Capa da Publicação

Vingadores: Ultimato – Explicado porque os trajes quânticos tiveram que ser criados digitalmente!

Por Evandro Lira

Que Vingadores: Ultimato é um filme repleto de efeitos visuais gerado por computação gráfica todo mundo sabe. Mas às vezes, descobrimos que algumas coisas que parecem tão simples e realista aos nossos olhos, também foi construído com CGI. E é o caso dos trajes quânticos que os heróis usam para se transportar ao passado no filme. O supervisor de efeitos visuais, Russell Earl, e o supervisor de modelagem da Industrial Light and Magic, Bruce Holcomb, falaram porque que esses figurinos em específico não foram feitos à moda antiga.

Earl explica que fazer figurinos por meio de efeitos digitais é mais comum do que imaginamos em filmes como esses. Segundo ele, a decisão por trás disso teve muito mais a ver com o timing da produção do que qualquer outra coisa:

“Eu não conheço totalmente a decisão por trás disso”, disse Earl. “Eu sei que o que acaba acontecendo é que os trajes evoluem e mudam. Neste caso, eu não acho que o design do traje estava totalmente lá quando eles começaram a filmar a cena e eu acho que eles estavam filmando várias cenas em vários locais. Eu li alguns artigos sobre pessoas dizendo que os trajes são digitais. Mas nós fazemos isso o tempo todo. Você sabe, o corpo do Cap pode ser Computação Gráfica, ou o corpo de Pantera Negra 99% do tempo é CG, o Aranha, quando o Tom está lá vestindo o traje, quase sempre é CG, então acho que a decisão veio por isso. Os trajes tiveram que crescer, e você pode optar por duas coisas. Eu acho que isso se resumiu a querer ter a flexibilidade para fazer o design certo já no momento da filmagem ainda não se tinha isso fechado.”

Earl continua explicando que todos os heróis tiveram seus trajes feitos com computação gráfica em algum momento:

“Estou especulando sobre isso”, acrescentou Earl. “Eu realmente não conheço a história completa por trás, mas eu acho que todas as casas de efeitos se tornaram tão boas em fazer figurinos digitais que o estúdio pode confiar mais nelas e não necessariamente ter que tomar essas decisões. Ele apenas permite um pouco mais de flexibilidade e sabendo que você vai ter que construir o traje de qualquer maneira… Então, às vezes, muitas roupas são construídas. O Homem-Formiga tem obviamente um traje que foi feito, mas nós fizemos ele em CG, ou como eu disse, o do Cap, acho que todos eles em algum ponto foram reconstruídos todo em CG.”

Para Earl, algo pelo qual os Irmão Russo, diretores de Ultimato, prezam, é o realismo. Então, o desafio desses artistas de VFX é trabalhar esses figurinos de maneira que o público quase não perceba que se trata de computação.

“Acho que é isso que estamos sempre tentando. Uma coisa, especialmente com os Russo, é que eles estão sempre tentando trazer algum tipo de fisicalidade e realidade para as coisas” disse Earl. “É a ideia de que é mágica, mas tem que parecer mágica que você filmou, ou tem que parecer tecnologia que você filmou. Então, esse é sempre o equilíbrio. No momento, estamos tentando fazer coisas como preservar o volume ou fazer as peças parecerem que se movem e mudam, e algo em que Bruce é realmente bom é fazer com que tudo pareça estar fisicamente correto e acontecendo. Esses trajes de viagem no tempo realmente não tinham capacetes quando começamos a trabalhar neles, eles se pareciam mais com tecnologia alienígena, os capacetes de bolha que você vê em Guardiões da Galáxia. Mas então finalmente, a decisão foi tomada para ser mais como os capacetes do Homem-Formiga.”

Fique com imagens de Vingadores: Ultimato na nossa galeria:

Vingadores: Ultimato está em cartaz!

Fonte: CB

Imagem de perfil
sobre o autor Evandro Lira

Bacharel em Cinema e Audiovisual, potterhead das antiga, filho dos filhos do átomo, fã de mais coisas do que deveria, frequentemente falando sozinho no Twitter. Segue: @evandroslira