Capa da Publicação

Marvel’s Spider-Man: Miles Morales – Descobrimos todas as informações por trás do novo game

Por Cristiano Rantin

Falta pouco para os fãs poderem apreciar Marvel’s Spider-Man: Miles Morales, jogo que promete iniciar a nova geração dos consoles com força total, sendo um dos primeiros lançamentos para o PlayStation 5. A Legião dos Heróis participou de uma entrevista com Brian Horton, diretor criativo do game, que nos contou alguns detalhes sobre o desenvolvimento do jogo.

Logo de cara, Horton deixa bem claro que Miles Morales não é uma DLC de Marvel’s Spider-Man. Desde o começo, a aventura do novo Homem-Aranha foi pensada como uma história própria e não apenas como um conteúdo extra para o primeiro game.

“Isso definitivamente é um jogo próprio, não uma DLC”, garante. “Nossa missão, desde o começo, era garantir que tivéssemos um jogo substancialmente novo e que mostrasse a jornada de Miles sua carreira como Homem-Aranha do começo ao fim. Então esse vai ser um jogo sobre a jornada de amadurecimento super heroica”.

Ele explica que ter um jogo próprio para Miles trouxe a oportunidade de ampliar o universo iniciado em Marvel’s Spider-Man, mas desta vez contando uma história de origem, contrastando com o Peter Parker mais velho e experiente, que já era um Homem-Aranha bem estabelecido. “Pensando nessa franquia, nós amamos a ideia de ter dois heróis na Nova Iorque da Marvel. Temos um Peter Parker experiente e um Miles Morales inexperiente”, ressalta Horton. “Então mostrar a história solo de Miles foi essencial para podermos avançar. Ver ele se tornar um Homem-Aranha era a próxima história que precisávamos contar.”

Miles Morales e Peter Parker

Para que isso pudesse ser trabalhado com qualidade, foi preciso criar uma gama de personagens novos e desenvolver Miles para que ele fosse bem diferente de Peter Parker – tanto em suas habilidades e estilo, quanto na trama do jogo. “Precisamos garantir que a história tivesse todos os ingredientes maravilhosos sobre Miles Morales, tanto quanto pessoa como herói. E ter esses dois mundos colidindo para criar um drama que dá origem a todas as histórias incríveis do Homem-Aranha”, comenta.

Mas criar isso não foi uma tarefa fácil. Horton revela que, durante o desenvolvimento, a equipe enfrentou alguns desafios. Por ter uma história que se passa principalmente no Harlem, um dos objetivos do game era criar um cenário autêntico e que conseguisse representar os aspectos multiculturais do bairro de Nova Iorque, assim como esses traços no próprio Miles. “Queríamos que quando as pessoas que vivem em Nova Iorque e no Harlem vissem o jogo, elas sentissem que ele é verdadeiro. Esse foi um dos nossos desafios.”

O maior desafio, no entanto, foi trabalhar em uma história para o jogo que honrasse as HQs do personagem ao mesmo tempo que fosse original e única para a Insomniac Games: “Quando fizemos Marvel’s Spider-Man nós introduzimos Miles Morales no universo de Peter Parker. Isso é bem diferente dos quadrinhos, então tivemos que criar nossa própria história de origem para Miles. E foi um desafio honrar os quadrinhos e criar essa experiência nova”.

Homem-Aranha, o Gato.

Horton explica que o desenvolvimento do jogo começou pelas HQs, que foram utilizadas como fundação. O diretor criativo destaca que o trabalho de Brian Michael Bendis e Sarah Pitchelli nas histórias em quadrinhos do Miles foi o que mais influenciou o desenvolvimento do jogo. Afinal, são nessas histórias que acompanhamos o personagem que tem Peter Parker como seu mentor, alguém que já sabe o que é um Homem-Aranha e pode se inspirar nele.

Contudo, ele reforça que a história do jogo só começa mesmo quando Peter sai de cena. Quando assistimos o crescimento de Miles. “Vemos Peter Parker como um mentor de Miles no começo do jogo, mas essa história realmente acontece quando Peter deixa Nova York com MJ, e Miles vai seguir essa jornada para se tornar um herói”, conta. “Precisávamos ancorar essa história no nosso tema, que é [ver Miles] lutar pelas pessoas que ele ama, nessa nova vizinhança no East Harlem, o lar da infância de sua mãe”.

Ele destaca que os personagens dos quadrinhos de Miles, como Ganke Lee e Gatuno, terão um papel essencial no jogo, ainda que sejam trabalhados de uma forma diferente das HQs. Para Horton, um ponto importante na construção de Miles Morales – e que o difere tanto de Peter Parker – são esses personagens que fazem parte da sua vida. “Eles nem sempre são perfeitos. Por exemplo, anunciamos que o Gatuno está no jogo, então teremos uma experiência e uma história que é única e diferente das HQs, mas nós queríamos que o Gatuno fosse uma parte vital desta jornada de Miles para se tornar um herói.”

No caso de Ganke, o amigo de Miles que sabe sobre sua identidade secreta, ele será o grande criador do aplicativo que permite que o novo Homem-Aranha monitore a cidade (e encontre quests e missões extras), ajudando as pessoas enquanto avança em sua narrativa.

Miles Morales vs Rino!

Todas essas decisões foram tomadas para criar uma história que atendesse os planos da equipe. “Nós basicamente conseguimos atingir todos os objetivos que havíamos estabelecido,” conta. “Tivemos muita sorte. Nada das grandes ideias que tivemos foi descartada, conseguimos colocar toda nossa paixão, esperanças e sonhos nesse jogo.”

Horton afirma que ao invés de cortar ou excluir conteúdo do game, o que aconteceu foi o processo inverso. Ao longo do desenvolvimento novas ideias foram surgindo e sendo incluídas no game. Uma delas foi ter o vilão Rino aparecendo logo de cara na história de Miles.

A equipe criativa pensou em como seria preciso começar o jogo com um personagem que já fosse familiar para aqueles que jogaram Marvel’s Spider-Man. Eles lembraram que Rino aparece durante a introdução de Miles no jogo de Peter Parker, perseguindo o rapaz – que ainda não era um herói – quando ele estava buscando por remédios. “Nós pensamos: Não seria interessante, agora que ele é o Homem-Aranha, ver como ele lidaria com o Rino? E essa foi uma das descobertas que fizemos e pensamos no meio do desenvolvimento, sobre como poderíamos trazer ele de volta e mostrar como Miles cresceu como personagem”, revela.

Mas para Horton, que se sente realizado por trabalhar neste jogo, o principal motivo de orgulho para os desenvolvedores é o apreço aos detalhes. Todas as toneladas de detalhes que foram incluídas para deixar a cidade – e principalmente o Harlem – mais autêntica e viva. Ele explica que isso só foi possível após um longo processo de entrevistas com moradores do bairro, que contribuíram para deixar tudo mais natural e realista.

O traje do Aranhaverso.

Após o sucesso de Homem-Aranha no Aranhaverso, é praticamente impossível falar de Miles Morales sem lembrar, quase que imediatamente, do filme animado. Horton não mede palavras para elogiar o filme, assumindo que toda a equipe é fã do projeto. “Nós estávamos nos estágios iniciais de desenvolvimento e já tínhamos uma boa ideia de que história gostaríamos de contar quando Aranhaverso foi lançado. Foi incrível ver uma nova interpretação dos quadrinhos,” conta.

O filme vencedor do Oscar foi homenageado com um traje especial, desenvolvido pela equipe criativa do jogo, que conseguiu deixar tudo ainda mais especial com os efeitos cartunescos que surgem (e quem podem ser desativados por aqueles que não gostarem da proposta) quando Miles veste o uniforme.

Contudo, Horton deixa claro que as tramas do filme, e até mesmo o que é trabalhado no Universo Compartilhado da Marvel, o MCU, não influenciam no desenvolvimento dos jogos da franquia. “A versão da Insomniac Games do universo do Homem-Aranha é totalmente nossa,” garante. “Nós trabalhamos próximos dos nossos parceiros da Marvel Games para garantir que o jogo fosse autentico ao que é canônico na Marvel, mas que tivesse um toque da Insomniac”. Para todos os efeitos, o MCU é como um universo paralelo, sem conexão com o jogo, a não ser nos trajes especiais que são incluídos no game.

Agora para os fãs que gostariam de ver mais integrantes do Aranhaverso ganhando seu próprio jogo, Horton assegura que existem coisas promissoras para o futuro, mas não dá muito detalhes sobre isso. “Nós pensamos nos jogos como um universo. Temos o Peter Parker no primeiro jogo, que introduz Miles Morales, e agora Miles tem seu próprio jogo,” relembra. “Tudo que posso dizer é que isso é um processo contínuo e parte essencial do Aranhaverso que a Insomniac, Sony e Marvel Games está criando.”

E esse universo que está sendo construído é rico e cheio de histórias que ainda serão contadas, mas o diretor criativo do jogo prefere desconversar quando questionado se veremos o retorno de Miles Morales como personagem jogável: “Nosso foco sempre foi criar o melhor jogo possível do Miles Morales, alguém tão único e completo que quando você termina o jogo você vai querer saber mais dele. E isso é tudo que eu posso dizer agora.”

E ai, pronto para conhecer esse jogo? Marvel’s Spider-Man: Miles Morales tem lançamento marcado para 12 de Novembro no PS4 e 19 de Novembro no PlayStation 5.

Não deixe de conferir:

 

Imagem de perfil
sobre o autor Cristiano Rantin

Jornalista • Editor • Mestrando em Comunicação Social pela UEL • Twitter e Instagram: @Chris_Rantin • "Eu sou o fogo e a vida encarnados. Agora e para sempre eu sou a Fênix!"