Capa da Publicação

Neal Adams, lenda dos quadrinhos da Marvel e DC, morre aos 80 anos

Por Chris Rantin

De acordo com o The Hollywood Reporter, Neal Adams, uma das maiores lendas dos quadrinhos, morreu aos 80 anos em decorrência de uma septicemia. Carregado com um estilo fotorealista, seu trabalho era marcante e cheio de vida, o que fez com que seus trabalhos — tanto na Marvel, quanto na DC — fossem memoráveis e querido por muitos.

Conhecido por ter modernizado o Batman durante os anos 1970, Neal Adams se consagrou como um dos maiores nomes da indústria. Foi ele o responsável por criar vilões como Morcego HumanoRa’s al Ghul e Talia, além de deixar o Coringa menos cômico, assumindo uma postura mais violenta e terrível.

Ainda na DC Comics, Adams também ficou famoso por trabalhar alguns arcos mais adultos nos quadrinhos em Lanterna Verde/Arqueiro Verde, discutindo o vício nas drogas, racismo e outras questões sociais importantes. Foi ele o responsável por criar Jon Stewart, o lanterna que se tornou um dos grandes heróis negros da editora.

Já na Marvel, Adams trabalhou em grandes histórias dos X-Men Quarteto Fantástico.

No auge do seu trabalho, Adams decidiu abandonar as grandes editoras e criar a Continuity Studios, focada em ajudar a lançar artistas indies no mundo dos quadrinhos. A partir deste ponto, ele se tornou mentor e uma grande influência para vários quadrinistas, ensinando e inspirando a nova geração de lendas.

Neal Adams se tornou um dos nomes mais memoráveis da indústria.

Além disso, Neal também ficou famoso por lutar pelos direitos dos criadores de quadrinhos, fundando com Stan Lee a Academia de Artes dos Quadrinhos, tentando criar um sindicato que lutaria por melhores direitos dos escritores e artistas desta área. Entretanto, como o THR lembra, Lee queria que a organização fosse mais parecida com a Academia do Oscar, o que fez com que os dois se separassem.

Apesar disso, Neal continuou na sua luta, conquistando muitos dos direitos e mudando práticas abusivas da indústria.

Josh Adams, filho do grande artista, disse:

“Meu pai era uma força da natureza. Sua carreira foi definida por um talento artístico sem comparação e um caráter inabalável que o levou a lutar constantemente por seus pares e por aqueles que necessitavam. Ele ficaria conhecido na indústria dos quadrinhos como um dos criadores mais influentes de todos os tempos, além de um lutador pelos direitos dos criadores. Quando ele via um problema, ele não hesitava. O que se tornaria histórias famosas das lutas que ele lutou, nasceram do meu pai simplesmente vendo algo errado enquanto caminhava pelos corredores da Marvel ou DC e decidindo fazer algo sobre isso ali mesmo.”

Neal Adams deixa sua esposa Marilyn, com quem foi casado por 45 anos, seus filhos, Jason, Josh Joel, Kris e Zeea, além de seis netos, um bisneto e uma legião de fãs.

Imagem de perfil
sobre o autor Chris Rantin

Jornalista • Editor • Mestrando em Comunicação pela UEL • Instagram e Twitter: @Chris_Rantin • "Eu sou o fogo e a vida encarnados. Agora e para sempre eu sou a Fênix!"