As 10 maiores polêmicas de 2014 nos quadrinhos!

Capa da Publicação

As 10 maiores polêmicas de 2014 nos quadrinhos!

Por Gus Fiaux

Adaptado do WC.

Imagem de capa do item

Sony Hack

Quando tudo parecia tranquilo no setor de entretenimento, com as excelentes reações de trailers de filmes futuros, a indústria é abalada com um gigantesco vazamento de informações internas da Sony.

Apesar dos fãs serem presenteados com uma quantidade absurda de notícias envolvendo o Homem-Aranha, isso demonstra uma grande falta de planejamento do estúdio, que não tem lidado bem com o personagem e nem com a política interna.

Imagem de capa do item

Batgirl e transfobia

Desde que a DC rebootou seu Universo, Barbara Gordon deixou de ser cadeirante e voltou ao manto da Batgirl, com uma nova série escrita por Gail Simone, que criou uma das primeiras personagens transgêneras de grande importância, a companheira de quarto de Barbara, Alysia Yeoh.

Simone deixou o quadrinho por interferências editoriais e foi substituída por Brendan Fletcher e Cameron Stewart, que deram uma completa repaginada na personagem.

Recentemente, foi revelado que a Batgirl impostora que estava causando problemas na vida de Barbara era uma transgênera, considerada perigosa, mentalmente perturbada e assassina, algo que a maioria dos setores pró-diversidade consideraram transfobia por não ajudar a melhorar o como a sociedade vê as transexuais.

Imagem de capa do item

Voluntário da Comic-Con racista

Um voluntário da Comic-Con de San Diego, conhecido simplesmente como "Bill de San Diego" usou seu twitter para falar uma série de mensagens racistas e perturbadoras, inclusive satirizando o assassinato de Michael Brown pelo policial Darren Wilson e afrontando os frequentadores da SDCC.

A organização da SDCC reconheceu-o como sendo um voluntário da Comic-Con por 10 anos, e afastou-o de qualquer futuro evento similar. Isso rendeu uma grande polêmica internacional.

Imagem de capa do item

David Finch e o feminismo da Mulher Maravilha

Quando se finalizou o run de Bill Azzarello e Cliff Chiang na revista da Mulher Maravilha, eles foram substituídos pelo casal Meredith e David Finch.

A revista tinha sua forte fanbase e a entrada de Finch e Meredith foi vista com desconfiança. E eis que em uma entrevista, Finch diz a seguinte frase: "Queremos que ela seja um personagem forte. Não que nem uma feminista, mas uma personagem forte."

As declarações de Finch sobre a personagem, que é tida como um ícone feminista desde sua criação não foram nem um pouco bem-vistas pelos ativistas.

Imagem de capa do item

Sexismo e as Meninas Super-Poderosas

Tentando retomar o sucesso das personagens do Cartoon Network, a editora IDW lançou uma série de quadrinhos das Meninas Super-Poderosas.

O traço era basicamente o mesmo do desenho, mas veio a capa variante da edição 6, por Mimi Yoon, que trouxe personagens, como ditas pelo público, "hipersexualizadas e sexistas". Como resultado, a IDW cancelou a publicação da capa variante.

Imagem de capa do item

Troca de atores (E Stephen Amell chutando o pau da barraca)

A DC/Warner anunciou sua série de filmes até 2020, entre os quais veremos a estreia cinematográfica de personagens como o Flash, o Ciborgue e o Shazam, porém, uma notícia chateou os fãs: no cinema, o Flash será interpretado por Ezra Miller, e não Grant Gustin, o ator que faz o personagem na série de TV no CW.

Como resultado, Stephen Amell, Oliver Queen e amigo de Grant Gustin, falou que essa era uma "decisão escrota por parte da Warner Bros." especialmente porque o anúncio havia sido feito uma semana depois da estreia (oficial) da série do Flash.

Imagem de capa do item

O artista de Rat Queens é despedido (e preso)

Rat Queens é um quadrinho da Image Comics que conta as histórias de um grupo totalmente feminino em um mundo como o de algum RPG fantástico que bebem, matam e fazem sexo de um jeito que muitos homens tem medo delas. Para muitos, uma revolução nos quadrinhos femininos, que em sua maioria, só apresentam mocinhas em perigo ou personagens em roupas justas.

O problema vem quando um dos artistas da série, Roc Upchurch é detido e preso por... espancar sua esposa!

Imagem de capa do item

Merchandising Sexista

Em 2014, muitas coisas foram percebidas na divulgação de quadrinhos e filmes: Gamora não estava entre a linha de action-figures para promover Guardiões da Galáxia, o jogo Justice League: Axis of Villains não trouxe uma personagem feminina sequer e coisas do tipo.

O bastante para a maioria das minorias (?) acusar tanto a Marvel com a DC de sexismo.

Imagem de capa do item

Milo Manara

Essa não precisa nem comentar, né?

Apenas digamos que a ilustração que saiu como capa alternativa da primeira edição de Spider-Woman, desenhada por Milo Manara, deu o que falar. Inclusive um pedido de desculpas oficial da própria Marvel.

Imagem de capa do item

DC envenena um reservatório de água em Ohio

A DC Comics lançou uma série de capas alternativas em 3D para a série Future's End, num processo que exigia certos componentes químicos. Um deles é a Microcistina, que é altamente tóxica.

E de algum modo, o componente da fábrica responsável pela impressão das capas acabou vazando para o Lago Eire, que fornecia água para um reservatório em Ohio que por sua vez, abastecia onze milhões de pessoas.

Então é basicamente isso. A DC envenenou a água milhões de pessoas. O Coringa estaria orgulhoso.

Imagem de perfil
Gus Fiaux

Formado em Cinema e Audiovisual pela UFPE. Crítico, roteirista e mago nas horas vagas. Demon to some... angel to others (ele/dele) || @gus_fiaux