Homem-Aranha Sem Volta para Casa: Como o filme pode casar universos cinematográficos?

Capa da Publicação

Homem-Aranha Sem Volta para Casa: Como o filme pode casar universos cinematográficos?

Por Junno Sena

Homem-Aranha: Sem Volta Para Casa marca a estreia do multiverso nos filmes da Marvel. Quando falamos da utilização de multiverso nos quadrinhos, os exemplos são tão vastos quanto o conceito em si. Desde Flashpoint até o Spider-verse, os fãs da Marvel e DC já estão acostumados com o assunto. Mas esse é um movimento bem novo para os universos cinematográficos. Até porque, não estamos mais falando de diferentes Batmans, Homem-Aranhas e Flashs, mas de estúdios: como Marvel, Sony, Warner, Disney e Fox.

E, mesmo com a aquisição da Marvel pela Disney e das parcerias da empresa com a Sony, uma das grandes perguntas que fica é: Como o novo filme do Homem-Aranha pode juntar esses universos cinematográficos?

Sem volta para o MCU

A resposta traz ainda mais questionamentos. Depois de meses anunciando a estreia do trailer de Homem-Aranha Sem Volta para Casa, a Marvel Studios finalmente revelou seus planos — ou pelo menos ela diz ter revelado — com o primeiro trailer do longa. Nele, após Doutor Estranho lançar um feitiço para esquecerem que Peter Parker é o Homem-Aranha, o mago supremo causa uma fissura na realidade, causando caos por todo multiverso.

Mesmo que o enredo do filme esteja escondido atrás de trailers com frases de efeito e cenas de luta, existem algumas informações pinceladas pelo Universo Cinematográfico da Marvel (MCU) que dá indícios do que a Disney e a Marvel estão planejando para o futuro da franquia.

Começando por Loki, série da Disney+. Durante seis episódios, os fãs do anti-herói foram bombardeados por informações sobre linhas temporais alternativas, versões alternativas de personagens conhecidos, uma organização burocrática que controla o multiverso, entre outros conceitos abstratos.

Essa apresentação é só a ponta do iceberg para introduzir a ideia de What If…?, o risco de Wanda ler o Darkhold e também para explicar a cena pós-créditos de Venom: Tempo de Carnificina, em que Eddie e Venom são transportados para uma nova realidade. No caso, a dupla acaba sendo arrastada para junto do nosso aranha, Tom Holland — no Universo 616 do MCU — bem no momento em que J.K. Simmons está revelando a identidade secreta de Peter Parker para o mundo.

Cena de Homem-Aranha: Sem Volta para Casa

Doutor Estranho com cheirinho de Mephisto

E talvez, a dica mais importante seja o episódio 4 de What If…?, O que aconteceria se… o Doutor Estranho perdesse o amor e não suas mãos?. Nele, vemos uma versão alternativa de Stephen que precisou recorrer a Cagliostro em busca de mudar toda a sua realidade, fazendo o seu próprio universo implodir.

O que Stephen alcança em Sem Volta para Casa não parece ser muito diferente. Apagar a identidade de Peter não é apenas um feitiço de memória, mas de mudar toda a realidade. Uma vez que as provas de que o Homem-Aranha é o Peter Parker não estão apenas na mente das pessoas, mas na internet também.

Esse impacto na realidade resulta em todo o caos que já vimos nos trailers. E é esse mesmo caos que vai impactar na possibilidade de encontrarmos um MCU completamente diferente do que conhecemos hoje.

Não apenas por trazer vilões de outras produções do aranha, como o Doutor Octopus e Duende Verde dos primeiros Homem-Aranhas; Electro de O Espetacular Homem-Aranha e a possibilidade de inserirem Tobey Maguire e Andrew Garfield na trama, mas pelo leque de possibilidades em poder tornar tudo da Marvel canônico. Ou quase isso…

Cena de Homem-Aranha: Sem Volta para Casa

Uma questão de direitos

Desde a divisão dos direitos da Marvel para adaptação de seus heróis do cinema, o MCU tem lidado com o caos. É difícil entender quais personagens estão com quais estúdios, quais produções são relevantes para os Vingadores ou como os X-Men vão passar a fazer parte do MCU.

Mas, no momento em que o conceito de multiverso não foi apenas apresentado, mas também utilizado, em animações e agora em live-action, podemos dizer, por alto, que tudo vale. E então, sendo o mais otimista possível, é só a vontade do estúdio e bons contratos para vermos algo como, Wolverine contra o Hulk no cinema.

Só que nem tudo são flores. Diferente de Loki, que teve seis episódios para explicar, evidenciar e brincar com o assunto, mesmo que Sem Volta para Casa seja o filme mais longo da Marvel, ainda sim ele terá suas limitações. E bom, já vimos em Homem-Aranha 3 que nem sempre grandes ideias e ambições podem funcionar.

Está confiante para Homem-Aranha: Sem Volta Para Casa? Não deixe de comentar!

Homem-Aranha: Sem Volta para Casa chega aos cinemas dia 16 de dezembro de 2021.

Imagem de perfil
sobre o autor Junno Sena

Pós graduando em Antropologia com o raio problematizador ligado no 120. Assiste filme trash para relaxar e dorme cantarolando a trilha sonora de A Hora do Pesadelo. Blaxploitation na veia e cinema coreano no coração. Atualmente mora em Petrópolis, RJ.