Capa da Publicação

Loki: Sophia Di Martino comenta a importância da representatividade na série

Por Gabriel Mattos

A série Loki é cheia de revelações impactantes, mas nenhuma tão importante quanto a confirmação da bissexualidade do Deus da Trapaça. Para a atriz Sophia Di Martino, que interpreta a Sylvie na produção, foi uma grande honra poder participar desse grande marco do MCU.

Conversa importante

Nos quadrinhos, Loki é descrito como um personagem pansexual, isto é, alguém que sente atração por pessoas independente de seu gênero. Mas essa faceta do Deus da Trapaça nunca foi representada nos cinemas até a estreia da série do Disney+.

Em uma conversa sincera com Sylvie em um bar, ambos acabam confirmando sentirem atração tanto por homens, quanto mulheres. Di Martino confessou ao Entertainment Tonight sua felicidade ao gravar esta sequência.

“É absurdamente importante para mim, e para tantas pessoas. Representação é algo tão poderoso e estamos esperando há tanto tempo. E eu tenho muito orgulho de ter feito parte de Loki — finalmente — se declarar bi.”

Loki e Sylvie conversam sobre suas histórias de vida.

Orgulho Asgardiano

Sua sexualidade é confirmada em uma cena do terceiro episódio, “Lamentis“, em que o anti-herói tenta escapar de um planeta a beira da extinção, junto de Sylvie.

A revelação se tornou ainda mais emblemática por acontecer durante o mês de junho, quando é comemorado o Mês do Orgulho LGBTQIA+. E não foi apenas a bissexualidade de Loki que entrou para o cânone do universo cinematográfico.

Graças a sua ficha de presidiário ao ser entregue a AVT, Loki também foi confirmado como uma pessoa de gênero fluido, uma das identidades dentro do espectro não-binário. O que você achou da representatividade da série? Não deixe de comentar!

Fique com:

Imagem de perfil
sobre o autor Gabriel Mattos

Redator que joga mais Switch do que deveria e já leu todo o novo cânone de Star Wars, até os livros ruins. • @gabeverse