Capa da Publicação

[CRÍTICA] LEGO Os Incríveis – Peças permitidas, mas nada de capas!

Por Felipe Vinha

Um novo jogo da LEGO, uma nova forma de aproveitar uma aventura leve com a família, com qualquer tipo de jogador no segundo controle, graças a desafios simples e divertidos.

É verdade que LEGO Os Incríveis segue uma fórmula já conhecida da série de games, mas inova em alguns pequenos pontos, o que é bem interessante de se ver.

Conheça mais sobre o game, em nossa análise completa!

Imagem de capa do item

Ficha Técnica

Nome: LEGO Os Incríveis

Plataformas: PS4, PC, Switch, Xbox One

Gênero: Aventura

Modos de jogo: Um jogador, multiplayer cooperativo local

Estúdio: TT Games

Publicadora: Warner

Data de lançamento: 15 de junho de 2018

Imagem de capa do item

Sim, LEGO Os Incríveis é bem o que você espera. Mas, se você nunca jogou um game de LEGO na vida, este também pode ser o seu primeiro – principalmente por não vir de uma série já estabelecida, como Star Wars ou Marvel.

O que você precisa saber é que todos os jogos da marca se voltam para o lado cooperativo da coisa, apesar de poder ser aproveitado com apenas um jogador, sem qualquer problema. O detalhe fica por conta da diversão e bom humor.

Imagem de capa do item

Em LEGO Os Incríveis temos conteúdo que compreende nos dois filmes dos personagens, em apenas um pacote, o que é bem interessante – já que você pode ter aquela sensação de “ter tudo completo”, sem depender de outros games já lançados para completar sua estante de coleção.

Ele começa a narrativa no início do segundo filme, porém, mas te deixa reviver elementos passados dos personagens, contando não apenas histórias do longa original, mas também sobre a história anterior dos heróis conhecidos.

Imagem de capa do item

Como em todo game LEGO, em LEGO Os Incríveis também temos aquela narrativa engraçadinha. Há dublagem, como já foi estabelecido na série, e a saga é contada da maneira mais fiel o possível ao material original.

O mais interessante da versão nacional é que o jogo vem com as mesmas vozes ouvidas no cinema. Pode parecer besteira elogiar algo assim, mas é um cuidado que poucos estúdios têm na hora de lançar um produto – padronização é importante.

Imagem de capa do item

Em termos de jogabilidade, temos novidades! Na verdade são poucas… Mas são dignas de nota.

Pequenas modificações nos controles e na forma como os personagens interagem. LEGO Os Incríveis é o jogo LEGO mais cooperativo que existe. Os heróis dependem sempre uns dos outros e você terá a oportunidade de ver isso em ação, em diversos momentos das fases.

Imagem de capa do item

Os quebra-cabeças também deixa este elemento bem claro. Os poderes agora estão mais focados no que o herói ou heroína representa, te dando algo mais palpável e mais diferenciado, e não apenas “soltar raios, voar ou ser muito forte”.

Alguns dos poderes são ativos mesmo que você não pressione nenhum botão, então é uma dinâmica diferente do que já havíamos visto em um jogo LEGO, tentando inovar um pouco o que já conhecíamos a respeito.

Imagem de capa do item

Mas nem tudo é interessante. LEGO Os Incríveis pega emprestado algumas das mecânicas de mundo aberto de LEGO City Undercover. Mas… Bem, por mais inusitado que possa parecer, não combinou tanto assim.

Os Incríveis é um filme mais focado na ação e narrativa. A sensação de jogar um “GTA de heróis com LEGO” acabou não ficando tão legal assim. Sem falar nos comandos para direção de veículos, que é bem ruim.

Imagem de capa do item

O jogo tenta compensar com fases que se passam fora da cidade de mundo aberto disponível na campanha, em cenários fechados e conclusivos, mas logo voltamos para explorar o local e perseguir missões.

Em LEGO Os Incríveis temos ainda colecionáveis espalhados por toda a cidade – e todos os outros mapas –, como é bem de costume. Mas o principal incentivo para ir atrás deles está em destravar personagens, alguns bem especiais, inclusive!

Imagem de capa do item

Mas tudo bem, LEGO Os Incríveis é um jogo da marca LEGO, que tem uma proposta bem simples, que é divertir sem pretensão, então dá para relevar alguns aspectos, inclusive os gráficos, que estão bem longe de serem os melhores de todos os games da marca.

Contudo, há muitos extras e novos sistemas de destravar personagens – como “pacotinhos de LEGO”, que dão recompensas aleatórias. Parece até com as fatídicas “loot boxes”, mas funciona de maneira distinta.

Imagem de capa do item

Conclusão

Com LEGO Os Incríveis temos um produto com a marca LEGO que faz jus ao nome, mas que só diverte e ponto. Se bem que esse costuma ser o objetivo dos games da série, sem ter muita pretensão em apresentar o “melhor título do ano”, ou coisa do tipo.

Mesmo com problemas, a aventura brilha na sua narrativa, carisma dos personagens e por ser um pacote bem completo, cobrindo os dois filmes dos heróis originais.

Nota: 3 de 5

Imagem de perfil
Felipe Vinha

Já tentei salvar o mundo de uma invasão alienígena, mas hoje me contento em ser jornalista. Gosto de quadrinhos e suas adaptações na TV ou cinema, animes, tokusatsu, games (de luta principalmente) e tecnologia. Vamos trocar uma ideia no Twitter @felipevinha