Capa da Publicação

5 motivos para se empolgar e 5 para se preocupar com o filme do Fosso!

Por Lucas Rafael

O sucesso astronômico de Aquaman nas bilheterias deixou os estúdios da Warner/DC contentes. O mundo é capitalista, e os executivos querem fazer dinheiro. Logo, foi anunciado que um filme de horror baseado na sequência do Fosso, com as criaturas abissais da Trincheira, estaria sendo produzido.

A aventura expandiria ainda mais a mitologia de Aquaman apresentando uma história isolada com um enfoque no terror.

Alguns curtiram ideia, outros a detestaram de cara. Mas afinal, com a rica e vasta mitologia do Universo DC, a gente precisa mesmo de um filme deste porte? Nesta lista, balanceamos 5 motivos para se empolgar e 5 para se preocupar com o filme do Fosso.

Imagem de capa do item

Para se Empolgar: Produção de James Wan

James Wan é o novo titã da indústria blockbuster. Filmes para grandes estúdios com sua assinatura costumam performar muito bem, obrigado.

A questão é que Wan também costuma produzir alguns filmes de terror, como será o caso deste derivado focado no Fosso ou Trincheira, como você preferir.

Como o filme é um produto que deriva de outro longa dirigido com carinho por Wan, é possível que o diretor tenha um forte dizer criativo na concepção da obra, colocando-a no trilho da qualidade.

Imagem de capa do item

Para se preocupar: Filme do Fosso?!?

A ideia de um filme inteiro baseado em uma cena de Aquaman parece um tanto inusitada, ainda mais no meio da névoa caótica que permeia o futuro da DC/Warner nos cinemas.

Tantas propriedades que merecem atenção e os caras me anunciam filminho de terror aquático baseado em uma cena de Aquaman?

A impressão que fica é a do estúdio estar espremendo o sucesso comercial de Aquaman. E ela é difícil de sacudir.

Imagem de capa do item

Para se Empolgar: Orçamento reduzido

Essa aqui é meio ambivalente. O orçamento reduzido pode ser uma faca de dois gumes. Por um lado, podemos ter um filme com efeitos porcos feito somente com a desculpa de ser um caça-níquel.

Por outro, o orçamento modesto prometido pelo estúdio indica que o filme não é uma prioridade da DC, sendo que a existência dele não interfere diretamente na concepção de um Homem de Aço 2 ou qualquer outro título digno de atenção.

Não, seu filme favorito da DC não foi cancelado para dar a vez para o longa do Fosso. Eu acho. Eu espero. O orçamento reduzido ao menos evidencia isso.

Imagem de capa do item

Para se Preocupar: Nada de Aquaman ou Mera.

O filme contará com personagens novos e não existe sinal de elementos familiares do filme de Aquaman além das próprias criaturas Abissais.

Um personagem de ponte para nos ancorar na narrativa e entornar o caldo da familiaridade não seria má pedida no filme. Mas seu caráter minimalista possivelmente vai deixar de lado os grandes nomes que vimos em Aquaman em prol de uma experiência isolada.

Imagem de capa do item

Para se Empolgar: Novos nomes envolvidos na criação

Além da produção de Wan, o filme do Fosso vai contar com nomes até então novos na indústria cinematográfica.

Ou seja, não existem nomes de peso que poderiam estar investindo sua preciosa energia criativa no seu filme de preferência ao invés deste.

Até o momento, a Warner parece estar tratando este filme como algo nas linhas laterais do Universo DC, o que tem potencial para ser uma grata surpresa em termos de um horror marítimo com criaturas dantescas.

Na fronte do roteiro, temos confirmados os nomes de Noah Gardner e Aidan Fitzgerald, novatos na arte da escrita de um projeto cinematográfico.

Imagem de capa do item

Para se Preocupar: Os nomes podem acabar se provando não tão bons...

Sim, os roteiristas confirmados para o filme são iniciantes nesta fronte. Como já diria Stephen King, temos medo do desconhecido. No momento que essa lista é escrita, não conhecemos mais envolvidos no projeto além dos roteiristas envolvidos. A incerteza incomoda.

Gardner e Fitzgerald podem acabar entregando um roteiro nem tão bom assim. É certo que estamos em território especulativo aqui, mas a inexperiência de ambos pesa um pouco no currículo. É hora deles se provarem. Você bota fé?

Imagem de capa do item

Para se Empolgar: A fase das criaturas nas HQs é boa.

As criaturas Abissais da Trincheira/Fosso são relativamente novas na mitologia de Arthur Curry. Elas despontaram em 2011, na fase Novos 52 do herói.

Se tratam de criaturas advindas de um Trincheira que emergem para tocar um terror carnífice na superfície. Assim como no longa, é revelado que as criaturas já foram cidadãos de Atlantis.

Este grupo de ex-Atlanteanos se refugia na Trincheira Mariana, evoluindo para se adaptar às condições de pressão e iluminação daquele fosso marinho. Assim, eles acabaram desenvolvendo aspectos dantescos, como barbatanas incisivas, dentes afiados e um porte lânguido.

Imagem de capa do item

Para se Preocupar: Filminho de jumpscares da DC?

Se a DC não estiver devidamente antenada no mercado cinematográfico de terror atual, é capaz de termos uma daquelas bombas intragáveis que se valem do gênero apenas para nos dar um sustinhos baratos permeados através de um roteiro fraco que só existe para fazer dinheiro em cima de uma franquia bem-sucedida.

O meu caminho ideal para este filme (um homem pode sonhar) é a DC se inspirar nos trabalhos que James Wan realizou em parceria com a Blumhouse, produtora de filmes de horror americana.

Assim, com um orçamento modesto e muito talento envolvido, um filme econômico e surpreendente de terror aquático nos banharia nas salas de cinema. Claro, este é o melhor cenário possível. É bem capaz de ocorrer um deslize e termos mais um subproduto genérico e truncado do gênero.

Imagem de capa do item

Para se Empolgar: A cena do filme que apresenta as criaturas é muito boa.

A cena de Aquaman que mostra as criaturas do Fosso atacando Aquaman e Mera no barco em meio à tempestade é incrível. Ela funciona quase como um curta de terror isolado no meio da projeção de Aquaman. É perceptível o quanto James Wan se solta na hora de trabalhar em um território que já conhece: o do terror.

Aquaman acendendo sinalizadores que iluminam as janelas do barco repletas de criaturas. O design de som assustador. Aquaman e Mera pulando em direção às profundezas enquanto um enxame de criaturas os seguem oceano adentro. É uma cena incrível que possui sua própria identidade no meio da mitologia apresentada pela trama, logo, espremer um filme que preserva o tom daquela sequência não parece má ideia.

Imagem de capa do item

Para se Preocupar: Os altos e baixos da DC.

Por fim, o motivo que deixa a gente com um pé atrás em relação a qualquer produto DC recente. Filmes da Marvel, para o bem ou para mal, viraram uma espécie de McDonalds cinematográfico. Você sabe o mínimo que vai receber toda vez que entra numa sala de cinema para consumir um filme do estúdio. A surpresa é se o chef estava inspirado em fazer algo a mais ou não.

Já a DC, bem, a DC tem filmes excelentes seguidos de tragédias seguidas de filmes medianos que precedem bons filmes que por sua vez dão sequência à obras medíocres. Entenderam? É uma roleta-russa. Essa imprevisibilidade da DC faz com que o filme do Fosso - e qualquer projeto do estúdio - seja digno de uma forte desconfiança inicial.

Se a qualidade de Aquaman se repetir nos filmes vindouros do estúdio, essa desconfiança pode muito bem ser tratada e erradicada de nossa psique coletiva.

Imagem de perfil
Lucas Rafael

Redator. Entusiasta de coisas demais