Capa da Publicação

[CRÍTICA] Attack on Titan 2 – Déjà vu!

Por Felipe Vinha

Attack on Titan já pode ser considerado um dos grandes animes dos últimos anos. Mais um produto japonês que ganhou o mundo graças a uma história bem contada, personagens carismáticos e conceitos, até certo ponto, inéditos.

O sucesso da série foi tanto que ele foi mais um dos animes a ganhar um filme live action, isto é, com pessoas reais, também chamado de “Attack on Titan”, que inclusive está chegando aos cinemas brasileiros nos próximos dias, além de uma sequência.

É claro que os videogames não podiam ficar de fora de ter sua própria fatia de torta. Algumas adaptações já foram lançadas, incluindo no PS4, PS Vita e Nintendo 3DS. Uma continuação, Attack on Titan 2, acaba de chegar aos consoles, agora somando também o Switch e o Xbox One.

Mas, por incrível que pareça, o novo capítulo funciona também como porta de entrada aos novatos da saga e isso, ao mesmo tempo, é bom e ruim. Por qual motivo? Leia nossa análise e descubra!

Imagem de perfil
sobre o autor Felipe Vinha

Já tentei salvar o mundo de uma invasão alienígena, mas hoje me contento em ser jornalista. Gosto de quadrinhos e suas adaptações na TV ou cinema, animes, tokusatsu, games (de luta principalmente) e tecnologia. Vamos trocar uma ideia no Twitter @felipevinha