Capa da Publicação

Não faz sentido cobrar fidelidade do Universo Cinematográfico da Marvel!

Por Gus Fiaux

Já faz mais de uma década que os filmes de super-heróis se tornaram hegemônicos no que diz respeito ao mercado cinematográfico de Hollywood. Se franquias como a trilogia do Cavaleiro das Trevas ou o universo dos X-Men pavimentaram o caminho para essa febre, os filmes do Universo Cinematográfico da Marvel apenas construíram um império.

No entanto, muitos fãs ainda têm um certo problema com uma das questões mais básicas a respeito desse tipo de filme: adaptação do material-fonte. Muitos cobram uma fidelidade quase inalcançável, seja na estética ou nas histórias por trás desses personagens super-poderosos.

Filmes como Homem de Ferro 3, Capitão América: Guerra Civil e, mais recentemente, Capitã Marvel, encontraram certa resistência do público por quebrarem certas condições já estabelecidas no cânone dos quadrinhos.

Quem não se lembra de quando o Mandarim caiu na boca do povo por ter “desrespeitado” o significado do personagem nos quadrinhos? Ou quando eventos como a Guerra Civil e a Era de Ultron foram criticados por não serem exatamente como nas HQs? Ou até mesmo quando a Capitã Marvel foi chamada de “heroína mais poderosa do UCM” e isso despertou a ira de alguns, já que ela não é assim nas histórias dos quadrinhos?

Poderíamos só sentar aqui e conversar sobre como obras adaptadas não possuem nenhum compromisso em ser 100% fiéis ao material-fonte, uma vez que algumas mudanças são necessárias para que a história encontre seu ritmo em outra mídia, ou sobre como os artistas precisam de uma dose de liberdade criativa para desenvolverem suas próprias obras.

No entanto, os próprios quadrinhos da Marvel já fornecem um motivo excepcional para que isso se justifique: o Multiverso.

Para quem não sabe, as HQs da Marvel apresentaram, desde a década de 80, o conceito das realidades alternativas. Por conta disso, existe uma “terra principal”, onde se passam as principais histórias da editora. Ela é chamada de Terra-616, por ser apenas mais um universo entre milhões de outras realidades.

Ao mesmo tempo, temos realidades alternativas que se desenvolvem paralelamente à esse universo principal. Apenas para citar alguns, temos o Universo Ultimate, a Era do Apocalipse, o universo de Zumbis Marvel e até mesmo a nossa própria realidade, onde os super-heróis são apenas personagens de HQs criados por uma editora famosa (esse universo é denominado como Terra-1218.)

E onde o Universo Cinematográfico da Marvel se encaixa nisso? A franquia por completo é outro universo dentro desse vórtice de realidades. Denominado Terra-199999, aqui é onde acontecem todos os eventos que englobam os filmes, séries, curtas-metragens e até mesmo HQs dentro do UCM.

E como isso tira o sentido das reclamações de adaptação? Simples: cada universo possui suas próprias regras. Por exemplo, no Universo Ultimate, temos versões contemporâneas dos heróis, surgidas no contexto histórico do século XXI. Ao mesmo tempo, toda a história da Era do Apocalipse parte do pressuposto que o Professor Xavier morreu antes do Apocalipse ressurgir na Terra.

Ainda assim, por algum motivo, ninguém reclama da “falta de fidelidade” desses universo à Terra-616.

O que os cinemas fazem, dentro de seu próprio contexto, é usar personagens já estabelecidos pela Marvel nos quadrinhos para contarem suas próprias histórias, em uma teia interligada de acontecimentos que são moldados pelo contexto atual e, obviamente, por decisões criativas que melhor se adequam aos cinemas.

Ainda assim, não há como dizer que a falta de fidelidade é um defeito do Universo Cinematográfico da Marvel, uma vez que eles nunca se propuseram totalmente a isso – e o fato de serem localizados em uma realidade alternativa dentro do Multiverso Marvel só comprova essa teoria.

E na verdade, isso não é algo que determina apenas o UCM. Todos os outros filmes da editora são considerados terras paralelas. No entanto, enquanto esses longas e franquias anteriores foram determinadas por fãs, a saga da Marvel Studios partiu de uma ideia oficial da própria Casa das Ideias. Eles não são apenas adaptações, mas sim histórias passadas em um universo alternativo onde tudo é virtualmente possível.

Assim sendo, não faz muito sentido reclamar da fidelidade no Universo Cinematográfico da Marvel – e nem em outras franquias de super-heróis, incluindo as da DC Comics – quando eles mesmos se propõem a ser algo distanciado do original.

E se o original faz tanta falta para você, fica a recomendação: basta ler os quadrinhos. Eles não sairão do lugar e nem serão apagados se você aproveitar as histórias contadas nos filmes.

 

Na galeria abaixo, fique com imagens de Capitã Marvel, o próximo filme do Universo Cinematográfico da Marvel:

Capitã Marvel está em cartaz nos cinemas.

Imagem de perfil
sobre o autor Gus Fiaux

Formado em Cinema e Audiovisual pela UFPE. Crítico, roteirista e mago nas horas vagas. Wouldst thou like to live deliciously? || @gus_fiaux