Capa da Publicação

Guardiões da Galáxia: James Gunn revela qual música foi a mais difícil de incluir na franquia

Por Melissa de Viveiros

Uma característica marcante de Guardiões da Galáxia é o uso de músicas populares marcantes que James Gunn inclui em suas produções. O recurso, no entanto, nem sempre é simples de ser utilizado, já que requer conseguir os direitos dessas canções famosas, o que pode ser caro e complexo. Comentando sobre o processo em uma entrevista, o diretor revelou que, ainda assim, não acredita que seja impossível resolver a situação, contando também como lida ao receber respostas negativas em relação a determinada música (via ComicBook).

Esquadrão Suicida, mais recente lançamento dirigido por Gunn, conta com o mesmo tipo de trilha sonora cheia de músicas famosas. Ainda assim, ele conta que não foi difícil conseguir utilizar nenhuma delas, explicando que nunca teve uma canção que não conseguiu usar. Para ele, a chave é insistir e buscar outros meios, como explica:

“Em Esquadrão, eu não acho que teve qualquer coisa que foi difícil. Se foi, não me contaram. Quer dizer, eu praticamente cheguei e falei, ‘eu nunca tive uma música negada, então não venham me dizer que negaram o uso de uma música’. O que você encontra muito é que quando negam uma música, você só tem que voltar às pessoas e pedir de novo. E eventualmente, você consegue a permissão. Muitas vezes, têm alguns artistas para quem preciso escrever uma carta ou email pessoal apenas para contar para eles o que eu acho de sua música, porque eu não escolho pessoas a não ser que elas sejam realmente importantes para o filme. Mas a mais difícil de todas foi ‘Mr. Blue Sky’ [de Electric Light Orchestra]. Essa foi muito difícil de conseguir para Guardiões 2. Quase não aconteceu.”

Baby Groot dança ao som de Mr. Blue Sky na sequência de abertura de Guardiões da Galáxia Vol. 2.

A história sobre o uso da canção é bastante conhecida. Anteriormente, a Electric Light Orchestra havia permitido o uso de outra música, Livin’ Thing, no primeiro filme da equipe da Marvel. Na época, a cena em que a música seria utilizada acabou sendo cortada. Assim, a banda hesitou em permitir que outra música fosse utilizada na sequência.

Apesar disso, Gunn acabou conseguindo incluir a canção no filme, possivelmente por causa do momento em que ela é utilizada. É possível que o diretor tenha convencido a banda que, desta vez, a cena em que sua música seria utilizada com certeza não seria cortada na versão final da produção.

O Esquadrão Suicida estreou nos cinemas do Brasil na última quinta-feira, dia 5 de agosto.

Fique com:

Imagem de perfil
sobre o autor Melissa de Viveiros

Graduanda em Letras na UFMG. || What is infinite? The universe and the greed of men. || @windrunning_