Capa da Publicação

Cyberpunk 2077: Jogo fez Elon Musk refletir sobre tecnologia que sua empresa está desenvolvendo

Por Melissa de Viveiros

Elon Musk, CEO da SpaceX e da Tesla e co-fundador da Neuralink, discutiu sua experiência com Cyberpunk 2077 em uma participação no podcast The Joe Rogan Experience, onde revelou que o jogo o proporcionou um momento desconfortável quando ele percebeu similaridades entre os implantes cibernéticos dos habitantes de Night City e a tecnologia desenvolvida pela Neuralink.

A experiência de Musk com o jogo teria até mesmo feito com que o magnata refletisse sobre os possíveis problemas futuros que a tecnologia proporcionaria, embora o momento pareça ter passado relativamente rápido, e Musk tenha decidido que os benefícios superariam os pontos negativos, como ele contou a Rogan:

“Eu estava jogando Cyberpunk [2077], o jogo, e eu fiquei tipo, uh, isso está próximo demais. Tipo, nossa, cara. Tipo, aonde isso leva? Isso pode chegar lá eventualmente. Só estou dizendo que por enquanto, vai ajudar pessoas que realmente precisam.”

Elon Musk, o co-fundador da Neuralink e CEO da Tesla.

Para quem não sabe, o Neuralink desenvolvido pela empresa de Musk nada mais é que um chip, tendo como objetivo conectar o cérebro humano a computadores e dispositivos móveis. O chip seria colocado em contato com o crânio e, em teoria, seria capaz de realizar as funções dos dispositivos vestíveis, como os smartwatchs. O projeto tem como primeiro objetivo de aplicação apresentar soluções para pessoas que sofreram lesão na medula espinhal, embora pretenda também auxiliar pessoas com problemas neurológicos.

Não é novidade que Elon Musk gosta de Cyberpunk, uma vez que ele já havia elogiado o jogo anteriormente por seu visual e design. Antes mesmo do lançamento do último projeto da CD Projekt, o co-fundador da Neuralink interagiu diversas vezes com a conta oficial do jogo no Twitter, e Musk planeja até mesmo lançar o jogo no Tesla Arcade, que está disponível nos carros da marca. Grimes, cantora e esposa de Musk, também esteve envolvida na trilha sonora de Cyberpunk, sendo uma grande fã deste estilo.

Você acha que a tecnologia do Neuralink trará benefícios, ou existe a possibilidade de tornar o mundo mais próximo da realidade de Cyberpunk? Não deixe de comentar!

Veja também:

Imagem de perfil
sobre o autor Melissa de Viveiros

Graduanda em Letras na UFMG. || What is infinite? The universe and the greed of men. || @windrunning_