10 vezes em que o Batman foi forçado a matar alguém!

Capa da Publicação

10 vezes em que o Batman foi forçado a matar alguém!

Por Gus Fiaux

Lista traduzida e adaptada do WhatCulture

Imagem de capa do item

Esmagando pessoas no lixão

O local já foi usado alguma vez para liberar o lado assassino do Homem-Morcego. Em Batman #425, ele empilha alguns carros em cima de um traficante de drogas. Entretanto, um exemplo ainda mais cruel vem de Detective Comics #613, quando ele joga dois mafiosos dentro de um compactador de lixo.

Imagem de capa do item

Mandar Lorde Homem-Morte ao espaço

Durante o run de Grant Morrison pelo Homem-Morcego, vimos o vilão ser derrotado de uma maneira brutal - e estranha. Basicamente, o cara não morre por ser bom em ioga ou algo do tipo. Então o Batman o prende em um foguete que parte para o espaço, onde ele constantemente morrerá asfixiado e voltará à vida.

Imagem de capa do item

Aqueles criminosos que incendiou logo antes de dar uma... relaxada

Durante All Star Batman and Robin, Frakn Miller conseguiu uma cena que seria hilária, se não fosse trágica. Primeiro, ele queima vivos alguns criminosos com uma bomba incendiária e então se encontra com a Canário Negro para um encontro especial... há apenas alguns metros de onde os gritos invadem o ar.

Imagem de capa do item

Basicamente todo mundo nos primeiros anos após sua criação...

Durante os primeiros anos após sua criação, o Cavaleiro das Trevas estava bem ocupado atirando em criminosos, ou os enforcando, ou os jogando de precipícios. O mais engraçado disso tudo é que a maioria dos vilões do Batman eram mortos em sua primeira aparição, ressuscitando depois como vilões.

Imagem de capa do item

... Mas especialmente o Monge Louco

O Batman nunca usa armas de fogo... hoje em dia. Antes do Comics Code entrar em atuação, uma cena memorável foi quando o mágico conhecido como Monge Louco transforma a namorada do herói em um lobisomem, deixando ao Batman como única opção atirar nele... enquanto dormia!

Imagem de capa do item

Matando todo mundo no Culto

O Culto, por Jim Starlin e Bernie Wrightson é uma das histórias mais controversas do Cavaleiro das Trevas. Ao longo de quatro edições, o Batman sofre lavagem cerebral e se junta a um culto subterrâneo composto por moradores de rua liderados por Deacon Backfire. Claro que ele se livra do controle mental, mas não antes de matar gente. E mesmo depois, ele deixa Backfire ser esmigalhado pelos seus seguidores. Não matou, mas deixou matar. Dá na mesma.

Atirando dinamite na calça de alguém

No segundo Batman de Tim Burton, o Cavaleiro das Trevas, a caminho de enfrentar a Mulher-Gato e o Pinguim, tem que lidar com alguns capangas. Algo que o personagem faz com um preocupante nível de satisfação. Ao enfrentar um brutamontes, ele simplesmente prende algumas bananas de dinamite na calça do bandido... E sorri.

Imagem de capa do item

Atirando em Darkseid

Voltando para Grant Morrison, o fim de Final Crisis é algo difícil de ser explicado sucintamente. Mas basicamente, o vilão Darkseid está a ponto de fazer toda a existência acabar através da Equação Anti-vida. E eis que o Cavaleiro das Trevas usa uma arma cuja bala consegue viajar pelo espaço-tempo para matar o vilão.

Imagem de capa do item

Deixa o KGBesta morrer de fome

Em uma das histórias mais conhecidas do Batman, o vilão conhecido como KGBesta - criado pelos russos para derrotar o Ocidente vem para Gotham e enfrenta Bruce Wayne. Que, por acaso, quebra sua arma e o prende nos esgotos de Gotham, indo pra casa e dizendo que ele não será mais um problema para a polícia.

Imagem de capa do item

Estrangulando o Coringa, aparentemente

A Piada Mortal, de Alan Moore e Brian Bolland é uma das maiores, se não a maior, história do Batman e de seu maior inimigo, o Coringa. No final da história, após a derrota do Palhaço do Crime pelas mão do Cavaleiro das Trevas, o vilão conta uma piada. Os dois começam a rir, o Batman encosta de modo suspeito no Coringa... a risada vai diminuindo... a "câmera" aponta para o chão... e se ele matou ou não o Coringa, fica por sua conta.

Imagem de perfil
Gus Fiaux

Formado em Cinema e Audiovisual pela UFPE. Crítico, roteirista e mago nas horas vagas. Demon to some... angel to others (ele/dele) || @gus_fiaux