Capa da Publicação

Superman – Homem de aço pode ter acabado com os Laboratórios S.T.A.R. nos quadrinhos!

Por Raphael Martins

Os Laboratórios S.T.A.R. sempre foram uma parte importante do universo da DC Comics desde sua primeira aparição nos quadrinhos, em 1971. Hoje, ele é mais conhecido como o quartel general dos heróis de The Flash na TV, enquanto se mantinham relevantes nos quadrinhos.

Mas após os acontecimentos de Superman #17, lançado recentemente nas comic shops americanas, tudo mudou, e os Laboratórios S.T.A.R passam pela pior crise de sua história graças às ações do homem de aço.

Na edição, o Superman descobre o verdadeiro plano da cadeia de laboratórios: explorar os diferentes multiversos e lucrar em cima deles. O que seria extremamente perigoso, já que em sua pesquisa eles estavam se utilizando de uma tecnologia experimental que poderia muito bem rasgar o tecido da realidade e ameaçar todo o universo onde viviam. Por sorte, o herói chega a tempo e pega vários cientistas com bem poucos escrúpulos em flagrante.

A cientista Dra. Glory, uma das chefes do projeto, consegue fugir através de um portal dimensional, mas de nada adianta: no momento seguinte, Clark Kent escreve uma matéria extremamente detalhada para o Planeta Diário que revela ao mundo a pesquisa super perigosa e nada ética que estava sendo conduzida pelos Laboratórios S.T.A.R, o que faz com que as ações da empresa implodam e ela perca bilhões de dólares.

Mais uma vez, o Superman nos mostra que é possível salvar o mundo sem necessariamente usar a força e explodir coisas, apenas expondo a verdade. Mas isso pode esconder uma ameaça ainda maior: com a empresa indo à bancarrota, bilionários como Lex Luthor podem muito bem se apoderar dela e assumir seus projetos, mesmo os mais profanos.

Confira imagens de Superman #17 na nossa galeria:

Fonte: CBR

Imagem de perfil
sobre o autor Raphael Martins

Redator, apresentador e roteirista. Gosto de longas caminhadas na praia, Star Wars, tokusatsu, anime e filé com batata frita. Deixo as pessoas constrangidas. Você pode trocar uma ideia comigo no Twitter: @aqueleraphael