Dragon Ball Super: Goku cria estratégia contra Gas que pode ter repercussão surpreendente

Capa da Publicação

Dragon Ball Super: Goku cria estratégia contra Gas que pode ter repercussão surpreendente

Por Junno Sena

Dragon Ball Super já está trabalhando em seu novo capítulo, mas não ter informações novas, não significa que os fãs não podem teorizar sobre o que acontecerá com nossos heróis. Com Gas no campo de batalha e Granolah lutando junto dos saiyajins, Goku apresentou uma estratégia de batalha que foi, no mínimo, surpreendente para os leitores.

A cena aconteceu no capítulo 78 do mangá. Nele, o saiyajin foi encontrar Vegeta após Gas derrotar Granolah e, foi então que Goku compartilhou sua estratégia com o amigo.

“Vegeta, volte e encontre a sua armadura. Eu vou tentar segurar as pontas por enquanto. Coma-a assim que encontrá-la”, Goku diz ao Vegeta se referindo a semente dos deuses que, em alguns capítulos atrás, descobrimos estar em posse de Vegeta.

Gas, a nova ameaça para os heróis

O feijão já foi utilizado diversas vezes no anime e no mangá; Criadas por Mestre Karin na Torre Karin, quando são comidas, a energia e saúde física do usuário é restaurada até o máximo. “Você pode entrar no Modo Cara-Louca de novo e bater no Gas”, explicou Goku. E, antes dele ser corrigido, o herói retorna para a batalha.

Mas, o que ficou nas entrelinhas, foi todo o motivo do personagem pedir a Vegeta para colocar um ponto final na luta. Os fãs de Dragon Ball Super sabem como Goku se comporta nas lutas, raramente o personagem deixa outro lutador dar fim ao vilão.

Tal estratégia revela duas coisas: uma delas é como Goku pode apenas estar querendo dividir o centro da atenção; já outra teoria, aponta que Goku pode não estar tão em boa forma para dar conta da nova ameaça.

Seja o que for, o que podemos esperar dos próximos capítulos é que veremos bem mais do modo Ultra Ego de Vegeta. A grande dúvida é o que o fim desta luta irá reservar para os personagens.

Veja também:

Imagem de perfil
sobre o autor Junno Sena

Pós graduando em Antropologia com o raio problematizador ligado no 120. Assiste filme trash para relaxar e dorme cantarolando a trilha sonora de A Hora do Pesadelo. Blaxploitation na veia e cinema coreano no coração. Atualmente mora em Petrópolis, RJ.