Capa da Publicação

10 coisas que queremos na terceira temporada de Jessica Jones!

Por Gus Fiaux

Em alguns meses, devemos nos reencontrar com Jessica Jones para sua terceira e última temporada. Sendo a série que vai dar encerramento ao núcleo da Netflix no Universo Cinematográfico da Marvel, a temporada terá que fazer jus à personagem e apresentar uma história satisfatória para todos os fãs.

Pensando nisso, separamos 10 coisas que queremos ver na terceira temporada de Jessica Jonesdesde retornos de personagens adorados, tramas mais ágeis e novos ares para a investigadora particular, que está mudando de vida desde o final do ano anterior da série!

Créditos: Marvel/Netflix

Imagem de capa do item

Ritmo frenético

Por mais que os fãs da série gostem das duas temporadas de Jessica Jones, não há como negar que um dos problemas que afligiu boa parte do público casual foi o ritmo lento. Se, na primeira temporada, isso contribui para que a narrativa "queime lentamente", na segunda, foi difícil passar dos seis primeiros episódios sem tirar aquele cochilo.

O terceiro ano da série poderia corrigir esses problemas, melhorando o ritmo da história, adicionando mais subtramas que levam à "questão central" da temporada, sem deixar de lado os ótimos momentos envolvendo Jessica e a Alias Investigações, mas deixando a trama mais ágil e com mais consequências.

Imagem de capa do item

Mudança de ares

Nos dois primeiros anos, acompanhamos Jessica Jones em uma vida torturada, depressiva e regada a álcool. No entanto, ao final da segunda temporada, vimos uma leve mudança de ares para a protagonista, que aceitou a ideia de que pode ser feliz, inclusive apostando em um relacionamento com seu novo vizinho, Oscar.

Com sorte, a terceira temporada vai aproveitar para mostrar mais dessa "nova vida" de Jessica. Não que a personagem não possa ter seus momentos trágicos e suas recaídas sombrias, mas faz parte do desenvolvimento da investigadora perceber que ela pode viver uma vida luminosa, sem tanto apego a fantasmas do passado como Kilgrave.

Imagem de capa do item

O retorno do Homem-Púrpura

Por outro lado, os fãs adoraram a participação de Kilgrave na segunda temporada da série. Em vez de ressuscitar, ele foi revelado como um "fantasma" na consciência da protagonista, relembrando-a de como ela ainda pode trazer trevas para sua própria vida, ao tomar decisões moralmente questionáveis.

Embora não precise aparecer o tempo todo, o vilão poderia retornar dessa mesma forma no terceiro ano de Jessica Jones. Isso acrescentaria mais camadas à personalidade da investigadora, ao mesmo tempo que mostraria como ela está tentando se livrar desses demônios internos em uma jornada de auto-descoberta e aceitação.

Imagem de capa do item

Uma "nova" vilã

Nos dois anos anteriores, Jessica Jones precisou enfrentar ameaças sobre-humanas. De um lado, Kilgrave era um manipulador capaz de fazer com que a heroína fizesse qualquer coisa que ele falasse. Do outro, Alisa - a mãe da personagem - era mais uma antagonista do que vilã, mas lidava com crises de raiva aliados à sua super-força sobre-humana.

No terceiro ano, a heroína poderia enfrentar alguma ameaça mais "humanizada". Particularmente, minha aposta seria a Mary Tifóide, apresentada na segunda temporada de Punho de Ferro. Isso não apenas traria uma inimiga mais "realista" para a investigadora, como também fecharia as pontas soltas da história da vilã com múltiplas personalidades.

Imagem de capa do item

Velhos hábitos nunca morrem

Ao longo dos anos anteriores, aprendemos a amar e odiar Jeri Hogarth. A advogada já provou que pode ser o diabo, tomando decisões completamente contrárias ao que consideramos "certo". Ainda assim, ela sabe ser uma ótima aliada quando quer. Vale mencionar que seu arco foi uma das melhores coisas da segunda temporada da série.

Não sabemos ao certo o que esperar da personagem na terceira temporada de Jessica Jones, mas ela poderia ter ainda mais espaço, convivendo com sua doença e tornando-se uma pessoa disposta a corrigir erros do passado. Por outro lado, não queremos que ela se torne "boazinha", já que a grande qualidade da personagem é justamente ser moralmente ambígua.

Imagem de capa do item

A nova vida de Malcolm

No segundo ano de Jessica Jones, acompanhamos a jornada de Malcolm Ducasse, deixando de ser um "assistente" da investigadora para se tornar um detetive particular a serviço de Pryce Cheng. Por sorte, isso significa que o personagem terá sua própria jornada na terceira temporada, talvez até mesmo rivalizando com sua antiga amiga.

A trama pode mostrá-lo como um investigador em ascensão, procurado por grandes clientes. No meio da história, ele pode até vir buscar ajuda de Jessica para resolver algum caso muito bizarro, o que o levaria a confrontar a quebra de confiança que os dois tiveram no fim do segundo ano.

Imagem de capa do item

O despertar da Felina

Se tivemos uma grande decepção com a segunda temporada da série, claramente foi Trish Walker, a grande amiga (e "irmã de criação") de Jessica Jones, que passou por problemas, se tornou viciada em drogas e assassinou Alisa Jones, rompendo irreparavelmente sua amizade com a investigadora particular.

Felizmente, ela ao menos ganhou super-poderes, e o terceiro ano da série pode mostrá-la seguindo o caminho dos vigilantes e se tornando a Felina. Isso faria com que ela ganhasse mais destaque e até embarcasse em uma jornada de redenção, talvez se unindo novamente à Jessica e provando que pode ser uma pessoa melhor.

Imagem de capa do item

Mais investigações

Uma das melhores peculiaridades de Jessica Jones, que torna a produção diferente de outras séries e filmes de super-heróis, é o fato de que sua protagonista atua mais como uma detetive do que como uma super-heroína. Isso adiciona camadas à história e faz com que nem tudo seja preto-no-branco e maniqueísta.

Nas duas primeiras temporadas, no entanto, vemos Jessica investindo pouco nas investigações. Geralmente, temos apenas um grande caso que é dissecado ao longo da temporada, com algumas pequenas investigações avulsas. A terceira temporada poderia subverter isso, com vários mini-casinhos que acabam resultando em uma trama maior e surpreendente.

Imagem de capa do item

Romance indestrutível

Embora Oscar pareça o homem dos sonhos de Jessica Jones nesse momento, os fãs ainda reconhecem Luke Cage como o grande par romântico da heroína nos quadrinhos. Juntos, eles já fizeram parte dos Vingadores e inclusive possuem uma filha, a jovem Danielle Cage. Infelizmente, eles não se encontram na Netflix desde Os Defensores.

Talvez, parte da terceira temporada de Jessica Jones pode reconhecer o que aconteceu ao final da segunda de Luke Cage, mostrando o herói se tornando o "rei do Harlem" e trazendo Jessica como a responsável por impedi-lo de cometer atrocidades. Assim, quem sabe, a chama se reacende e eles podem finalmente terminar a história juntos, definitivamente.

Imagem de capa do item

O fim de uma era

Após os brutais cancelamentos de Demolidor, Punho de Ferro, Luke Cage e O Justiceiro, a terceira temporada de Jessica Jones será nosso último vislumbre dentro desse universo compartilhado das séries da Marvel na Netflix. Portanto, fica o dever de dar um encerramento de qualidade para essa franquia que nos deixou precocemente.

Uma possibilidade seria trazer o último episódio com várias ligações e referências aos demais heróis que integraram os Defensores. Quem sabe, até poderíamos ver o quarteto original se reagrupando para uma nova aventura ou uma pequena missão, apenas para dar aos fãs uma despedida apropriada.

Imagem de perfil
Gus Fiaux

Formado em Cinema e Audiovisual pela UFPE. Crítico, roteirista e mago nas horas vagas. Demon to some... angel to others (ele/dele) || @gus_fiaux