Capa da Publicação

11 filmes que a Marvel precisa fazer caso recupere todas as suas propriedades!

Por Gus Fiaux
Imagem de capa do item

Uncanny X-Men

Essa é clássica. Qual é um dos títulos que, desde 1973 disputa com os Vingadores no quesito vendas e popularidade? Os X-Men, sem dúvida. Sua introdução na franquia da Marvel Studios pode ser um tanto turbulenta em meio a um universo já construído e bem estabelecido, além dos resquícios da franquia da Fox. Mas pequenos passos podem fazer a produção ser um sucesso entre os fãs.

A história: Os mutantes podem ser tratados como pessoas anômalas escondidas dos seres “normais” pelo governo, numa maneira similar à usada pela SHIELD para esconder seres superpoderosos na série Agents of SHIELD. Vemos Charles Xavier montando e treinando sua classe inaugural de X-Men, constituída por Ciclope, Garota Marvel, Homem de Gelo, Fera e Anjo, ao passo que há um surto descontrolado de mutantes no mundo, causando um choque entre humanos que desconheciam esses seres. Nisso, uma organização política libera a produção de armas de controle mutante (o que pode deixar um gancho para os Sentinelas no futuro), causando a ira de células extremistas lideradas por Magneto, um mutante que sofreu durante a Segunda Guerra Mundial, que graças a experimentos nazistas, envelhece mais devagar que os seres humanos (outro viés para isso seria fazer com que ele fosse transformado em um bebê em algum momento de sua história, uma saída que não é muito distante dos quadrinhos). Magneto e seus asseclas (de início, Vampira, Mística, Mestre Mental e Avalanche), formando a Irmandade dos Mutantes, batem de frente com os ideais dos X-Men, e acabam se confrontando mais de uma vez. No clímax, as duas equipes são enviadas ao espaço, onde Magneto mantém uma base acoplada a um satélite, na intenção de libertar o caos na Terra, onde se enfrentam pela última vez. A Irmandade é derrotada, mas a um custo terrível: o Anjo perde suas asas, e acontece uma tempestade cósmica de proporções catastróficas. No caminho de volta à Terra, Jean Grey luta para salvar seus companheiros, erguendo um escudo em sua nave. Porém, a rajada consegue ultrapassar os escudos. Chegando no planeta, o que havia no lugar da Garota Marvel se transformou... na Fênix!

Imagem de capa do item

Fantastic Four

Devido às reações do público, é quase certa a previsão de que o reboot do Quarteto Fantástico pela Fox será um fracasso de bilheteria, o que pode ser uma espécie de catalisador para a reaquisição dos direitos da equipe pela Marvel Studios. E isso abre um leque tremendo de possibilidades!

A história: Reed Richards e Sue Storm são um casal famoso e célebre dentro da comunidade científica. Junto deles, vive o irmão de Sue, Johnny Storm, um talentoso e jovem engenheiro. Porém, uma descoberta é feita e pode abalar a vida na Terra: um grande bombardeamento de raios cósmicos vindo em direção ao planeta, destroçando asteroides e pequenos planetas em seu caminho (dependendo da época em que os direitos forem, e caso forem, readquiridos, podem inclusive ser os mesmos raios vistos no filme dos X-Men, servindo de ponte na franquia). Os três são designados em uma missão de reconhecimento e técnicas defensivas. No desenrolar, Reed descobre que um amigo de infância, Benjamin Grimm também está na lista da equipe da missão, e acaba o reencontrando já na nave. A viagem não ocorre como o esperado e parte da nave é destroçada, matando vários tripulantes. Os quatro, entretanto, se salvam por permanecer em uma cápsula selada. A tempestade cósmica os joga dentro de um universo paralelo habitado por seres que remetem a insetos. Após meses presos, Reed descobre que a tempestade foi causada por alguém de dentro do universo alternativo e consegue, a partir dos destroços de sua nave e de tecnologia alienígena, montar um portal reverso. Os quatro são recebidos como heróis na terra, porém a exposição ao mundo alienígena alterou seus códigos genéticos, transformando-os em seres superpoderosos. Além disso, sua volta acarretou em um problema ainda maior: o portal abriu uma brecha dimensional, trazendo os seres de fora para dentro de nosso universo. Os quatro, abalados e alterados pelos meses transcorridos, devem se unir uma última vez para salvar o planeta!

Imagem de capa do item

Fantastic Four - 1234

A minissérie pode ser um bom pontapé para o filme, que terá o digníssimo dever de introduzir um dos maiores vilões dos quadrinhos: Doutor Destino!

A história: Extremamente interessado pelo surgimento do grupo de heróis conhecido como Quarteto Fantástico, Victor Von Doom, soberano de uma nação européia, tenciona conhecê-los e adquirir seus poderes. Porém, após a recusa de Reed de mostrar-lhe o portal para a dimensão extra-terrestre onde ganharam seus poderes, Von Doom planeja uma maneira de destruir a equipe de uma vez por todas, e da forma mais simples possível: concedendo-lhes o desejo mais profundo em seus corações. Dessa maneira, Bem Grimm volta a ser humano. Sue consegue amor nos braços de outro que não Reed e Johnny livra-se da sombra da irmã e do cunhado, perdendo as ligações com a equipe. E quanto a Reed... ele finalmente consegue um desafio à altura!

Imagem de capa do item

Astonishing X-Men

O segundo filme da equipe mutante pode aproveitar para trazer alguns de seus personagens mais famosos, especialmente em um tempo nebuloso na vida dos heróis remanescentes.

A história: Os X-Men praticamente se desfizeram. O Homem de Gelo partiu, assim como o Anjo, que perdeu suas asas. O Fera se afastou da equipe ao perceber graves problemas de saúde se alastrando (o que ele viria a descobrir futuramente que eram os indícios de sua segunda mutação). Ciclope e Fênix decidem abandonar suas carreiras para dedicarem-se um ao outro e finalmente montar uma família. Isso faz com que Xavier, investindo em viagens ao redor do mundo, recrute novos membros para se alistarem as fileiras dos X-Men. Tempestade, Colossus, Wolverine e Noturno são alguns dos novos mutantes reunidos sob a liderança do Professor X, que começa a receber mensagens telepáticas estranhas. Isso não tarda a se intensificar e Xavier acaba sendo raptado, fazendo com que Scott e Jean voltem para a Escola e, junto dos novos X-Men, planejem um plano de resgate. Seguindo as pistas do paradeiro, eles são levados a uma nova galáxia (para o desespero de Jean, que ainda se recupera dos traumas vividos no primeiro filme), centro do Império Sh’iar, e onde Xavier está sendo mantido preso por supostas ligações criminosas com Lilandra, irmã de um rei louco que aspira à expansão do Império. Os X-Men tentam salvar o Professor, mas Jean, ensandecida pelo poder da Fênix, se volta contra seus companheiros e destrói um planeta inteiro, se sacrificando num último momento de lucidez. Os X-Men voltam mais uma vez para a Terra, ainda mais desolados, sem estarem preparados para o que vem a seguir... Continuações possíveis “X-Men - Inferno” e “X-Men – Age of Apocalypse”

Imagem de capa do item

The Avengers - Decimation

Uma das maiores histórias dos Vingadores e dos X-Men nos quadrinhos e também algo que seria incrível de se ver nas telas (uma vez que o roteiro se basearia tanto em Dizimação quanto em Vingadores – A Queda).

A história: Um estado de tensão recai sobre os Vingadores. Recém-atacados por uma ameaça suspeita, os heróis mais poderosos da Terra desconfiam que o mandante do ataque seja um de seus colegas. E essa certeza só se intensifica ao passo que as ameaças começam a ficar mais letais. O Homem-Formiga desaparece. O Gavião Arqueiro é assassinado em praça pública. O Visão se vira contra a equipe. E a Feiticeira Escarlate surta de uma vez por todas, mostrando quem é a vilã da história. A mando de algum ser suspeito, Mercúrio faz a cabeça da irmã, que acaba se tornando a maior ameaça já enfrentada pelos Vingadores. E o resultado final é chocante: Wanda simplesmente destrói o irmão e parte da população mutante ao desferir um último feitiço e se atirar de vez rumo ao esquecimento, forçando os Vingadores remanescentes a desfazer a equipe. Uma cena pós-crédito pode dar a cereja do bolo ao filme, e mostrar que o mandante de Mercúrio é ninguém menos que Magneto!

Imagem de capa do item

Rise of the Illuminati

Muito se fala na necessidade de construir um filme dos Novos Vingadores com o Homem-Aranha e o Wolverine, mas com o advento da série de TV dos Defensores, isso perde um pouco do peso que teria outrora. Por isso faz-se necessário a união dos heróis mais poderosos (e inteligentes) do universo.

A história: Uma ameaça é lançada contra a humanidade: a chegada de um ser devorador de planetas e seu arauto – Galactus e o Surfista Prateado! Reed Richards e sua equipe, o Quarteto Fantástico, tentam deter a criatura antes mesmo que ela chegue ao planeta Terra, mas são derrotados e por pouco não são dizimados pelo colosso extra-terrestre. Reed, desesperado, tenta reunir as maiores mentes da humanidade (e da inumanidade) para conseguir derrotar o poderoso ser. Namor, Pantera Negra e Raio Negro (que podem ser introduzidos na franquia a partir de filmes dos Vingadores e dos Guardiões da Galáxia), Doutor Estranho (que com certeza será introduzido em seu filme solo), Fera e um aposentado Homem de Ferro se unem para poder realizar tal tarefa. Intrigas acabam jogando um contra o outro (sim Namor, estamos olhando para você), mas no fim, Galactus consegue ser derrotado.

Imagem de capa do item

Young Avengers

De todos dessa lista, este em especial é o que menos exige o retorno dos direitos. Mas conseqüências daqui (e falaremos delas no futuro) requerem o uso dos mutantes por parte da Marvel Studios...

A história: Um jovem viajante do futuro, chamado Nathaniel Richards, volta ao passado e monta uma equipe de super-heróis juvenis, com base em um banco de dados dos Vingadores no futuro. Dentre os convocados, estão Billy (o Asgardiano), Teddy (Hulkling), Kate, (a Arqueira) Tommy (Célere), Eli Brad (o Patriota) e Cassie Lang (Estatura). O interesse de Nathaniel é montar uma equipe para combater a ameaça temporal de Kang, um conquistador temporal que procura civilizações ao longo do tempo e de universos paralelos para que façam parte de seu vasto império. No transcorrer da história, descobrimos que Tommy e Billy são, de alguma forma, irmãos, que Teddy é um príncipe híbrido de raças alienígenas rivais, que Cassie se juntou à equipe com o intuito de procurar por seu pai, desaparecido há mais de um ano, e que Nathaniel é, na verdade, uma versão mais jovem do próprio Kang. Isso provoca a ruptura da equipe, que se desilude com seu líder. Porém, Nate é uma pessoa boa, que quer se livrar do destino de Kang, e acaba não vendo que a oposição a esse futuro pode causar uma catástrofe no espaço-tempo. Após o assassinato do Patriota por Kang, os Jovens Vingadores se reúnem mais uma vez para tentar vingar o companheiro, porém já é tarde demais: a realidade começa a se desfazer, o que os leva a uma medida desesperada: enviar Nate ao futuro, mesmo contra sua vontade, de modo que seu destino vilanesco seja cumprido.

Imagem de capa do item

Young Avengers - Children's Crusade

Eu disse que em determinado momento seria necessário a volta dos direitos para contar algo dos Jovens Vingadores. E o momento é agora!

A história: Um momento muito incomum cerca a vida de Billy e Tommy: pesquisando sobre seu passado, os dois descobrem que podem ser filhos da Feiticeira Escarlate, que foi dada como morta anos atrás. E aliados de seus colegas, os dois partem da suspeita de Billy de que sua possível mãe não esteja morta, rumo a locais inóspitos na procura de Wanda. No meio do caminho, ex-Vingadores e mutantes se unem para impedir os meninos de trazer de volta seus maiores pesadelos encarnados. O que acaba levando-os a um local completamente inesperado: a Latvéria, terra do Doutor Destino. Nathaniel Richards (agora dotado de uma tecnologia que impede que o tempo seja alterado) retorna mais uma vez, na esperança de se corrigir por seus erros passados, e traz consigo uma versão futura do Visão. Os Jovens Vingadores encontram Wanda, que perdeu suas memórias e poderes, e que está pronta para se casar – pasmem – com Victor Von Doom! Depois de muita luta, a Feiticeira recupera suas memórias e poderes, derrotando Victor, que havia feito proveito da heroína em seu momento mais frágil para extrair seus poderes catastróficos. Wanda inicia sua jornada pela redenção, sendo mal vista tanto pelos Vingadores quanto pelos mutantes, e Nathaniel, seduzido pelo poder, retorna para sua época, e passa a querer ser conhecido como O Conquistador... Continuações possíveis: “Young Avengers - Reload”, baseado no segundo volume da série, lançado em 2013.

Imagem de capa do item

Avengers vs X-Men

Há vários motivos pelos quais este deve ser feito antes de uma “Guerra Civil” da vida. O primeiro deles é a proximidade de Vingadores e X-Men após tudo transcorrido até aqui, bem como a necessidade da jornada de redenção da Feiticeira Escarlate.

A história: Simples. Os mutantes estão arrasados. Os Vingadores começaram a se reagrupar de maneira gradual, e eis que surgem duas luzes: o ressurgimento da Força Fênix e a primeira ativação do gene mutante desde ‘Decimation’, tudo isso em uma só jovem. Ciclope e Xavier começam a estudar a possibilidade da união dos dois elementos e a formação de uma messias mutante. Porém, os Vingadores, informados da periculosidade da entidade alienígena, se opõem a essa ideia. Os X-Men, conseguindo apoio de vários mutantes e simpatizantes ao redor do mundo e os Vingadores, apoiados pelo governo, batem de frente, num conflito que só pode resultar perda para os dois lados. A messias é salva pelos Vingadores, que incrivelmente conseguem se aliar à Feiticeira Escarlate. A Fênix, não encontrando seu hospedeiro planejado, se impregna aos X-Men. No fim, Ciclope é o único que termina com a Fênix em seu corpo, matando amigos e inimigos sem distinção alguma. Wanda consegue derrotá-lo, apoiada pela jovem mutante chamada Esperança, que usa seu poder mutante e a força Fênix para devolver vida à raça mutante.

Imagem de capa do item

Secret Wars

Aposto que você já estava se perguntando ‘E cadê o Homem-Aranha nessa lista?’. Não é pra menos, o herói tem uma popularidade avassaladora, bem como essa famosa série que é um marco por ter sido o primeiro grande cross-over da editora.

A história: Imaginem que todos os heróis estão na rua quando, de repente... não estão mais. Todos são transportados a um local distante, e basicamente acontece um Jogos Vorazes entre heróis e vilões, tudo sobre ordem de uma entidade maior. E não, não estamos falando de Avengers Arena. Algumas alianças sinistras devem ser feitas para que os heróis saiam ganhando... e mesmo se saírem vencedores, suas vidas serão mudadas para sempre! Seria a oportunidade perfeita para apresentar elementos como o Venom, por exemplo. Qualquer coisa dita a mais estragaria as surpresas vindas desse confronto de deuses.

Imagem de capa do item

Civil War

Não podia faltar, não é mesmo?

A história: Os Vingadores ainda estão separados. Vários heróis atuam por conta própria, e nessa onda de novos vigilantes surgindo exponencialmente ao redor do planeta, uma catástrofe acontece envolvendo super-humanos. Isso faz com que o governo aprove uma lei de registro dos super-humanos, limitando sua vida e privacidade. De um lado, o Capitão América e alguns outros personagens menores se viram contra essa lei, o que faz com que pressionem Tony Stark/Homem de Ferro a tomar partido e enfrentar seu antigo aliado. Junto a ele, vários heróis e vilões, esses últimos almejando a possibilidade de anistia. O filme deveria ser dividido em duas partes, e a ótica adotada não deveria ser outra senão a do Homem-Aranha. O marco divisório das duas partes seria justamente o momento em que Peter passa do lado do Homem de Ferro para a equipe do Capitão. O resultado final? A morte do Homem de Ferro (e não a do Capitão América, como acontece nos quadrinhos) e a reestruturação dos Vingadores. Muitos falam da impossibilidade de fazer um filme dessa proporção... porém uma coisa deve ser levada em consideração: se o primeiro Vingadores conseguiu alcançar o posto de terceira maior bilheteria do mundo, o que a adaptação de uma das maiores sagas dos quadrinhos não conseguiria? A bilheteria de um único filme seria o necessário para pagar as duas partes, e ainda sobraria um lucro considerável. O maior problema é a pouca extensão do Universo Marvel nos cinemas, na perspectiva de agora... e por isso a volta dos direitos seria o gatilho necessário para a produção.

Imagem de perfil
Gus Fiaux

Formado em Cinema e Audiovisual pela UFPE. Crítico, roteirista e mago nas horas vagas. Demon to some... angel to others (ele/dele) || @gus_fiaux