Capa da Publicação

10 Personagens das HQs cujas histórias não vão para frente!

Por Gus Fiaux

Marvel DC sempre foram a casa dos maiores super-heróis do mundo. Os personagens sempre tomaram a frente das histórias, e por mais que a luta contra o mal sempre fosse a mesma, os heróis sempre mudavam para melhor. Contudo, há aqueles que os roteiristas (e a própria editora) nunca deixa crescer.

Aqui, você vai conferir personagens que nunca vão para frente. São personagens que têm sempre o mesmo tipo de história, ou cujo desenvolvimento é cíclico. Tratam-se de figuras que, por mais que cresçam ou tenham boas histórias, acabam voltando sempre para o mesmo lugar, e parecem nunca ter um desenvolvimento duradouro…

Créditos: Marvel/DC Comics

Imagem de capa do item

Darkseid e Thanos

Ainda que sejam personagens distintos, e um pertença à Marvel, enquanto o outro faz parte da DC Comics, Thanos e Darkseid representam o mesmo papel em ambos os universos que habitam. Enquanto o Titã Louco é um avatar da morte, que possui sua própria vida trágica, o líder supremo de Apokolips é sempre a definição óbvia do mal.

Isso chega a ser um problema quando analisamos que os dois personagens sempre são usados da mesma forma. No caso de Thanos, ainda há alguma evolução pequena, por mais que ele volte para o ciclo de sempre - tanto que logo ele estará em busca das Joias do Infinito de novo. Já o Darkseid nunca deixou de ser a figura descontrolada à procura da Equação Anti-Vida.

Imagem de capa do item

Surfista Prateado

Coitado de Norrin Radd. Um personagem tão profundo e icônico, que servia para externar todos os pensamentos e questões filosóficas de Stan Lee, se tornou o exemplo mais triste de um loop que não parece terminar nunca. Foram anos até se libertar do controle de Galactus, e hoje, ele retoma e abandona o posto de arauto como se trocasse de roupa.

O exemplo mais decepcionante disso se deu em Infinity Countdown, a mais recente saga da Marvel, que serve de prelúdio para as Guerras Infinitas. Aqui, além do Surfista Prateado só servir como força bruta, ele não apenas ferra seu próprio desenvolvimento, como também o de Galactus, forçando-o a se tornar o Devorador de Planetas novamente, após anos sendo o Portador da Vida.

Imagem de capa do item

Exterminador

Seja como mercenário ou como vilão, o Exterminador sempre foi uma figura muito ameaçadora no Universo DC, batendo de frente com personagens como o Batman e os Jovens Titãs. Porém, quando paramos para analisar o quadro geral, percebemos que o personagem, mesmo tendo ganhado títulos solo, nunca mudou.

Slade Wilson é sempre uma figura ambígua, que nunca abre a cabeça para mudanças, e sempre age de forma traiçoeira. Talvez a maior evolução de sua história tenha se dado quando ele se tornou um anti-herói e inclusive se juntou aos Titãs, mas até isso foi esquecido para transformá-lo novamente no mesmo vilão previsível de sempre.

Imagem de capa do item

Justiceiro

Frank Castle é um dos personagens com a carreira mais bizarra das HQs. O que era para ser um simples vigilante violento, que vive sua vida na caça dos bandidos mais corruptos no coração dos Estados Unidos já se tornou um monstro de Frankenstein, um enviado do paraíso e, mais recentemente, o Máquina de Combate.

E ainda assim, nada muda. O personagem nunca teve nenhuma crise de consciência duradoura, e até mesmo seus trajes novos duram mais tempo que qualquer desenvolvimento dado nos roteiros. A impressão que fica é que os fãs se contentam apenas em ver o Justiceiro assassinando bandidos, e não desejam nenhum tipo de exploração psicológica e pessoal disso.

Imagem de capa do item

Coringa

Não são apenas de heróis que vivem as histórias em quadrinhos. O Coringa, maior vilão do Batman, é um dos exemplos mais importantes que temos de antagonistas e ainda assim, se pararmos para analisar com frieza a sua história, podemos perceber que é um personagem que nunca teve um traço sequer de evolução.

Para conhecer o Palhaço do Crime, basta entender que ele é um inimigo louco do Cavaleiro das Trevas, cuja origem é bem obscura e misteriosa. Por mais que ele tenha vivido momentos marcantes nas HQs, como A Piada Mortal ou Morte da Família, ele nunca teve o menor traço de desenvolvimento em sua personalidade, e sempre vai ser tido como a representação da loucura.

Imagem de capa do item

Hulk

Tudo bem que o Hulk sempre foi, entre todos os personagens que compõem os Vingadores, o mais famoso e adorado antes do Universo Cinematográfico da Marvel. Entretanto, ao longo dos anos, o personagem se acomodou no mesmo tipo de história, e mesmo tendo morrido e ressuscitado, ele não muda um pouco sequer.

Bruce Banner é quase a personificação humana da bomba atômica. Nunca sabemos quando ele vai explodir. O Gigante Esmeralda, por sua vez, está lá, transitando entre um herói redimido e uma força incansável de destruição, que beira o antagônico. Agora, como Imortal Hulk, ele só ganhou um novo poder, mas a fúria já está entediante.

Imagem de capa do item

Shazam

Atualmente em posse da DC, esse herói originário da Fawcett Comics é um dos heróis mais importantes de todos os tempos, e durante muito tempo, foi a representação da jovialidade nos quadrinhos. O jovem Billy Batson se torna um super-herói adulto ao gritar a palavra "SHAZAM", adquirindo poderes de seis divindades mitológicas.

Porém, ao pensarmos em tudo que o personagem já passou na cronologia principal da DC Comics, dá para notar que ele não possui tanta evolução - claro que isso desconsidera as aparições em universos alternativos, como Reino do Amanhã. Talvez a maior mudança em sua personalidade, além dos Novos 52, seja ter parado de ser chamado de Capitão Marvel.

Imagem de capa do item

X-Men

É difícil conhecer um fã de quadrinhos que não ame os X-Men. Os personagens são o retrato de uma geração, e sua mensagem sobre intolerância e preconceito veio para nos mostrar como HQs podem ser importantes ao trazer causas sociais à tona. Mas verdade seja dita: os Filhos do Átomo nunca vão evoluir, e jamais vão deixar de ter as mesmíssimas histórias.

Se pararmos para pensar na última década, tivemos uma evolução considerável da equipe, principalmente graças à Utopia. Contudo, tudo volta para o mesmo ponto: heróis odiados e perseguidos, que por mais que tentem ajudar a humanidade, nunca são reconhecidos por ela. E se você duvida disso, basta ler X-Men Gold, que é um repeteco sem sal de 60 anos de histórias dos mutantes.

Imagem de capa do item

Batman

Venhamos e convenhamos: o Batman é um personagem incrível. O herói não é considerado o maior detetive do mundo dos quadrinhos à toa, e ele acabou se tornando uma figura bem mítica para a DC Comics. Contudo, se pararmos para observar a fundo, podemos ver que o personagem simplesmente estacionou há pelo menos duas décadas.

Bruce Wayne nunca tem uma evolução considerável. A única grande reviravolta em sua vida nos últimos anos talvez tenha sido a descoberta de que Damian Wayne é seu filho. Além disso, todas as outras tentativas de evolução do personagem são levadas por água abaixo, seja pelo roteirismo incessante ou pela mania de reverter decisões arriscadas - basta notar a última grande trama da revista do herói.

Imagem de capa do item

Homem-Aranha

Em primeiro lugar, nos resta aceitar que o personagem que menos cresce nas histórias em quadrinhos, como um todo, é justamente o Homem-Aranha. A Marvel parece querer que ele sempre seja a figura juvenil que representava a geração da década de 60, e nunca dá a chance para que o herói cresça e finalmente tenha suas histórias trazendo um Peter Parker adulto.

É por isso, inclusive, que boa parte das melhores fases do personagem não duram muito. Pegue por exemplo Homem-Aranha Superior ou a fase em que ele se casa com Mary Jane: todas fases incríveis no desenvolvimento do aracnídeo e das pessoas que vivem ao redor dele, mas que logo são desfeitas da maneira mais apressada possível para trazer à tona a figura bobalhona e azarada de sempre.

Imagem de perfil
Gus Fiaux

Formado em Cinema e Audiovisual pela UFPE. Crítico, roteirista e mago nas horas vagas. Demon to some... angel to others (ele/dele) || @gus_fiaux