Capa da Publicação

10 formas que Vingadores: Guerra Infinita pode afetar as séries de TV da Marvel!

Por Gus Fiaux

Atenção: Alerta de Spoilers!

Nenhum filme jamais foi ou será tão impactante para o Universo Cinematográfico da Marvel quanto Vingadores: Guerra Infinita. O longa veio para mudar o status quo de uma franquia consolidada há dez anos, e deve ter seus efeitos sentidos nos próximos longas do estúdio. Mas é claro que isso nos deixa com um pensamento fervoroso: e como ficarão as séries de TV?

Nesta lista, tentamos fazer uma série de teorias e especulações de como as séries podem ser afetadas pelos acontecimentos do filme, direta ou indiretamente. Separamos dois blocos principais: um de teorias a respeito do modo de exibição das séries, e um segundo que entra em detalhes maiores sobre a narrativa do filme e suas consequências no universo televisivo da Casa das Ideias.

Créditos: Divulgação

Imagem de capa do item

Antes do Titã Louco...

A começar por Luke Cage e Manto e Adaga, as próximas séries a ganharem uma temporada nesse universo compartilhado, a Marvel Television pode apostar no seguro de uma forma bem simples: dizendo que os eventos mostrados até o lançamento de Vingadores 4 se passam antes da Guerra Infinita.

Isso possibilitaria a falta de menção aos eventos do filme, já que provavelmente o segmento televisado não foi alertado sobre as consequências do longa. E como a maior parte das séries não é presa ao senso de continuidade dos filmes, isso seria bem mais consistente com a narrativa desse universo. Por outro lado, há soluções que podem levar em conta o estalar de dedos do Thanos...

Imagem de capa do item

Temporadas "adiadas"

Uma ideia mais interessante talvez seja segurar algumas séries para serem lançadas apenas após Vingadores 4, quando os eventos da Guerra Infinita serão - possivelmente - revertidos. Séries lançadas semanalmente ou em emissoras de TV, como Fugitivos, da Hulu, poderiam seguir esse método, até porque as filmagens ainda não têm data para começar oficialmente.

Com esse "adiamento", podemos ter duas soluções diferentes: ou as séries reconhecem os eventos do filme, e abordam suas monumentais consequências, ou então acabam se focando nos efeitos causados pela sequência, sem precisar entrar em detalhes sobre a invasão do Titã Louco na Terra ou as repercussões mais diretas de seu plano para trazer equilíbrio ao universo.

Imagem de capa do item

O famoso tie-in

Aliás, uma baita sugestão que poderia servir bastante para a coesão desse universo é explorar um conceito muito comum nas histórias em quadrinhos: o tie-in. Trata-se de uma história de um personagem individual atrelada ao desenvolvimento de uma grande saga ou evento. Por exemplo, revistas do Homem-Aranha que complementam os eventos retratados na Guerra Civil.

Nas séries, isso poderia funcionar com temporadas à parte. Por exemplo, uma temporada de Os Defensores que lidaria diretamente com a invasão de Nova York ou a morte de metade da população na cidade. Em Agentes da S.H.I.E.L.D., os efeitos podem ser ainda maiores, já que a sexta temporada poderia cumprir o sonho dos fãs, interligando a série aos filmes.

Imagem de capa do item

Séries posteriores a Vingadores 4

Por outro lado, sabemos que a Marvel TV já está planejando várias novas séries para o futuro, como Novos Guerreiros e outras produções que ainda não foram reveladas. Como essas séries ainda não possuem uma data de lançamento confirmada, uma possibilidade seria iniciá-las de fato após Vingadores 4, já aderindo-as ao novo status quo do UCM.

Isso ajudaria a dar um senso de um "novo começo" para a Marvel na TV, algo que Kevin Feige e os cineastas envolvidos nos filmes já disseram estar nos planos para a Fase 4 em diante. Ao dar início a uma série após Vingadores 4, podemos ter uma noção ainda maior de expansão do UCM, e fazer com que as narrativas derivem diretamente dos acontecimentos do cinema, como foi com Os Vingadores para Demolidor.

Imagem de capa do item

Participações no cinema

Finalizando os blocos "estruturais" desta lista, já que somos fãs e isso significa que não cansamos de nos iludir, os efeitos de Vingadores: Guerra Infinita podem acabar interferindo na vida dos heróis das séries de forma que eles possam aparecer, ainda que brevemente em Vingadores 4. Estamos sendo trouxas pensando nisso? Provavelmente sim, mas como eu disse, ser fã é sempre se iludir.

Claro que isso não precisa afetar diretamente todas as séries, mas apenas aquelas que têm uma maior relevância - ou seja, o bloco dos Defensores na Netflix e Agentes da S.H.I.E.L.D. (que já está tomando forma com Phil Coulson retornando aos cinemas em Capitã Marvel). Os personagens não precisam aparecer direto na ação, mas seria legal ver rostos familiares retornando à vida quando os Vingadores finalmente vencerem.

Imagem de capa do item

O impacto em Nova York

Agora, nos aprofundando nas consequências narrativas que o filme pode ter nas séries, podemos citar a conexão mais óbvia, que inclusive já foi mencionada através de Agentes da S.H.I.E.L.D.: os efeitos da invasão de Fauce de Ébano e Estrela Negra no centro de Nova York, quando chegam para enfrentar o Doutor Estranho em busca da Joia do Tempo.

Claro que abordar a aparição dos dois capangas de Thanos demandaria recursos que as séries não têm, mas há outras soluções mais simples e práticas, como mostrar Luke Cage ou o Punho de Ferro tentando evacuar a população local, enquanto ninguém sabe muito bem o que está acontecendo. E isso poderia ser construído de forma que fique até mais independente do filme, e componha a narrativa própria das séries.

Imagem de capa do item

De olho no espaço

Quando Desafio Infinito foi publicada originalmente, na década de 90, afetou as HQs contemporâneas da Marvel de forma que vários personagens periféricos, como Manto e Adaga ou o Sonâmbulo tivessem suas vidas afetadas. Em vez de partirem direto para o confronto com Thanos, eles voltaram suas atenções para o espaço.

O que quero dizer com isso? Que séries como Fugitivos e outras podem ter apenas um background espacial, da mesma forma que Agentes da S.H.I.E.L.D. teve uma ambientação mística com o Motoqueiro Fantasma na época do lançamento de Doutor Estranho. Isso não significa que eles precisem ir necessariamente ao espaço, mas podem ter aliados e inimigos cósmicos, como Xavin e os Skrulls, por exemplo.

Imagem de capa do item

Do pó veio, ao pó voltarás...

A escolha mais óbvia, no entanto, e que logo mais descobriremos com o último episódio da quinta temporada de Agentes da S.H.I.E.L.D., é justamente explorar o sumiço de metade do universo dentro do elenco regular de cada série. Afinal de contas, com 50% do universo morto, é impossível que esses personagens não sejam afetados.

Seria corajoso ver alguns personagens principais, como o Punho de Ferro ou Jessica Jones virando pó, pondo em questão o futuro de suas séries solo, assim como a morte do Pantera Negra ou do Homem-Aranha afetou os cinemas - por mais que saibamos que eles vão retornar, de alguma forma.

Imagem de capa do item

O peso das mortes

Outra repercussão plausível do item anterior é explorar não apenas os personagens, mas também o contexto onde estão inseridos. Tome como exemplo a série The Leftovers. Quando uma pequena porcentagem da população desaparece misteriosamente, acompanhamos um personagem que ficou, e cujo círculo próximo de pessoas também não foi afetado. Ainda assim, sua vida passou por mudanças drásticas.

As séries conseguiriam explorar isso, ainda mais no âmbito urbano, como em Luke Cage ou em Punho de Ferro - especialmente em um cenário onde o herói é reflexo de uma comunidade. Isso também pode interferir em séries que lidam com temas mais políticos e sociais, como a vindoura Manto e Adaga.

Imagem de capa do item

Separação completa da TV e do cinema

Por fim, nos resta a opção mais desagradável, mas que resolveria, pelo menos, mais da metade dos problemas referentes à falta de conexão entre os filmes e séries do Universo Cinematográfico da Marvel: com Guerra Infinita, os produtores finalmente desistem de criar qualquer tipo de ligação, desatrelando o núcleo das séries ao mesmo universo dos filmes.

Pode parecer uma opção muito drástica, mas se considerarmos que séries recentes como Fugitivos, Inumanos e Justiceiro sequer tentaram estabelecer ligações, isso se torna uma opção possível dentre as várias outras mencionadas. E com S.H.I.E.L.D. mergulhando nos universos alternativos, basta dizer que todas elas se passam em várias linhas cronológicas diferentes.

Imagem de perfil
Gus Fiaux

Formado em Cinema e Audiovisual pela UFPE. Crítico, roteirista e mago nas horas vagas. Demon to some... angel to others (ele/dele) || @gus_fiaux