Associação de exibidores dos EUA diz que lançamentos de filmes nos cinemas não serão como antes

Capa da Publicação

Associação de exibidores dos EUA diz que lançamentos de filmes nos cinemas não serão como antes

Por Evandro Lira

Desde que a pandemia de COVID-19 eclodiu no início de 2020, a indústria do cinema foi uma das que mais se saiu prejudicada, uma vez que todos os processos que envolvem a produção e exibição de filmes e séries foi interrompida.

Diante da dificuldade de filmar e lançar seus produtos nas salas de cinema, alguns grandes estúdios, como a Warner Bros. e a Walt Disney, viram uma oportunidade de alavancar seus serviços de streaming, fazendo lançamentos exclusivos ou simultâneos na HBO Max e Disney+.

A solução encontrada pelas empresas, é claro, foi muito mal recebida por donos de cinema, que no último ano têm travado certa guerra com os estúdios que não “respeitam” a janela tradicional de exibição de filmes.

Apesar disso, o chefe da National Association of Theatre Owners (Associação Nacional de Donos de Cinema) está ciente de que, quando a pandemia acabar, os lançamentos em salas de cinema não voltarão a ser como eram. Em entrevista a Variety, John Fithian expressa sua opinião sobre o tema.

“Honestamente, sabemos que as janelas de exibição pós-pandemia não serão o que eram antes da pandemia, mas também sabemos que não serão o que eram durante a pandemia. Não cabe a mim determinar o tamanho da janela que teremos, mas precisamos ter algum período robusto de exclusividade nos cinemas antes dos filmes chegarem ao doméstico.”

HBO Max e Disney+ adotaram estratégias de lançamento agressivas para títulos destinados ao cinema

Quando perguntado sobre as estratégias da Warner e Disney especificamente, consideradas problemáticas pelo setor, Fithian apontou que a maior incógnita da indústria atualmente é a Disney, dona de algumas das maiores franquias de mídia do mundo.

“A Warner Bros. sinalizou publicamente que, embora estejam comprometidos com o lançamento simultâneo na HBO Max até 2021, eles terão janelas exclusivas para seus produtos em 2022. Estamos bastante confiantes de que o grande compromisso de lançamento simultâneo da Warner Bros. não se estenderá além deste ano. Além disso, a Warner Bros. está passando por uma transição corporativa e a liderança da Discovery sinalizou que eles acreditam na experiência do cinema.

 

Universal, Sony, Paramount e Lionsgate sinalizaram que terão algum tipo de exclusividade para o cinema daqui para frente. Então, realmente, o único estúdio que não descreveu seus planos de longo prazo e modelos de lançamento é a Disney. Temos esperança de que seu futuro modelo envolverá janelas exclusivas. Há alguns filmes da Disney chegando com janelas de 45 dias, Shang-Chi e Free Guy, mas eles não anunciaram nenhum plano além disso.”

O futuro dos filmes da Disney preocupa os proprietários de cinema, que visam um 2022 próspero para a indústria, com todas as obras que são voltados para às telas grandes estreando primeiro nas salas, antes de chegar ao serviços digitais.

Algo diretamente ligado à esse assunto ganhou grande repercussão nas últimas semanas, quando Scarlett Johansson processou a Disney depois que o estúdio lançou Viúva Negra no streaming, o que acabou diminuindo substancialmente os lucros da atriz e produtora.

E aí, como você imagina o futuro do cinema? Deixe seu comentário!

Fique com:

Imagem de perfil
sobre o autor Evandro Lira

Editor, bacharel em Cinema e Audiovisual, bruxo nascido trouxa, filho dos filhos do átomo, mestre dos quatro elementos, fã de mais coisas do que deveria, frequentemente falando sozinho no Twitter. Segue: @evandroslira