Capa da Publicação

10 franquias que Hollywood precisa abandonar!

Por Gus Fiaux

Hollywood é um antro de ideias repetidas, e isso não há como negar. A base do mercado cinematográfico norte-americano reside nas adaptações, franquias remakese isso já data de muito tempo. No entanto, às vezes, os estúdios passam da conta e exageram no que deveria constituir uma franquia.

Com séries de filmes que parecem intermináveis e incontáveis sequências, reboots, prequels e spin-offs, há algumas sagas de filmes que deveriam apenas encontrar seu fim. E aqui, selecionamos dez entre elas: as franquias que Hollywood deveria simplesmente abandonar!

Créditos: Divulgação

Imagem de capa do item

Indiana Jones

Não há como negar que Indiana Jones é um marco para o cinema, trazendo a aventura para as telonas graças à Lucasfilm. A trilogia original é divertida e cheia de momentos memoráveis, mas O Reino da Caveira de Cristal, o quarto longa, não agradou muito os fãs, apesar de suas qualidades.

Ainda assim, muito se fala em um quinto filme que viria para fazer a despedida de Harrison Ford do papel de Indy. Mas fica a pergunta: é realmente necessário? A saga já é tão consolidada e bem-construída que honestamente não precisa de um reboot ou mais sequências, e pode descansar em paz na memória dos fãs.

Imagem de capa do item

Jurassic Park/Jurassic World

Outra franquia muito importante desde sua criação, Jurassic Park sofreu com a sina das continuações desde o início. O primeiro filme é verdadeiramente espetacular, mas suas continuações... nem tanto. Eis que em 2015, a Universal decidiu dar continuidade à saga através de Jurassic World: O Mundo dos Dinossauros.

O longa fez um grande estouro de bilheteria, mas foi considerado por muitos como um repeteco do original. Sua sequência, Reino Ameaçado, acabou sendo bem polarizado, com muitos que amaram e outros que odiaram. Um sexto filme está vindo aí para encerrar a nova trilogia e reunir personagens da saga original, mas depois que ele sair, é melhor que a franquia seja extinta.

Imagem de capa do item

Caça-Fantasmas

Verdade seja dita, Os Caça-Fantasmas nunca foi lá um grande filme. Certamente, é uma obra divertida e que retém todo o charme típico da década de 80. Mas não passa de uma diversão à la Sessão da Tarde. O segundo filme, de 1989, já foi bem criticado por não trazer muita coisa nova e se prender a um humor muito caricato.

Quando a franquia ganhou um reboot em 2016, uma grande parte dos fãs começou a se doer por conta da equipe feminina. O longa acabou fracassando nas bilheterias, e agora teremos Caça-Fantasmas 3 - que mais parece uma "resposta" ao reboot do que um longa verdadeiramente planejado. Talvez seja a hora de deixar para lá.

Imagem de capa do item

Jogos Mortais

Jogos Mortais sofre uma sina muito frequente nos filmes de horror: trata-se da franquia que nunca consegue chegar ao fim. A cada novo lançamento, temos a promessa de que será "o último capítulo da saga", apenas para, poucos anos depois, voltarmos ao cinema e vermos outro filme, que tenta criar mais coisas mirabolantes na mitologia.

O longa mais recente foi Jogos Mortais: Jigsaw - massacrado pela crítica como vários dos seus antecessores -, que parece querer abrir as portas para uma nova franquia. No entanto, com tantas outras sagas de horror melhores no cinema, seria melhor que esta fosse deixada na geladeira, pelo menos por uns vinte anos.

Imagem de capa do item

Alien

Ridley Scott é um cineasta irregular. Ele transita entre a genialidade ímpar e a superficialidade que não se espera de um diretor de seu calibre. E a primeira coisa a demonstrar esse declínio em sua carreira foi a franquia Alien. Com dois primeiros filmes excelentes, ela caiu nos moldes do horror e produziu duas sequências bem aquém do esperado.

Para piorar - e muito -, tivemos os crossovers com Predador - outra franquia que precisa chegar ao fim -, e agora, estamos na era de Prometheus e Covenant, dois filmes que até agradaram a crítica, mas deixaram muito a desejar para os fãs e sequer chegam aos pés do que O Oitavo Passageiro ou O Resgate foram, um dia.

Imagem de capa do item

O Exterminador do Futuro

Pior do que quando há uma franquia fazendo sequências com qualidade menor que o original, é quando Hollywood parece não aprender com os próprios erros. O Exterminador do Futuro é um exemplo digno disso - que pode até nos surpreender com seu próximo lançamento, mas que não anima ninguém a ir vê-lo no cinema.

Os dois primeiros filmes são obras-primas, mas desde o terceiro, a saga só encontra decepções, seja com A Rebelião das Máquinas, A Salvação ou Genêsis (o pior do trio). Por mais que o sexto, intitulado Destino Sombrio, venha para continuar a trama do segundo, essa seria uma franquia melhor se estivesse já aposentada.

Imagem de capa do item

Transformers

Dentre as franquias mais lucrativas e mais odiadas da atualidade, nenhuma supera Transformers. O que Michael Bay fez com a saga foi irredimível, com cada filme superando o outro no nível de ruindade, seja pela ação completamente desconexa e sem sentido ou pelos personagens rasos e pelo humor de quinta categoria.

Tudo bem que Bumblebee foi um filme genuinamente bom, respirando um novo ar para a saga e servindo de reboot para a série de filmes. Mas ainda assim, o filme repete o plot dos anteriores, e nós já estamos cansados de ver a mesma trama se repetindo em todos os filmes, com os mesmos Autobots contra os mesmos Decepticons.

Imagem de capa do item

Velozes & Furiosos

Velozes & Furiosos é uma saga controversa. Por mais que os primeiros filmes sejam massacrados pela crítica, os fãs os preferem em vez dos mais atuais, que são carregados de CGI, tramas mirabolantes e um dramalhão sem fim. Agora, estamos prestes a testemunhar o nascimento do primeiro spin-off da franquia, batizado de Hobbs & Shaw.

E por mais que esses filmes façam um dinheiro descomunal e realmente sejam divertidos, a repetição já está nos exaurindo. Assim como Transformers, todo filme parece seguir a mesma fórmula - e para ser sincero, a saga parece estar ruindo a cada dia, com novas tretas, brigas e confusões surgindo no elenco.

Imagem de capa do item

Piratas do Caribe

Por incrível que pareça, Piratas do Caribe nem sempre foi esse desastre todo que já esperamos todos os anos. A trilogia original da franquia é divertida e cheia de momentos épicos de ação, além de contar com personagens carismáticos e uma história bem desenvolvida. O problema começou com o quarto longa, Navegando em Águas Misteriosas.

A partir daí, Jack Sparrow de fato virou a peça central da trama, e os longas começaram a ficar cada vez mais caricatos por ordem de Johnny Depp. Agora, sabemos que o ator vai sair da franquia e a Disney planeja um reboot, e embora a ideia seja interessante, talvez fosse melhor investir em alguma outra franquia que não recebeu a Marca Negra de Hollywood.

Imagem de capa do item

Monstros da Universal

Em primeiríssimo lugar da lista, está a prova nítida de que Hollywood adora insistir no erro. Quem conhece o histórico dos filmes de terror, sabe que os Monstros da Universal são parte integrante da cultura de horror cinematográfica. Não é à toa que o estúdio quer muito fazer sua versão contemporânea desse universo compartilhado.

No entanto, as duas tentativas de iniciar essa franquia - Drácula: A História Não Contada e A Múmia - foram desastres colossais. E ainda assim, a Universal continua com a ideia de recriar essa saga, num eterno "agora vai". Com sorte, se na terceira tentativa der errado, eles podem repensar a estratégia e decidir deixar para lá.

Imagem de perfil
Gus Fiaux

Formado em Cinema e Audiovisual pela UFPE. Crítico, roteirista e mago nas horas vagas. Demon to some... angel to others (ele/dele) || @gus_fiaux