Capa da Publicação

Vingadores: Ultimato – Equipe de efeitos especiais precisou desenvolver novas tecnologias para criar o Professor Hulk!

Por Guilherme Souza

Em Vingadores: Ultimato, vimos o Hulk sofrendo uma de suas maiores transformações, se fundindo completamente com Bruce Banner e criando um híbrido entre força bruta e inteligência. Anteriormente, descobrimos um pouco sobre como a equipe de efeitos visuais conseguiu criar a nova persona do Golias Esmeralda, mas agora temos mais detalhes sobre a tecnologia por trás do personagem.

Em uma recente entrevista, Russell Earl chefe de efeitos visuais no estúdio ILM, falou um pouco sobre o processo de criação da tecnologia do novo Hulk e os desafios de balancear o que já era sabido sobre o personagem e deixá-lo mais parecido com Mark Ruffalo.

Basicamente, existem três passos para criar personagens como esse e a ILM criou novas ferramentas para implementar esses passos. Primeiro, você cria o algoritmo e as equações necessárias para a sequência, antes de entrar no time de modelagem, que faz seu trabalho antes do time de animação assumir.

“Uma das coisas que sabíamos que queríamos fazer no início era ter um sistema no local que daria à animação o controle total sobre a performance,” diz Earl. “Existe o aspecto solução, onde você está solucionando a performance e mirando novamente no modelo do Hulk Inteligente e naquele ponto, você está indo para a animação, onde tem controles para basicamente ajudar mais naquela performance. Então reescrevemos todos os três, ou usamos novas ferramentas para todos esses três passos.” 

 

“O solucionador gera a malha apropriada, então a malha apropriada precisa ser traduzida no Hulk, mas ao mesmo tempo, porque você está recebendo esses dados, pois é muita matemática, você nem sempre tem bons controles de animação sobre o sistema,” explica Earl. “Nesse caso, você reescreve isso para que os animadores consigam um modelo limpo que permita que eles trabalhem em cima da persformance do Ruffalo para reduzir os polímeros nas formas, mas eles também possuem um controle sólido sobre uma série de deformadores.” 

Earl também fala que eles tiveram muita sorte de terem pessoas que trabalharam com o Hulk em filmes anteriores na ILM, com isso, eles tinham mais bagagem para lapidar o personagem.

“É dito no filme que esse Hulk é a mistura perfeita entre o cérebro e músculos, então uma das coisas que fizemos foi obviamente olhar para os Hulk que fizemos anteriormente,” diz Earl. “Fomos sortudos por muitas das pessoas que estavam trabalhando nesse filme terem trabalhado em filmes anteriores, tais como o Hulk de Ang Lee, o último filme dos Vingadores e em Thor: Ragnarok, então tínhamos um bom histórico do Hulk aqui na ILM.”

O supervisor de efeitos visuais diz que existia uma linha tênue entre criar um Hulk comum e capturar a essência de Mark Ruffalo da maneira correta.

“A parte divertida sobre esse cara é que estávamos tirando a parte destrutiva do Hulk e dando a ele um pouco mais de Rufalo,” comenta o supervisor de efeitos. “Olhamos para todos os modelos anteriores e fizemos comparativos. Estávamos olhando para o Ruffalo e a pe;a piloto que recebemos do pessoal da Marvel e então foi só uma questão de pegar tudo isso e tentar colocar em sintonia com a quantidade certa de Hulk, mantendo o cara grande e musculoso, mas também pegando bastante da astúcia, inteligência e personalidade do Ruffalo.”

O supervisor também afirma que as novas ferramentas permitiram escanear com perfeição a performance de Ruffalo, porém integrar isso de maneira harmoniosa nos modelos digitais, sem deixar os movimentos e expressões exagerados demais.

Fique com imagens de Vingadores: Ultimato em nossa galeria:

Fonte: CB

Imagem de perfil
sobre o autor Guilherme Souza

Outra grande manchete: 'Água, molhada!'