Capa da Publicação

Zack Snyder nega que seus filmes tenham uma agenda política de direita

Por Leo Gravena

Zack Snyder é um cineasta bastante divisivo, boa parte de seus filmes são amados por uns e odiados por outros, contudo, uma das críticas sobre seus trabalhos é a tendência de que ele possui vários subtextos de politicas de direita em seus filmes. Agora, o diretor rebateu essas teorias.

Em Homem de Aço, os fãs viram Jonathan Kent influenciando seu filho a colocar suas necessidades antes das dos outros, enquanto em 300 o exército espartano lutam por liberdade individual ao invés de poder, como seria na época. Um dos momentos mais comentados, contudo, é em Madrugada dos Mortos, nos quais, ao mostrar como o mundo se tornou um local terrível e assustador devido os zumbis – no meio de várias cenas de morte e destruição – o diretor inseriu uma cena de vários homens muçulmanos rezando.

Recentemente, Snyder também disse que queria adaptar “Vontade Indômita”, um livro bastante amado nos círculos de direita, porém, segundo o diretor, seria difícil adaptar a história no atual momento político do mundo.

Em uma recente entrevista com o The Guardian, o diretor de Army of the Dead foi perguntado se seus filmes possuem uma agenda política de direita, ao que ele respondeu:

“Eu voto democrata! Eu sou um verdadeiro amante de direitos individuais. Eu sempre fui um defensor dos direitos das mulheres e do direito de uma mulher de escolher, eu sempre estive  cercado de mulheres fortes e, é claro, sou um grande defensor dos direitos de todas as etnias e todo caminho da vida. Eu diria que sou um cara bem liberal. Eu quero ter certeza de que todo mundo é ouvido e todos se sintam incluídos. Eu não tenho uma agenda política de direita. Pessoas veem o que querem ver. Para mim, isso nunca foi o ponto”.

Zack Snyder durante as gravações de Army of the Dead

Confira também:

Imagem de perfil
sobre o autor Leo Gravena

Editor | @LeoGravena
"...It was never going to be okay..."