Capa da Publicação

O Esquadrão Suicida: David Ayer reage a tuíte de James Gunn sobre versão para maiores

Por Camila Sousa

Os filmes inspirados em HQs se tornaram muito populares na última década, mas demorou um tempo até os estúdios investirem em produções para maiores de 18 anos, já que tinha-se a ideia de que o público jovem era o maior responsável pela bilheteria. No entanto, o resultado positivo de longas como Deadpool e Logan fizeram os estúdios se arriscarem mais, chegando até O Esquadrão Suicida de James Gunn.

Em um post nas redes sociais, o cineasta comemorou o fato da Warner/DC não ter questionado em nenhum momento sua ideia de fazer um filme com censura 18+, afirmando que sempre foi sincero com os colegas de trabalho e, uma vez que as regras foram definidas, eles começaram o trabalho:

A declaração, no entanto, parece ter irritado David Ayer, diretor da primeira versão do Esquadrão Suicida, lançada em 2016. Retuitando a declaração, o cineasta escreveu “dang”, uma declaração em inglês semelhante a algo como “caramba”, que indica descontentamento.

Ao ver a reação que seu post gerou, James Gunn se apressou em explicar que muita coisa mudou no comando do estúdio desde então, e afirmou que os problemas que Ayer passou “abriram caminho” para que a nova produção pudesse ser feita.

Com US$ 746 milhões arrecadados na bilheteria mundial, o longa de 2016 foi muito criticado por sua versão final. Já o diretor David Ayer afirmou que o estúdio interferiu bastante no corte do filme, e que muita coisa que ele pensou e filmou foi cortada.

Quando Zack Snyder conseguiu soltar sua versão de Liga da Justiça, Ayer começou uma campanha para conseguir o mesmo, mas a Warner descartou a ideia.

E você, acha que o Esquadrão Suicida de 2016 foi injustiçado? Comente abaixo e veja também:

Imagem de perfil
sobre o autor Camila Sousa

Jornalista por formação e nerd por natureza. Fã de diversos mundos fantásticos por aí e criadora do podcast Podcakes | @cakes_sousa no Twitter e Instagram