Governador da Califórnia é acusado de interferir a favor da Activision Blizzard em processo

Capa da Publicação

Governador da Califórnia é acusado de interferir a favor da Activision Blizzard em processo

Por Melissa de Viveiros

Desde julho do ano passado, a Activision Blizzard se viu envolvida em uma grande polêmica ao ser processada pelo Department of Fair Employment and Housing (Departamento de Trabalho e Habitação Justos, em tradução livre) do estado da Califórnia, nos Estados Unidos. Conhecida por títulos como Diablo Warcraft, a empresa foi acusada de manter um ambiente de trabalho tóxico, com casos de desigualdade salarial e até assédio sexual.

Agora, o caso voltou a chamar atenção diante da acusação de que o governo da Califórnia teria interferido na investigação para defender a desenvolvedora de jogos.

De acordo com a Bloomberg, a acusação foi realizada por uma advogada do estado da Califórnia, que trabalhava no departamento responsável pelo processo. Em um email aos funcionários, Melanie Proctor afirmou que estava se demitindo em protesto após sua chefe, Janette Wipper, ser abruptamente demitida pelo governador. Ambas haviam deixado o processo da Activision anteriormente em abril, sem justificativa para tal.

Em seu email, Proctor relata que nas últimas semanas, o Governador da Califórnia, Gavin Newsom, bem como seu gabinete, começaram a interferir no processo. Parte do email diz:

“O Gabinete do Governador exigiu repetidamente notificações antecipadas de estratégias de litígio e dos próximos passos do litígio,” Ela escreveu. “Conforme continuamos a vencer na corte estadual, essa interferência aumentou, repetindo os interesses do conselho da Activision.”

A advogada também afirmou que sua chefe, Wipper, teria “tentado proteger” a independência do órgão, motivo pelo qual teria sido demitida. Como consequência, Proctor optou por se demitir em protesto, além de expor a situação. Uma representante de Wiper afirmou que ela está avaliando os recursos legais que pode utilizar diante de sua demissão indevida.

Por sua vez, representantes do Governador Newsom refutaram as alegações, dizendo que “as acusações de interferência por parte do nosso gabinete são categoricamente falsas”. Além disso, o gabinete afirmou que “continuará a apoiar o DFEH em seus esforços para lutar contra todas as formas de discriminação e proteger or californianos”.

O campus da Blizzard em Irvine, na Califórnia.

A situação deve complicar o estado do processo, que está aguardando julgamento pelo Tribunal Superior de Los Angeles. Além do processo, o caso levou a diversas manifestações por parte dos funcionários da Activision Blizzard, que realizaram protestos e fizeram exigências para mudanças no ambiente de trabalho.

Recentemente, um processo semelhante promovido pelo U.S. Equal Employment Opportunity Commission (Comissão de Oportunidade Igual de Emprego dos E.U.A., em tradução livre) terminou com um acordo no qual a Activision precisou pagar uma indenização de $18 milhões de dólares.

Os advogados da Califórnia tentaram bloquear a decisão, mas acabaram sendo impedidos por um juiz federal. A decisão foi duramente criticada, já que o valor foi considerado muito baixo para uma empresa do tamanho da Activision. A título de comparação, no ano passado um processo de discriminação contra a Riot Games, desenvolvedora de League of Legends, levou a empresa a pagar $100 milhões de dólares em um acordo, apesar de a empresa ser bem menor que a Activision.

Veja também:

Imagem de perfil
sobre o autor Melissa de Viveiros

Editora. Graduanda em Letras na UFMG. Elfa noturna em Azeroth, Au'Ra em Eorzea, apoiadora da Casa Martell em Westeros, LoLzeira noxiana e grisha etherealki. Fã de coisas demais e sempre hiperfocada em algo diferente. || @windrunning_