Capa da Publicação

As 10 melhores histórias originais em filmes baseados em HQs!

Por Gus Fiaux

A ideia é selecionar filmes cujas histórias não se baseiem em nenhum arco dos quadrinhos – como é o caso de Capitão América: O Soldado Invernal Watchmen -, e sim tenham histórias novas. Porém, isso não significa que os filmes aqui listados não possam ter influências de algumas fases ou histórias dos quadrinhos.

Imagem de capa do item

Blade II

Blade foi uma das franquias que ajudou a reestruturar a Marvel e sua dominância nos cinemas. Com um primeiro filme misturando elementos de horror, ação e cinema de blaxploitation, o segundo veio para consolidar o personagem e contou com a direção de Guillermo Del Toro.

Na trama, uma doença surge em meio aos Vampiros, deixando-os insaciáveis por sangue humano e vampiresco, o que os faz se aliarem com Blade para tentar parar o causador dessa epidemia. Uma trama interessante e que conta com personagens originais que sequer existiam nos quadrinhos, gerando o melhor filme da trilogia.

Imagem de capa do item

Homem-Formiga

Poucos filmes de origem tem o mérito de conseguir divertir e surpreender a audiência com algo novo. Homem-Formiga é, definitivamente, um dos que adentra nessa categoria. O filme conta a origem de Scott Lang como o herói diminuto, e a passagem de manto de Hank Pym para uma nova geração de heróis.

O filme traz mudanças muito grandes em relação aos personagens nos quadrinhos, o que gerou um certo desconforto dos fãs na época das filmagens, mas logo foi perdoado por conta de uma trama doce e familiar, mas sem esquecer a aventura e o bom-humor pelo qual a Marvel consolidou seu Universo Cinematográfico.

Imagem de capa do item

Batman: O Retorno

Ainda que o filme seja sucedido por duas das maiores atrocidades da história das adaptações de quadrinhos, Batman: O Retorno é, até hoje, aclamado como o melhor filme da série iniciada por Tim Burton, inspirada no Homem-Morcego.

O filme continua o excelente trabalho de Burton visto no primeiro da franquia, mas incorpora aspectos próprios do diretor, como o cenário gótico, com influências de expressionismo alemão, além de uma estética do absurdo que casa muito bem com a trama original do roteiro de Daniel Waters.

Imagem de capa do item

Guardiões da Galáxia

Antes de 2014, a Marvel sabia muito bem fazer filmes de ação com pitadas de comédia. Após a estreia de Guardiões da Galáxia, ela provou também saber fazer o caminho inverso, criando uma comédia com pitadas de ação.

Com uma trama bem afastada do material fonte, o filme trouxe um grande apelo para a equipe, que teve uma das maiores ascensões nos quadrinhos ocasionadas pela sua versão cinematográfica.

Imagem de capa do item

Homem de Ferro

Um caso extremamente diferente e indispensável para a Marvel nos cinemas, Homem de Ferro é um filme quase experimental, sendo gravado enquanto nem mesmo o roteiro estava totalmente concluído.

A história busca recontar a origem de Tony Stark em um viés mais moderno, e consegue fazer bem isso. Com leves influências de O Demônio na Garrafa, o filme consegue não apenas gerar uma ovação mundial em cima do personagem, como também dar início de forma decente a todo o Universo Cinematográfico da Marvel.

Imagem de capa do item

Homem-Aranha 2

Seguindo o exemplo do item anterior, Homem-Aranha 2 é um filme novo e com um frescor inigualável, apesar de trazer pequenas influências de arcos consagrados dos quadrinhos, como Homem-Aranha Nunca Mais.

O segundo filme da trilogia de Sam Raimi é, até hoje, considerado o melhor filme do personagem já feito, e figura entre as melhores adaptações de quadrinhos, trazendo a ameaça do Doutor Octopus bem diferente de como ele é nas HQs, mas com uma personalidade e uma interpretação muito dignas.

Imagem de capa do item

Superman: O Filme

O "pai" de todos os grandes filmes de super-heróis, o primeiro Superman de Richard Donner é possivelmente o filme baseado em quadrinhos mais aclamado de todos os tempos. E grande parte disso se deve à sua premissa nova, porém que exalava os quadrinhos do personagem por todos os poros.

Divulgado com a tagline "Você vai acreditar que um homem pode voar", o filme faz exatamente isso, trazendo uma história potente para o personagem, e cuja lembrança afetou uma geração inteira.

Imagem de capa do item

Os Vingadores

Os filmes já haviam contado as origens de cada um dos membros principais. Era hora de conhecermos a origem da equipe que se tornaria o carro-chefe do Universo Marvel. E o filme que os reúne não poderia fazer isso de modo mais digno.

Os Vingadores incorpora um pouco da origem clássica dos personagens com elementos do Universo Ultimate, gerando uma história completamente nova e original, mas que parece muito bem ter saído das páginas de uma grande epopeia nos quadrinhos.

Imagem de capa do item

X-Men: Primeira Classe

Com uma formação completamente nova e que não chega nem perto de se assemelhar à Primeira Classe dos quadrinhos, a prequel dirigida por Matthew Vaughn é, ao lado de X-Men 2 - que só não está na lista por ser uma visível adaptação de "Deus ama, o homem mata" - o melhor filme da equipe mutante já feito.

O longa sabe trazer uma aproximação dos mutantes para a realidade, com um design de produção fantástico que recria com fidelidade os anos 60 e a tensão da Guerra Fria em seu auge. Além disso, ele se preocupa não apenas em contar a origem dos X-Men, que na verdade, fica em segundo plano, afinal, o foco é explicar o início da rivalidade entre Magneto e Charles Xavier.

Imagem de capa do item

Batman: O Cavaleiro das Trevas

Apesar do nome do filme fazer referências a uma das maiores obras-primas do Batman nos quadrinhos, O Cavaleiro das Trevas surgiu como uma obra que fundamentou o personagem no realismo sombrio de Christopher Nolan, em uma trama que conta com dilemas políticos e sociais muito bem escritos e amarrados.

O longa é como uma história frenética, com múltiplos clímax em sua estrutura, trazendo os personagens desse universo para uma aproximação de hiperrealidade muito grande. Suas atuações são inteligentíssimas e bem orquestradas pela mão sagaz de Christopher Nolan, com destaque para os vilões do filme.

Imagem de perfil
Gus Fiaux

Formado em Cinema e Audiovisual pela UFPE. Crítico, roteirista e mago nas horas vagas. Demon to some... angel to others (ele/dele) || @gus_fiaux