Capa da Publicação

10 coisas que você precisa saber sobre a Guerra Civil!

Por Gus Fiaux

Traduzido e adaptado do WC.

*Contém spoilers!*

Imagem de capa do item

É tudo sobre identidades secretas

Nos quadrinhos, o principal motor da Guerra entre os superseres é a Lei do Registro. Após um grave acidente, o governo decide que os super-heróis devem se registrar. O Homem de Ferro e a SHIELD apoiam o governo, já o Capitão América luta contra, uma vez que isso restringiria a liberdade individual de cada um, e acaba formando seu grupo de Vingadores Secretos.

Nos filmes, a identidade secreta é praticamente inexistente, então o filme irá se basear, segundo Kevin Feige, em a quem os super-heróis devem obedecer.

Imagem de capa do item

Mocinhos e bandidos se tornam aliados

Durante a Guerra Civil, o pretexto ideológico fala mais forte que as dicotomia entre o bem e o mal. Sendo assim, vilões se juntam a heróis para lutarem contra heróis e vilões de lados opostos da lei.

O que é curioso no Universo Cinematográfico da Marvel, pois carece de vilões (especialmente os vivos) para tornar isso realidade.

Imagem de capa do item

O próximo passo da SHIELD

Nos quadrinhos, Fury deixa a SHIELD, que passa a ser comandada por Maria Hill (e ambos são quase antagonistas), e começa a ajudar os Vingadores de Rogers. Hill e a SHIELD são os instrumentos principais para a lei, uma vez que é por eles que os super-heróis devem se registrar.

Nos filmes, a relação Hill-Fury é amigável. Entretanto, o fato de Hill estar trabalhando para Stark no fim de Capitão América - O Soldado Invernal pode dar pistas sobre em qual lado ela deverá lutar na guerra. A maior questão nisso tudo é o papel da SHIELD, uma vez que eles ainda estão se reconstruindo lentamente, liderados por Phil Coulson.

Imagem de capa do item

MUITOS heróis

Além de vilões, o arco conta com uma infinidade de heróis. Afinal, quase todos os super-seres na Terra são afetados pela Lei do Registro. Isso faz com que a Guerra Civil tome proporções jamais vistas antes, e espera-se que nos filmes tenha o mesmo impacto.

Imagem de capa do item

O autor é Mark Millar!

Para aqueles que ainda não sabem, a Guerra Civil é uma criação de Steve McNiven e Mark Millar, o mesmo cara que ficou famoso por lançar Kick-Ass e Nemesis.

E o cara também é consultor cinematográfico da Marvel! - só que da parte da Fox, e não da Marvel Studios/Disney. Ele não teve nada a ver com a criação do universo cinematográfico da Marvel que conhecemos hoje, e está mais envolvido com o reboot do Quarteto Fantástico. Quem sabe a notícia da adaptação de sua grande obra não o faça mudar de lado?

Imagem de capa do item

O Homem-Aranha devia estar fortemente envolvido

Nos quadrinhos, a peça chave para o arco é o Homem-Aranha. De aliado do Homem de Ferro que acaba revelando sua identidade secreta a membro dos Vingadores de Steve Rogers, o herói acaba sendo um dos protagonistas da história.

Entretanto, o personagem atualmente é da Sony, e não temos nada confirmado acerca de planos para juntar os universos dos estúdios.

Imagem de capa do item

O tom

Não é o Hiddleston.

A verdade é que Guerra Civil é uma saga profunda e cujo tom é mais sombrio e realista, o que diverge um pouco do universo já estruturado nos quadrinhos e no cinema... nesse caso, até agora.

Capitão América 2 já mostrou que o mundo vem mudando. Que não é só de piadas que se faz um bom filme e que as tramas podem ser conduzidas de um modo sério sem parecerem ser feitas por Christopher Nolan. E o trailer de Vingadores 2 põe esse universo na mesma perspectiva...

Imagem de capa do item

É uma grande metáfora

Apesar de ser algo do mundo dos quadrinhos, a Guerra Civil é uma grande metáfora dos Estados Unidos após os ataques do 11 de setembro e a criação da Lei Patriótica. O próprio Mark Millar já admitiu isso.

E a questão política é algo que vem se agravando no Universo Cinematográfico desde o primeiro Vingadores (o conselho), passando por Homem de Ferro 3 (a manipulação da mídia e do governo por pessoas de fora), Capitão América - o Soldado Invernal (com a infiltração e os princípios da liberdade) até Vingadores 2 (que deve explorar a questão dos drones). É uma progressão interessante.

Imagem de capa do item

Tony Stark é um pouquinho babaca

Muitos dos leitores de Guerra Civil ficaram ao lado do Capitão América. E grande parte disso se deve ao fato de que o Homem de Ferro age quase como um vilão em toda a história.

Será algo difícil de ser explorado nos cinemas, uma vez que Robert Downey Jr. já construiu uma reputação forte para o personagem, diferente de quaisquer aspectos vilanescos até então.

Imagem de capa do item

Muitas pessoas vão morrer

Não há guerra sem baixas, e nos quadrinhos isso é mais do que óbvio. O próprio acidente que leva à Guerra Civil propriamente dita é carregado da morte de inocentes. Há, principalmente, uma morte que deve ser lembrada: a do Capitão América.

Se acontecesse nos cinemas, poderia ser a primeira morte duradoura do MCU. Ou pelo menos, mais duradoura que a de Coulson. Ou os 5 segundos que Gamora e o Senhor das Estrelas permaneceram inconscientes no vácuo do espaço em Guardiões da Galáxia.

Imagem de perfil
Gus Fiaux

Formado em Cinema e Audiovisual pela UFPE. Crítico, roteirista e mago nas horas vagas. Demon to some... angel to others (ele/dele) || @gus_fiaux