Capa da Publicação

Loki: Série tem referência musical ao primeiro filme dos Vingadores

Por Melissa de Viveiros

Loki certamente está trabalhando para mover as tramas do Universo Marvel adiante, mas vem apresentando muitas referências e menções ao passado também. Alguns desses elementos são bastante óbvios e diretos, como o momento em que o protagonista vê eventos importantes de Thor: Mundo SombrioVingadores: Guerra Infinita. Outros, no entanto, são bastante sutis, como é o caso da conexão musical entre a série e o filme em que o Deus da Trapaça foi o grande vilão (via CBR).

Durante a cena em que ele está em um elevador com o agente Mobius, é possível ouvir um trecho do Quarteto de Cordas Nº 13 em Lá menor, também conhecido como Quarteto Rosamunde. A obra foi composta por Franz Schubert, e já apareceu anteriormente no MCU, mais especificamente em Vingadores.

O momento ocorre na Alemanha, após Loki tomar o controle do Gavião Arqueiro, bem como de outros agentes da S.H.I.E.L.D. Precisando de um meteorito de irídio para estabilizar sua invenção e trazer o exército dos Chitauri para a Terra, ele vai até a Europa, invadindo um evento para conseguir acesso ao cientista de quem precisava.

Enquanto Clint Barton vai atrás do alvo, o vilão entra na festa, onde a mesma canção pode ser ouvida. Na cena, a música faz parte da construção do antagonista, combinando com a ambientação que demonstra seu poder e confiança. A trilha sonora sofre uma abrupta pausa, no entanto, quando Loki se volta para o cientista com a ameaça implícita em suas ações de que ele pretendia retirar o olho do homem. Apesar da crueldade sugerida, o personagem sorri enquanto os outros convidados fogem assustados.

Loki na Alemanha em Vingadores.

Ao ser colocada como música de fundo em um elevador após ter servido de trilha para um dos grandes momentos do protagonista da série como vilão, a canção parece propositalmente fazer graça às custas do personagem. Se anteriormente ela serviu de trilha para acentuar seu poder, ameaça e confiança, em sua segunda aparição a música destaca todas as derrotas que o personagem sofreu, satirizando seu poder em um local onde suas habilidades não são úteis.

Isso, porém, não o impede de continuar tentando se livrar da situação e levar a melhor. Loki tenta se colocar como superior ao agente, acreditando que sua inteligência e talento para esquemas podem tirá-lo da TVA mesmo que sua magia não possa. Nada disso afeta Mobius, que demonstra não somente não se importar, como também que tudo que o Deus da Trapaça fez anteriormente foi inútil. A música continua tocando ao fundo enquanto isso, somando ao modo como todas as ações anteriores do personagem são reduzidas, com suas derrotas sendo evidenciadas.

A jornada do protagonista está apenas no começo, mas ele já tem grandes planos para o futuro. Suas falhas não o impedem de almejar muito, e tendo visto os guardiões da Linha do Tempo Sagrada em prática, o personagem parece cada vez mais determinado a tomar seu futuro para si ao invés de permitir que outros decidam qual será seu caminho.

Os dois primeiros episódios de Loki estão disponíveis no Disney+.

Veja abaixo todos os easter-eggs e referências do segundo episódio:

Imagem de perfil
sobre o autor Melissa de Viveiros

Graduanda em Letras na UFMG. || What is infinite? The universe and the greed of men. || @windrunning_