou trazendo uma trama muito importante para Tremor e para toda a S.H.I.E.L.D..

Imagem de perfil
Gus Fiaux

Formado em Cinema e Audiovisual pela UFPE. Crítico, roteirista e mago nas horas vagas. Demon to some... angel to others (ele/dele) || @gus_fiaux