Capa da Publicação

[CRÍTICA] Street Fighter 30th Anniversary Collection – Nostalryuken!

Por Felipe Vinha

Quando Street Fighter nasceu, poucos acreditaram em seu futuro. De fato, o primeiro game da série não foi tão bem aceito assim e chegou a ser modificado para ter algum sucesso. Mas, 30 anos depois, vimos o que a saga se tornou, hoje como referência para jogos do gênero.

A Capcom sabe disso e é por este motivo que ela lançou Street Fighter 30th Anniversary Collection, uma compilação com nada menos que 12 títulos clássicos, para nenhuma nostalgia botar defeito.

Saiba o que achamos, em nossa crítica, a seguir!

Imagem de capa do item

Ficha Técnica

Nome: Street Fighter 30th Anniversary Collection

Plataformas: PS4, PC, Switch, Xbox One

Gênero: Luta

Modos de jogo: Um jogador, multiplayer local, multiplayer online

Estúdio: Digital Eclipse

Publicadora: Capcom

Data de lançamento: 29 de maio de 2018

Imagem de capa do item

Vamos ao básico: Street Fighter 30th Anniversary Collection reúne 12 games da saga principal, desde o primeiro, até a versão mais recente de Street Fighter 3, chamada de Third Strike.

Além deles, temos: Street Fighter 2 e suas cinco versões: World Warrior, Champion Edition, Turbo: Hyper Fighting e Super e Super Turbo; três edições de Street Fighter Alpha; além das edições New Generation e Second Impact de Street Fighter 3.

Imagem de capa do item

Para alguém desavisado, a coleção pode parecer repetitiva e monótona, mas essa pessoa não poderia estar mais enganada. Quem cresceu nos fliperamas sabe que cada uma destas edições de Street Fighter, mesmo as variações do segundo capítulo, são games bem diferentes uns dos outros.

Street Fighter 2, por exemplo, é muito mais lento e difícil de se jogar o que Super Turbo, além de ter menos personagens e mecânicas. Os Street Fighter Alpha também apresentam distinções entre si, conforme o usuário nota, ao aproveitar cada um.

Imagem de capa do item

Por conta disso, a Capcom resolveu não dar ponto sem nó e incluiu até mesmo o fraquíssimo Street Fighter 1, que serve como curiosidade, pois apresenta uma jogabilidade muito diferente dos atuais, que envelheceu mal.

Ainda assim, é uma experiência incrível poder jogar especialmente esta edição, já que muita gente nem imagina que o primeiro Street Fighter exista, levando em conta o início da série apenas por Street Fighter 2.

Imagem de capa do item

E, como citamos jogabilidade, vamos deixar clara uma coisa aqui: Street Fighter 30th Anniversary Collection faz questão de deixar claro que estamos jogando as versões de fliperamas, e não edições emuladas, lançadas em consoles mais antigos.

A novidade é muito apreciada, pois traz versões conservadas dos jogos, com direito a resolução original, sem menu de pausa nativo (apenas por meio do menu da compilação), entre outras características de um jogo de fliperama nostálgico.

Imagem de capa do item

Isso, claro, também se traduz na qualidade da reprodução dos clássicos, em plataformas mais recentes. Sem engasgos, sem imperfeições. Ainda há a possibilidade de aplicar filtros, para deixar um Street Fighter antigo bem parecido com o que você jogava no fliperama do bar.

Tudo bem que a inclusão de filtros não é exatamente uma novidade em games antigos relançados, mas, neste tipo de compilação, é sempre gostoso de ver e poder modificar.

Imagem de capa do item

Como se todas as novidades já não fossem muito boas, a Capcom decidiu incluir multiplayer online em quatro títulos da coletânea: Turbo: Hyper Fighting, Super Turbo, Alpha 3 e Third Strike.

Isto é: assim você pode não apenas jogar com seu amigo ou amiga, no sofá, com o segundo controle na mão, mas também online, contra oponentes do mundo todo, como se a Internet fosse um grande “fliperama de bar”, onde qualquer um com uma ficha pode te desafiar.

Imagem de capa do item

A conversão online funcionou muito bem. Os servidores se comportam adequadamente e os jogos se conectam sem lag, o que poderia atrapalhar bastante a qualidade das lutas, se fosse de maneira diferente.

A conversão foi feita pela Digital Eclipse, que já é conhecida por ser uma produtora especializada em trazer games antigos de volta, além de adaptar outros títulos a plataformas menos ortodoxas. Podemos dizer que o trabalho ficou muito bom, mas o maior mérito de Street Fighter 30th Anniversary Collection fica mesmo com a Capcom.

Imagem de capa do item

Provando ser um Hadouken de Nostalgia no nosso coração, Street Fighter 30th Anniversary Collection vem ainda com um museu absolutamente completo. São depoimentos, documentos, fotos, vídeos, de diversos momentos sobre a história de Street Fighter.

Há telas raras de versões canceladas, histórico de lançamentos, linha do tempo das versões, tanto conteúdo que vai te prender mais até do que dentro das lutas – já que são sempre rapidinhas. Esse tipo de adição não apenas torna esta compilação a mais completa, mas também a mais especial.

Imagem de capa do item

Conclusão

Street Fighter 30th Anniversary Collection é um pacote nostálgico para nenhum fã da série botar defeito. O título não apenas traz os maiores clássicos da saga em apenas “uma embalagem”, mas também vem recheado de extras importantes.

Se você se importa com Street Fighter, ou com a história dos jogos de luta, como um todo, esta reedição é um pedido obrigatório na coleção.

Nota: 5 de 5

Imagem de perfil
Felipe Vinha

Já tentei salvar o mundo de uma invasão alienígena, mas hoje me contento em ser jornalista. Gosto de quadrinhos e suas adaptações na TV ou cinema, animes, tokusatsu, games (de luta principalmente) e tecnologia. Vamos trocar uma ideia no Twitter @felipevinha