Capa da Publicação

Organização do Globo de Ouro se pronuncia após boicote feito pela Netflix

Por Cristiano Rantin

O Globo de Ouro é uma das premiações mais importante de Hollywood, mas recentemente o grupo responsável pelo evento tem sofrido uma enxurrada de críticas por sua falta de inclusão com minorias. A ética da organização também é questionada, visto que sua relação com os gigantes de Hollywood poderia influenciar as indicações e os vencedores dos prêmios.

Diante disso, a Netflix endossou o movimento e declarou que estaria boicotando tanto o evento quanto as entrevistas e coletivas promovidas por seus organizadores. Agora, a premiação enviou uma longa carta afirmando que está trabalhando em prol de mudanças e pedindo uma reunião com a plataforma de streaming.

O boicote da Netflix ao Globo de Ouro

O Globo de Ouro é um dos maiores prêmios de Hollywood

Na última sexta-feira, a Netflix declarou que estava cortando qualquer vínculo com a Hollywood Foreign Press Association (HFPA), o grupo responsável pela organização do Globo de Ouro. A notícia veio depois de uma longa reportagem que revelou, entre os mais de 80 integrantes da HFPA, não havia nenhuma pessoa negra, mesmo que anteriormente o grupo tenha se comprometido a ser mais inclusivo e diverso.

“Como muitos da nossa indústria, nós estávamos esperando a notícia de hoje na esperança de que vocês reconheceriam os problemas dentro da HFPA, promovendo um planejamento detalhado para sua mudança,” disse Ted Sarandos, o vice-CEO da Netflix em uma carta publicada pelo Deadline. “A votação de hoje é um primeiro passo, no então, nós não acreditamos que as novas políticas propostas — particularmente por conta do tamanho e velocidade da expansão da sua equipe — vai resolver os desafios sistêmicos de diversidade e inclusão da HFPA, ou a falta de padrões claros sobre como seus membros deveriam agir. Então nós estamos encerrando nossas atividades com sua organização até que mudanças significativas sejam feitas. Nós sabemos que vocês possuem muitos integrantes bem intencionados que querem uma mudança real — e que todos nós precisamos trabalhar para criar uma indústria com equidade e inclusão, mas a Netflix, e muitos dos nossos talentos e criadores, não pode ignorar as falhas coletivas da HFPA em resolver esses erros cruciais com urgência e rigor.” 

Outras organizações como a Amazon e a Times Up, grupo formado para denunciar o abuso e machismo em Hollywood, declararam apoio à Netflix. Diversos atores e roteiristas também elogiaram a medida da plataforma que, até na última edição do Globo de Ouro, acumulou 42 indicações e levou 6 prêmios.

Organização do Globo de Ouro pede por uma reunião com a Netflix

Ali Star, presidente do HFPA publicou uma carta clamando por uma reunião com a Netflix. Exaltando a plataforma de streaming, ele pede para que os grupos possam discutir juntos como fazer essas mudanças da forma mais eficiente e rápida possível.

“Nós sempre valorizamos nossa relação com a Netflix e nós buscamos trazer notícias sobre filmes e seriados para o mundo. Nós ouvimos suas preocupações sobre as mudanças que nossa associação precisa fazer e nós queremos garantir que estamos trabalhando nisso com muito empenho”, declarou Star na carta publicada pelo The Wrap. “Nós podemos assegurar que nossos planos refletem o clamor dos nossos apoiadores e críticos, e nós verdadeiramente acreditamos que nossos planos criarão uma reforma significativa de inclusão em nossa associação de uma forma que orgulhe toda a indústria. Nós nos orgulhamos que nosso plano foi aprovado por mais de 90% dos nossos integrantes — e não há dúvidas de que os integrantes estão abraçando esta oportunidade. Nós adoraríamos nos encontrar com você e sua equipe para que nós possamos revisar nossas ações específicas que já estão sendo trabalhadas. Um diálogo aberto que nos ajudaria a garantir que estamos lidando com essas preocupações da forma mais rápida o possível.”

Scarlett Johansson e Mark Ruffalo apoiam boicote contra Globo de Ouro

Grandes artistas como Scarlett Johansson (a Viúva Negra) e Mark Ruffalo (o Hulk) também publicaram longas declarações sobre o caso, apoiando o boicote ao Globo de Ouro.

Mark Ruffalo e Scarlet Johansson em Vingadores: Era de Ultron

Ressaltando como a HFPA, a organização do evento, foi legitimada por pessoas abusivas em Hollywood e que isso resultava em condutas machistas de quase assédio sexual, Johansson disse:

“Como uma atriz promovendo seu filme, espera-se que você participe da temporada de premiações e compareça nas conferências de impressa, assim como nas festas dos eventos. No passado, isso com frequencia significava encarar perguntas machistas de certos membros do HFPA que beiravam o assédio sexual. Esse é o motivo pelo qual eu, por muitos anos, me recusei a participar das coletivas deles,” disse em um comunicado enviado a Variety. “O HFPA é uma organização que foi legitimada por pessoas como Harvey Weinstein [antigo magnata de Hollywood condenado por estupro e abuso sexual] para ganhar o reconhecimento do Oscar e a indústria seguiu seu exemplo. A menos que uma grande reforma aconteça dentro da organização, acredito que chegou o momento de nos afastarmos da HFPA e focar na importância e na força que temos dentro dos nossos sindicatos e da indústria como um todo.” 

Em seu Twitter, Mark Ruffalo também comentou o caso: “Honestamente, sendo um vencedor recente do Globo de Ouro, eu não consigo me sentir feliz ou orgulhoso por ter recebido esse prêmio.” O ator endossou o boicote e disse que a organização precisa mudar.

Veja também:

Imagem de perfil
sobre o autor Cristiano Rantin

Jornalista • Editor • Mestrando em Comunicação pela UEL • Twitter e Instagram: @Chris_Rantin • "Eu sou o fogo e a vida encarnados. Agora e para sempre eu sou a Fênix!"