Capa da Publicação

As 10 melhores reviravoltas das HQs da Marvel!

Por Gus Fiaux

Atenção: Alerta de Spoilers!

Ao longo dos anos, os quadrinhos passaram a contar histórias tão cinematográficas quanto qualquer filme blockbuster saído de Hollywood. Logo, passamos a ter reviravoltas e plot twists tão inimagináveis que realmente acabaram nos pegando de surpresa.

A Marvel, consolidando seu império de histórias, não ficou atrás e nos trouxe uma série de viradas dramáticas sem igual. Algumas foram boas, outras nem tanto assim, mas estamos aqui apenas para prestigiar as melhores entre as melhores. Confira aqui as 10 melhores reviravoltas nas HQs da Marvel!

Esta lista foi baseada numa sugestão do fã @victorhfeliciano em nosso Instagram! Não deixe de mandar suas ideias e dicas para nós!

Créditos: Marvel Comics

Imagem de capa do item

Os Vingadores encontram o Capitão América

Por mais que tenha sido anunciado na própria capa da revista, o retorno do Capitão América não deixou de ser uma grande surpresa na época, ainda mais considerando o desaparecimento do herói desde a Segunda Guerra Mundial. Felizmente, o Sentinela da Liberdade foi encontrado pelos Vingadores e logo se uniu a eles.

Um personagem tão icônico da década de 40, Steve Rogers finalmente teria sido introduzido no Universo Marvel, após ter sido "tirado" de um bloco de gelo por Namor. Para a época, isso foi revolucionário, por resgatar um dos maiores símbolos patrióticos dos Estados Unidos... e agora, um dos maiores heróis do mundo.

Imagem de capa do item

A noite em que Gwen Stacy morreu

Embora haja espaço para temas e tramas mais sombrias, os quadrinhos da Marvel geralmente são um recanto mais escapista. Contudo, uma das primeiras vezes em que a morte foi um grande ponto de virada para os super-heróis da editora foi quando Gwen Stacy morreu, atirada de uma ponte pelo Duende Verde.

A própria revelação de que Norman Osborn era o homem por trás da máscara de duende já trouxe calafrios aos fãs, mas ver a namorada do herói não sendo salva por ele, e morrendo em seus braços - ou melhor, em sua teia - foi algo dolorido de se ver. E a tristeza é ainda maior quando lembramos que ela nunca foi ressuscitada.

Imagem de capa do item

Jean Grey se sacrifica para deter a Fênix Negra

Como visto, a morte passou a ser um tema recorrente e super-utilizado nos quadrinhos da editora. Hoje em dia, é raro termos mortes que realmente trazem algum impacto dramático. Mas, na época, depois de Gwen Stacy, os olhos e ouvidos se voltaram para a Saga da Fênix Negra, a primeira vez nos quadrinhos em que um herói teve de se suicidar.

O caso aconteceu quando a Fênix despertou o lado sombrio de Jean Grey. Munida de um poder cósmico incontrolável, ela destruiu um sistema solar inteiro, e foi a julgamento pelo tribunal dos Shi'ar. Sabendo que a Fênix causaria mais destruição, Jean resolveu se sacrificar - o que foi extremamente chocante na época.

Imagem de capa do item

Thanos é seu próprio maior inimigo

Quem vai aos cinemas ver Guerra Infinita muitas vezes nem imagina como foi a importância da criação de Thanos para os quadrinhos. O "filho pródigo" de Jim Starlin teve, na década de 90, uma saga dedicada exclusivamente a ele, que baseia a maior parte da trama do filme mais recente do Universo Cinematográfico da Marvel.

Curiosamente, em Desafio Infinito, o Titã Louco também é uma criatura quase imparável. Ao adquirir as seis Joias do Infinito, ele extermina metade do universo e basicamente se transforma em um deus. Para a surpresa de todos, no entanto, ele se derrota, já que seu subconsciente tem a mania de sabotá-lo, sabendo que ele seria um risco grande demais para o universo.

Imagem de capa do item

A responsável pela Queda dos Vingadores é a Feiticeira Escarlate

Falando em vilões, uma das sagas mais divisivas de todos os tempos foi Vingadores: A Queda. A porta de entrada para o roteirista Brian Michael Bendis nos quadrinhos da equipe também foi uma das histórias mais brutais dos Heróis Mais Poderosos da Terra, conforme uma entidade estranha começou a atacar os membros, matando alguns heróis.

No fim, descobrimos que a entidade é ninguém menos que a Feiticeira Escarlate, ensandecida devido à morte de seus filhos - um momento que foi apagado de sua memória pelos Vingadores. Agora, Wanda Maximoff veio atrás de vingança, e por ser uma integrante da equipe, foi a única que conseguiu desmantelá-la de dentro para fora.

Imagem de capa do item

"Chega de Mutantes"

Nessa fase dos quadrinhos, a Feiticeira Escarlate não teve seus melhores dias. Após o completo colapso emocional e mental em A Queda, a até então ex-heroína havia sido mantida aos cuidados do Professor Xavier e do seu (até então) pai, Magneto. Porém, isso não impediu que ela concebesse a realidade da Dinastia M.

O curioso dessa realidade alternativa - onde mutantes haviam prosperado e todos os heróis haviam alcançado seus maiores desejos - é que toda a ideia veio do Mercúrio, o irmão de Wanda. Vendo sua vida arruinada pela causa mutante, a heroína fala apenas três palavras... e depois disso, milhões de mutantes perdem seus poderes, restando apenas 198 com o Gene X ativo.

Imagem de capa do item

A Morte do Sonho

Nenhum evento teve repercussões tão duradouras e impactantes para o Universo Marvel quanto a primeira Guerra Civil. A saga veio para rachar a comunidade heroica ao meio, entre quem era a favor e contra a Lei do Registro dos Super-Humanos. E no centro de todo esse cataclismo, estavam o Capitão América e o Homem de Ferro.

A saga termina de uma forma trágica e dolorosa, conforme Steve Rogers percebe que os heróis já não estão mais lutando por uma causa - em vez disso, eles estão apenas brigando entre si. Porém, a repercussão mais chocante disso acontece quando, ao ser levado para a prisão, o Sentinela da Liberdade é morto pela Agente 13, sua namorada - na época, controlada mentalmente.

Imagem de capa do item

Espiões-Skrull

Embora a Invasão Secreta não seja lá uma das sagas mais elogiadas da Marvel, não há como negar que a trama já começa dando um baque tremendo no leitor: descobrimos, logo de início, os planos para uma invasão da raça Skrull em larga escala. Para completá-los, eles substituíram vários heróis por espiões disfarçados e indetectáveis.

Isso já foi pano para um excelente começo, conforme descobrimos que personagens como Elektra, Mulher-Aranha e até mesmo o "recém-ressuscitado" Capitão Marvel original, na verdade, não passavam de alienígenas transmorfos infiltrados. Uma pena que a conclusão foi conduzida de uma forma não muito satisfatória.

Imagem de capa do item

Pupilo contra mestre

Assim como a Guerra Civil, Vingadores vs X-Men foi uma saga que dividiu o Universo Marvel, e também os fãs. De um lado, tínhamos quem defendia fervorosamente os heróis mutantes e seu desejo de sobrevivência, enquanto do outro, há quem dissesse que os Heróis Mais Poderosos da Terra estavam certos em se preocupar com a chegada da Fênix.

Tudo culminou quando a entidade cósmica possuiu cinco entre os X-Men, e conforme eles foram sendo derrotados, os "fragmentos" do pássaro flamejante foram parar em um único líder: Ciclope. Embriagado pelo poder da Fênix Negra, e colocado contra a parede por seu ex-aliados, ele acabou matando o Professor Xavier, um dos momentos mais dramáticos na história da equipe.

Imagem de capa do item

Rabum Alal é...

Se você ainda não teve a oportunidade de ler as Guerras Secretas de Jonathan Hickman, você não sabe o que está perdendo. Porém, não apenas a saga foi excelente, como também toda a construção até ela. Na revista dos Novos Vingadores, víamos as Incursões acontecendo, destruindo universos inteiros.

Por trás de todos os mistérios do Multiverso, havia uma entidade sombria chamada Rabum Alal. Ele teria enviado a Cisne Negro para a Terra, e manipulava tudo das sombras. A nossa maior surpresa e choque veio ao descobrir que se tratava do Doutor Destino, investido nos planos de criar seu próprio universo, a partir dos detritos de outros mundos.

Imagem de perfil
Gus Fiaux

Formado em Cinema e Audiovisual pela UFPE. Crítico, roteirista e mago nas horas vagas. Demon to some... angel to others (ele/dele) || @gus_fiaux