Capa da Publicação

Disney planeja compensar seus talentos por projetos lançados apenas no Disney+

Por Raphael Martins

2020 foi um ano atípico para a indústria do cinema, com a pandemia da COVID-19 forçando todo o mercado a mudar suas políticas para se adaptarem às novas circunstâncias trazidas pelo vírus. O primeiro grande exemplo disso veio da Warner, que decidiu lançar todo seu catálogo de 2021 no HBO Max, e ao que parece, a Disney não descarta a possibilidade de fazer o mesmo, mas visando também os interesses de seus talentos.

De acordo com o site The Wrap, o Marvel Studios estaria começando a explorar “contratos de flexibilidade” com seus atores, diretores, produtores, roteiristas e demais talentos de primeira linha, visando uma compensação maior para todos para caso de a pandemia ou fatores decorrentes dela forçarem a Disney a lançar seus filmes diretamente no Disney+.

Embora o artigo do site diga que o plano da Disney é o de lançar seus filmes exclusivamente nos cinemas, está claro que a casa do Mickey está realmente considerando a possibilidade de seguir uma estratégia mais parecida com o que a Warner adotou para seu HBO Max, pelo menos no que diz respeito aos filmes do Marvel Studios agendados para 2021. Quanto a produções futuras, é dito que a mudança “afetaria apenas filmes prestes a entrarem em produção, começando por Pantera Negra 2.”

Por enquanto, o único filme que irá chegar nos cinemas e no Disney+ de forma simultânea é Raya e o Último Dragão, que será disponibilizado na plataforma pelo preço de $29,99, como aconteceu com a versão com atores de Mulan.

Raya e o Último Dragão: Filme chegará nos cinemas e no Disney+ de forma simultânea

A manobra da Warner foi severamente criticada por grandes nomes da indústria do cinema, como Denis Villeneuvediretor de Duna, e Christopher Nolan, que recentemente comandou Tenet, filme cuja bilheteria foi diretamente afetada pela pandemia. Com a Disney indo atrás de seus talentos para compensá-los por eventuais mudanças na distribuição de seus filmes, está claro que eles desejam causar menos fúria e alvoroço entre seus profissionais contratados e manter a política de boa vizinhança entre eles.

E vocês, concordam com a decisão da Disney? Deixem seus comentários!

Veja também:

Imagem de perfil
sobre o autor Raphael Martins

Redator, apresentador e roteirista. Gosto de longas caminhadas na praia, Star Wars, tokusatsu, anime e filé com batata frita. Deixo as pessoas constrangidas. Você pode trocar uma ideia comigo no Twitter: @aqueleraphael