Capa da Publicação

Qual o prazer em estragar a experiência do outro?

·
Por Evandro Lira

Vingadores: Ultimato é a conclusão máxima de uma das franquias mais populares da história do cinema. E com a antecipação, há também o receio de acabar descobrindo da maneira errada como tudo se encerra.

O filme já está no cinema, e embora muita gente já tenha assistido, há ainda mais gente que não viu. Porém, há pelo menos duas semanas já circulam por aí detalhes importantes da trama, e desde então tem sido um verdadeiro “salve-se quem puder” na internet, afinal diversas pessoas parecem mesmo dispostas a estragar a experiência do máximo de fãs que conseguirem. A dúvida que fica é: por que que alguém acharia isso legal?

Aqui no site, mas especialmente na nossa página do Facebook, a cada comentários com spoilers que nossa moderação apaga, surgem três novos com o mesmo conteúdo. Quem precisa da Hydra, não é mesmo? A partir disso, começamos a refletir sobre o que realmente leva as pessoas a decidirem estragar algo que é tão importante para o outro.

É interessante estabelecer primeiro que spoilers são qualquer revelação sobre determinada reviravolta ou evento importante para a trama de uma obra ficcional. Cada um desses plot twists e acontecimentos de uma história são pensados exaustivamente pelos artistas para que sejam inseridos na trama da melhor maneira possível. Se o artista quer esconder de você uma informação, ele acredita que para que a obra funcione, é importante que essa informação se mantenha em segredo até o momento que ele decidir contar.

Então, o spoiler estraga sim a experiência do ineditismo. Qualquer informação que você tem sobre a obra, mudará a maneira como você lida com ela, seja de forma positiva ou negativa.

Você pode até dizer que algumas pessoas gostam de receber spoilers ou simplesmente não se importam. Tudo bem, é uma escolha pessoal, que não altera a experiência de ninguém a não ser a dela mesma. Esse, no entanto, não é o caso da maioria. Ter a consciência de que sua opinião sobre isso não reflete a das outras pessoas é o primeiro passo. Se você não se importa com spoilers, faz sentido ter o cuidado para não desagradar o colega que se importa.

Algumas pessoas, porém, conseguem ir mais além e escolhem voluntariamente perder o tempo delas escrevendo spoilers a fim de pegar pessoas desprevenidas. É um clássico exemplo da falta de empatia, tão comum na internet nos últimos tempos. O que alguém ganha com uma atitude tão idiota? Se eu já vi o filme e ler aqueles spoilers, eu só vou pensar “Ok, como você é babaca”, se eu não vi o filme, vou pensar “Ok, como você é babaca” e te xingar até a sétima geração dos seus descendentes. Qual parte disso vale a pena?

Se você resolve fazer isso nas suas redes sociais, por exemplo, só vá atrair antipatia e aborrecimento dos seus amigos, da mesma forma.

O entretenimento é para muita gente uma parte importante da vida. Uma fuga, uma necessidade. E um filme como Vingadores: Ultimato faz parte de algo muito maior, que marcou praticamente metade da vida de várias delas. Se alguém, sabendo de tudo isso, ainda acha divertido estragar a experiência do outro, gostaríamos de avisá-la, caso ela não saiba, o quão patética ela é.

Produzir Gifs contendo cenas super importantes do filme, e espalhá-los em comentários do Facebook e grupos do WhatsApp não torna ninguém uma pessoa cool ou divertida. É uma atitude mesquinha, que comprova que ela faz parte do vasto grupo de pessoas covardes que se escondem por trás de avatares nas redes.

Reforçamos que a Legião dos Heróis é um espaço construído para fãs de cultura pop, e que nosso campo de comentários é um espaço em que todos podem e devem participar. Se você quer discutir Vingadores: Ultimato pelos próximos dias por aqui, sinalize o spoiler e tá tudo certo. Não estrague o Ultimato.

A gente ressalta: ainda é muito mais prazeroso chamar atenção por atitudes legais.

Confira também:

Imagem de perfil
sobre o autor Evandro Lira

Bacharel em Cinema e Audiovisual, potterhead das antiga, filho dos filhos do átomo, fã de mais coisas do que deveria, frequentemente falando sozinho no Twitter. Segue: @evandroslira