Capa da Publicação

Liga da Justiça: Zack Snyder e Ray Fisher não queriam referência a animação dos Jovens Titãs no filme

Por Evandro Lira

O astro de Liga da Justiça, Ray Fisher, não queria que filme tivesse uma referência a animação dos Jovens Titãs, opinião apoiada por Zack Snyder. No entanto, a Warner Bros. tinha a ideia oposta e acabou obrigando o ator a filmar a cena.

Ao The Hollywood Reporter, Fisher contou que o bordão “Booyah” proferido por Ciborgue em um momento de Liga da Justiça causou desconforto nos bastidores do filme, isto porque o produtor Geoff Johns e executivos da Warner achavam que o bordão traria “uma sinergia divertida” à trama.

O bordão do Ciborgue foi introduzido na série animada dos Jovens Titãs e acabou sendo uma marca do personagem para muitos que acompanharam o desenho. Fisher diz que não vê a palavra em si como um problema, mas achava que ela não funcionaria em um filme live-action.

“Parecia estranho ter o único personagem negro dizendo isso”, diz Ray Fisher ressaltando que ninguém mais no filme tinha uma frase de efeito.

Ray Fisher como Ciborgue em Liga da Justiça

Confira um trecho da reportagem do THR:

Com as refilmagens em andamento, Fisher disse que Joss Whedon levantou a questão novamente: “Geoff me disse que Ciborgue tem um bordão”, disse ele. Fisher falou que expressou suas objeções e parecia que o assunto foi abandonado – até que Jon Berg, o copresidente da DC Films e produtor do projeto, o levou para jantar.

 

“Este é um dos filmes mais caros que a Warner já fez”, disse Berg, de acordo com Fisher. “E se o CEO da AT&T tiver um filho ou filha, e esse filho ou filha quiser que Ciborgue diga ‘booyah’ no filme e não fizermos isso, eu posso perder meu emprego.” Fisher respondeu que sabia que se filmasse a fala, ela acabaria no filme. E ele expressou ceticismo de que o destino do filme estava em Ciborgue dizendo “booyah”.

 

Quando ele chegou ao set, ele diz, Whedon esticou os braços e disse uma linha de Hamlet em tom de zombaria: “Fale o discurso, eu imploro, como eu o pronunciei para você.” Fisher respondeu: “Joss, não. Não estou com vontade.” Ao sair do set depois de dizer aquela palavra para as câmeras, Fisher ouviu Whedon gritar: “Bom trabalho, Ray.”

Em Liga da Justiça de Zack Snyder, lançado em março, Ciborgue não profere o tão polêmico “booyah”. Ao invés disso, o personagem ganhou um arco muito mais aprofundado do que na versão de 2017 do filme.

Fique com:

Imagem de perfil
sobre o autor Evandro Lira

Editor, bacharel em Cinema e Audiovisual, bruxo nascido trouxa, filho dos filhos do átomo, mestre dos quatro elementos, fã de mais coisas do que deveria, frequentemente falando sozinho no Twitter. Segue: @evandroslira