Capa da Publicação

As 15 maiores polêmicas no mundo dos super-heróis em 2015!

Por Gus Fiaux
Imagem de capa do item

Marvel Studios larga a Marvel Entertainment e vai pros braços da Disney

Muitos sempre desconfiaram que a relação entre a Marvel Studios, comandada por Kevin Feige, e a Marvel Entertainment, chefiada por Ike Perlmutter não se davam muito bem, especialmente levando em conta as declarações de Perlmutter a respeito de heroínas femininas e o constante controle do Comitê Criativo.

Então, foi uma surpresa bastante oportuna quando descobrimos que a Marvel Studios teria quebrado essa submissão ao ramo de entretenimento principal, e passou a responder diretamente à Disney. Correram boatos de desentendimentos internos, e a culminação se deu com a dissolução do Comitê Criativo.

Imagem de capa do item

Batman Sansão

Entre muitas polêmicas referentes à DCYOU - como o visual do Superman, por exemplo -, a mais difundida foi a respeito do novo visual do Batman após a série Endgame. Depois que Bruce Wayne enfrentou o Coringa, os dois foram dados como mortos e o Batman da Terra assumiu outra identidade - enquanto Wayne foi lá ser um Novo Deus.

A armadura que o novo Batman - cuja identidade iremos manter em segredo, uma vez que a fase ainda não foi publicada no Brasil - usa como "assistente" causou polêmica, com muitos criticando o novo visual sem sequer saber de sua função ao lado do personagem...

Imagem de capa do item

Ivan Ooze

Porém, visuais nos quadrinhos não foram os únicos alvos de reclamação dos fãs. O cinema, tentando adaptar alguns personagens clássicos, também sofreu com reclamações precoces de muita gente incomodada com alguns visuais.

O primeiro deles foi o Apocalipse. Revelado inicialmente pela Entertainment Weekly, o vilão do sexto filme dos X-Men foi duramente criticado por se assimilar ao vilão dos Power Rangers, Ivan Ooze. Mudando de editora, mas não de nome, o Apocalipse de Batman vs Superman também foi bem criticado por parecer uma Tartaruga Ninja, ainda que não tenha sido tão escrachado quanto En Sabah Nur.

E é claro... temos aquele que não podia deixar de ter um item só pra ele...

Imagem de capa do item

Coringa Tatuado

O Coringa de Jared Leto deu o que falar nas redes sociais. Quando sua primeira foto foi revelada, os fãs se dividiram em três facções: os que defendiam fielmente, os que despejavam ódio contra o visual e aqueles que estavam tão incrédulos que se forçaram a acreditar que era apenas uma foto para comemorar os 75 anos do Coringa.

Pois bem, o trailer do filme saiu e o visual, tão criticado, foi esquecido. Os olhos se voltaram plenamente para a atuação de Leto, que realmente está promissora - isso quando não ficamos surpresos com ele distribuindo ratos mortos pros colegas de elenco.

Imagem de capa do item

Anúncios no meio das revistas

Esse ano, a DC trouxe uma novidade não muito bem-vista pelos fãs americanos: além de uma poluição visual interna com comerciais a cada três páginas (como costumam ser as single issues americanas), a editora passou a trazer comerciais também nas páginas com quadrinhos, de modo que não tem como escapar das diversas propagandas.

Além das reclamações dos fãs, a Marvel também se aproveitou da polêmica para fazer uma capa especial da revista do Deadpool criticando a decisão da concorrência.

Imagem de capa do item

Capa cancelada

No início do ano, a DC revelou uma série de capas variantes comemorando o septuagésimo quinto aniversário de um dos maiores vilões da Editora, o Coringa. Contudo, a capa de Batgirl #41, feita pelo artista brasileiro Rafael Albuquerque não foi muito bem recebida.

Para quem lembra de A Piada Mortal, sabe que o Coringa fez o inferno da vida da Batgirl, e aqui, isso é colocado a mostra de novo, como sugestão à violência e ao assédio. A DC cancelou a capa e Rafael pediu desculpas aos fãs.

Imagem de capa do item

Capitão América vs Fox News

A nova revista do Capitão América - agora, identidade de Sam Wilson, ex-Falcão - também causou bastante polêmica nos Estados Unidos, especialmente com a mídia conservadora, como a Fox News.

Na primeira edição da nova revista, o herói vai atrás de um grupo neofascista, intitulados Filhos da Serpente, que está caçando e matando imigrantes. O Capitão América parte em defesa dos civis e se põe contra os vilões. Porém, a Fox News viu isso como um ataque aos conservadores que são contra imigração ilegal, tendo criticado duramente a revista em um programa.

Imagem de capa do item

Não foi o ano de Joss Whedon

2015 definitivamente não foi o melhor ano para Joss Whedon. Além de ter dado inúmeras entrevistas dizendo o quanto estava cansado em fazer Vingadores: Era de Ultron, e ter confirmado que não voltaria para as duas partes da Guerra Infinita, o diretor encarou críticas dos fãs pela retratação de alguns personagens no filme.

As principais críticas vieram a respeito da Viúva Negra, que sempre considerada uma heroína forte, foi reduzida ao papel de "calmante do Hulk", e aos gêmeos Maximoff, que tiveram toda a essência deturpada e acabaram servindo como capachos de nazistas durante metade do filme. As críticas foram tão pesadas que o diretor acabou deletando sua conta no Twitter.

Imagem de capa do item

Boicote?

Esse ano foi marcado por uma considerável diminuição dos títulos mutantes e a completa exclusão do Quarteto Fantástico nos quadrinhos do Universo Marvel. Apesar do sumiço do Quarteto ser justificado pela queda de vendas, não é compreensível essa diminuição das revistas dos X-Men.

Muitos então falaram a respeito de um boicote interno feito pela Marvel contra os personagens cujos direitos autorais não são detidos pela Marvel Studios. Apesar de fazer sentido, muitas pessoas não acreditam no possível boicote, gerando uma guerra civil interna entre os fãs da editora.

Imagem de capa do item

A sexualidade de Bobby Drake

Como não podia deixar de ser, todo ano temos alguma grande polêmica envolvendo a sexualidade de algum personagem. Esse ano, Brian Michael Bendis, em All-New X-Men revelou que o Homem de Gelo retirado do passado era gay, em uma cena um tanto quanto desconfortável, por ele ter sido "empurrado" para fora do armário por Jean Grey.

Em vez da discussão situar a questão da liberdade de Bobby em se assumir ou não, toda a confusão foi a respeito da "transformação" do herói em homossexual - algo que não é surpresa, devido ao histórico de relacionamentos do personagem. Recentemente, na 600ª edição de Uncanny X-Men, Bendis revelou que o Bobby do presente também compartilha da sexualidade com sua contraparte do passado.

Imagem de capa do item

Vazamento de trailers

Todo ano, na San Diego Comic Con, são divulgadas prévias exclusivas para os presentes no evento. E todo ano, as pessoas quebram as regras de sigilo do ambiente e gravam os trailers. Esse ano, essa atitude tomou graves consequências.

Depois dos vazamentos dos trailers de Esquadrão Suicida, X-Men: Apocalipse e Deadpool, os estúdios - em especial a Warner - publicaram notas de repúdio aos fãs e rumores circularam, afirmando que os estúdios podem deixar de trazer conteúdo exclusivo para as próximas edições da convenção. Isso gerou uma discussão em torno da exclusividade do material divulgado nesses eventos, e em porque os estúdios não os liberam de forma geral simultaneamente.

Imagem de capa do item

Falta de representação contra-ataca

Uma das grandes polêmicas do ano passado foi a falta de uso de personagens femininos no marketing e em produtos licenciados de blockbusters famosos, como Guardiões da Galáxia. Um ano se passou, mas pouca coisa mudou.

Vingadores: Era de Ultron, mesmo possuindo duas heroínas destacadas, gerou polêmica por trazer pouquíssimos brinquedos e produtos das personagens, além de não representá-las nas capas de DVDs. Além disso, agora, com Star Wars: O Despertar da Força - que foge um pouco da proposta da lista, mas se encaixa no exemplo -, fãs estão encontrando dificuldades para achar action figures de Rey e da Capitã Phasma, duas personagens femininas que tiveram seu destaque no filme - lembrando que Rey é a protagonista.

Imagem de capa do item

Marvel Studios vs Warner/DC nos cinemas

Como não podia deixar de faltar, esse ano foi um prato cheio para alfinetadas e indiretas entre as duas maiores representantes de super-heróis nos cinemas.

Se do lado da DC tivemos Jason Momoa dando seus autógrafos com os dizeres "Fuck Marvel", e Zack Snyder menosprezando Homem-Formiga, na Marvel tivemos Anthony Mackie dizendo abertamente de seu desgosto por Homem de Aço, ou então vários atores de Guerra Civil e Kevin Feige rebatendo as críticas de Snyder.

Imagem de capa do item

O Curioso Caso de Josh Trank

Uma das maiores polêmicas de 2015 foi incorporada em um único filme: Quarteto Fantástico. Cheio de problemas internos, o longa ainda sofreu com duras críticas do público e uma bilheteria devastadora para a Fox. Porém, nada foi tão pesado quanto o diretor do filme renegando seu próprio trabalho.

Na noite de estreia do filme, Josh Trank postou um tweet falando a respeito de como sua versão era melhor do que a versão que foi para os cinemas e sofreu edição e alterações do estúdio.

Imagem de capa do item

Pânico na CCXP

Pra finalizar, um caso recente e que fez polêmica no Brasil. Durante a Comic-Con Experience, realizada nesse mês em São Paulo, a equipe do Pânico na Band resolveu fazer uma cobertura do evento, tirando sarro e fazendo graça não apenas com os frequentadores e cosplayers, mas também com Frank Miller e outros artistas convidados.

O ponto principal foi um vídeo gravado com uma cosplayer em que um "entrevistador" tomou liberdades e a lambeu. Mesmo depois de todas as críticas na internet, o programa foi ao ar sem nenhuma nota da Band. A organização do evento já baniu o programa pelas próximas edições, mas isso não impediu o programa da semana seguinte de conter críticas e piadinhas a quem criticou a participação da Band no evento.

Imagem de perfil
Gus Fiaux

Formado em Cinema e Audiovisual pela UFPE. Crítico, roteirista e mago nas horas vagas. Demon to some... angel to others (ele/dele) || @gus_fiaux