Capa da Publicação

As 10 melhores séries baseadas em HQs de 2018!

Por Gus Fiaux

Está chegando no final do ano e agora estamos preparando nossa grande retrospectiva 2018, relembrando de tudo que marcou o nosso ano na cultura pop. E agora, é a vez de falarmos das séries baseadas em HQs, que nunca estiveram em tanto peso quanto neste ano!

Para determinar os vencedores, a equipe da Legião dos Heróis realizou uma votação, onde cada integrante poderia escolher uma quantidade determinada de séries. Os empates foram resolvidos pela ordem alfabética dos itens.

Créditos: Divulgação

Imagem de capa do item

10º - The Gifted

Embora a franquia esteja enfrentando tempos tempestuosos no cinema, os X-Men continuam indo muito bem nas séries de TV. E um pequeno demonstrativo disso está em The Gifted, a aventura que está fazendo os fãs dos mutantes perderem a cabeça desde sua primeira temporada. Aqui, acompanhamos uma equipe bem diferente da que estamos acostumados.

A série se aprofunda muito mais em temas como intolerância e superioridade racial, além de apresentar personagens icônicos como Blink, Polaris e o próprio Clube do Inferno. Atualmente em sua segunda temporada, ela está se provando a cada dia mais como a aventura mutante que sempre quisemos ver, mas nunca tivemos a oportunidade.

Imagem de capa do item

9º - Manto e Adaga

Embora tenha passado bem despercebida para alguns, Manto e Adaga está certamente na lista das estreias mais sólidas do Universo Cinematográfico da Marvel, especialmente considerando as várias conexões que rolaram com outras propriedades da franquia - como, por exemplo, Agente Carter e Luke Cage.

A série foge dos clichês dos super-heróis para apresentar uma história bem mais humana, a respeito de empresas que exercem uma função predatória, preconceito e brutalidade policial. Juntando isso à excelente atuação de Olivia Holt e Aubrey Joseph, tivemos uma das melhores temporadas de estreia da história das séries de super-heróis.

Imagem de capa do item

8º - Luke Cage

E por falar no herói blindado do Harlem, não podemos esquecer da segunda temporada de Luke Cage, que trouxe o vigilante de volta em uma trama bem mais densa e melhor conduzida que a da primeira temporada. Aqui, vemos o herói tendo que lidar com as responsabilidades de sua vizinhança, enquanto enfrentava o Bushmaster e Mariah Dillard.

Abordando temas sociais importantes, além de mostrar um lado bem menos unidimensional do Poderoso, a temporada é até hoje considerada uma das melhores do histórico da Marvel/Netflix. Uma pena que a série tenha sido cancelada, ainda mais considerando todo o potencial que ela possuía para um eventual terceiro ano.

Imagem de capa do item

7º - Legion

Por mais que ocupe apenas o sétimo lugar de nossa lista, Legion certamente é a série mais estranha de super-heróis da atualidade. E isso é um elogio, ainda mais considerando os personagens e a trama que a série envolve. Em 2018, pudemos acompanhar sua segunda temporada, cheia de reviravoltas dramáticas.

Enquanto Legião se acostuma mais com suas habilidades sinistras, temos o avanço do Rei das Sombras, que se prova como uma ameaça cada vez mais emblemática. Por sorte, o segundo ano também serviu para desenvolver melhor outros personagens secundários - principalmente Syd, que tem tudo para se tornar a nova protagonista da série daqui em diante.

Imagem de capa do item

6º - Fugitivos

Em 2018, pegamos o finalzinho da primeira temporada - e toda a segunda - de Fugitivos. E para quem é fã da equipe, a série foi um baita presentão, especialmente por conservar vários elementos clássicos das HQs de Brian K. Vaughan e Adrian Alphona, além de criar novas histórias para gerar mais emoção no público.

Com personagens cativantes e um elenco mirim sensacional, Fugitivos manda bem ao explorar também os membros do ORGULHO - a equipe de super-vilões composta pelos pais dos próprios Fugitivos. Além disso, vale destacar a presença de Alfazema, um dinossauro que todos estavam com medo de que não fosse bem adaptado para o formato seriado.

Imagem de capa do item

5º - Titãs

Originalmente mal-vista pelos fãs, Titãs acabou se provando como a melhor estreia possível para o DC Universe, o recém-inaugurado serviço de streaming da editora. Com uma trama bem mais adulta que as demais séries da DC, a aventura de origem da equipe também serviu para introduzir um universo que será ainda mais desenvolvido no futuro.

E se Robin, Ravena, Estelar e Mutano já foram ótimas introduções a essa equipe, também tivemos destaque com a Patrulha do Destino - que vai ganhar sua própria série -, Jason Todd, Donna Troy e Rapina e Columba. Em apenas uma temporada, Titãs conseguiu se provar para todos que esperavam que a série não desse certo.

Imagem de capa do item

4º - Agentes da S.H.I.E.L.D.

No início do ano, os fãs de Agentes da S.H.I.E.L.D. estavam com o coração nas mãos, já que a quinta temporada parecia ser a última da série - e foi escrita como tal, já que nem os produtores sabiam que, atualmente, ela já estaria renovada para mais dois anos. E assim, tivemos um dos arcos mais emocionantes da série.

Após todo o "rolê espacial" do começo da temporada, nos aprofundamos mais em como a equipe de Phil Coulson poderia lutar no presente para impedir o futuro de se concretizar. No meio disso, Daisy Johnson precisava lutar contra a "profecia" de que ela seria a responsável pela destruição da terra. E o final acabou sendo um conflito digno de telas de cinema!

Imagem de capa do item

3º - O Mundo Sombrio de Sabrina

Correndo um pouquinho dos super-heróis, agora nós entramos nos sombrios domínios dos satanistas. Baseada na HQ de mesmo nome, O Mundo Sombrio de Sabrina nos apresentou a uma versão bem mais madura da aprendiz de feiticeira, dessa vez tendo que lidar com ameaças como o próprio Satã.

Na série, que chegou à Netflix em outubro - e agora está com seu especial de Natal no ar -, acompanhamos o dia-a-dia e as desventuras de Sabrina Spellman. A série se tornou um grande sucesso de audiência, já tendo três novas partes confirmadas - e é por isso que ela ocupa honrosamente o terceiro lugar de nossa lista.

Imagem de capa do item

2º - Legends of Tomorrow

Quando a DC quer se divertir, ela consegue fazer isso da melhor forma possível. E esse ano não teve para ninguém: Legends of Tomorrow se sobressaiu como a melhor série dentro do Arrowverse, principalmente por suas histórias mirabolantes e sua equipe genial, que agora conta com a participação do próprio John Constantine.

Em 2018, as Lendas se voltaram para o sobrenatural. Além de enfrentarem vários desafios místicos, eles tiveram que lidar com o avanço de Mallus, um demônio que precisava conquistar todos os Totens Elementares. No entanto, não podemos nos esquecer que quem realmente roubou o destaque dentro da série foi Beebo - e você certamente lembrará desse nome.

Imagem de capa do item

1º - Demolidor

Em primeiro lugar, está a terceira - e infelizmente, última - temporada da série do Homem Sem Medo. Após dois anos de "hiato" - e um fim abrupto para Matt Murdock em Os Defensores -, nós finalmente pudemos conferir o retorno de Demolidor, que trouxe de volta o herói em grande estilo, dessa vez contra dois inimigos de peso: o Rei do Crime e o Mercenário.

O terceiro ano da série é, possivelmente, o mais sombrio e mais denso da história do personagem. Aqui, acompanhamos ele descobrindo segredos sobre seu passado e sua mãe, enquanto desistiu de sua vida pública. Destaque para a adaptação de elementos de sagas clássicas do personagem, como A Queda de Murdock e O Diabo da Guarda, entre outras.

Imagem de perfil
Gus Fiaux

Formado em Cinema e Audiovisual pela UFPE. Crítico, roteirista e mago nas horas vagas. Demon to some... angel to others (ele/dele) || @gus_fiaux