Justiceiro – Produtor diz que tragédias reais não influenciaram a série!

Capa da Publicação

Justiceiro – Produtor diz que tragédias reais não influenciaram a série!

Por Raphael Martins

O Justiceiro é um dos personagens mais polêmicos de todo o universo Marvel. Com ele não tem conversa, não tem negociação, não tem prisioneiros. Se ele encontra criminosos em seu caminho, ele os mata sem pensar duas vezes. Com tudo isso, o personagem acaba sendo sempre lembrado em problemas da vida real, como os tiroteios em massa e a facilidade de se comprar armas nos Estados Unidos.

Esse tipo de coisa já afetou em como a Marvel e a Netflix promoveram a série no passado, como quando aconteceu um tiroteio em massa em Las Vegas em 2017, pouco antes de a primeira temporada de Justiceiro estrear. Mas o showrunner da série, Steven Lightfoot, diz que ele tentou fazer com que isso não influenciasse no processo criativo da produção.

Ao site ComicBook, Lightfoot lamenta que esse tipo de coisa ainda ocorra de tempos em tempos, mas diz que é preciso saber separar a ficção da realidade:

“Essa é uma questão espinhosa, não é? Quero dizer, de nodo, a 1ª temporada foi terminada antes que [o incidente em Las Vegas] acontecesse, e olha, meu coração está com todos aqueles que foram envolvidos nesses tiroteios e atos horrendos. Mas eu também acho que é uma coisa complicada relacionar isso a programas de TV. Eu acho que esses tiroteios são terríveis e que eles precisam ser parados de qualquer maneira? Totalmente. E então eu acho que há programas de TV e filmes, e no final, nós só temos que escrever as séries dos personagens e colocar uma boa dose de ação nessas séries. Esses são thrillers de ação, e eu acho que mais do que algo como The Walking Dead ou os filmes de John Wick, é um gênero duradouro, que eu acho que nós fazemos parte, e é um gênero eternamente popular, e eu acho que isso é uma coisa. Então eu penso no problema desses tiroteios e o que você faz sobre eles, e isso é outra coisa. Eu pessoalmente não vejo muita correlação.

 

Eu iria amar se esse tipo de coisa não acontecesse mais, e o que quer que possa ser feito para parar isso… eu não entendo ninguém que não queira fazer o que quer que possa ser feito para parar isso, mas eu também não sei o que a nossa série de TV tem a ver com isso”

Lightfoot também comparou a segunda temporada de Justiceiro aos clássicos do gênero faroeste:

“Eu realmente gosto da ideia de colocá-lo na estrada, e então, para mim, Frank sempre se sentiu como um personagem, em um sentido, tirado dos faroestes, ele tem tanto dos heróis ou anti-heróis do oeste quanto qualquer outra coisa. Isso também nos dá a oportunidade, eu pensei, de brincar um pouco com vários clichês de faroeste nos primeiros três episódios. Para mim, os primeiros três episódios quase constituem um filme de faroeste. O episódio um é o saloon, nós fizemos nosso Rio Bravo no episódio três, parecia que estava dizendo ‘Olha, é uma nova temporada, é uma nova série, Frank está em um lugar diferente, nós não famos só começar exatamente de onde paramos.'”

Fique com imagens de O Justiceiro em nossa galeria:

A segunda temporada de O Justiceiro já está disponível na Netflix.

Imagem de perfil
sobre o autor Raphael Martins

Redator, apresentador e roteirista. Gosto de longas caminhadas na praia, Star Wars, tokusatsu, anime e filé com batata frita. Deixo as pessoas constrangidas. Você pode trocar uma ideia comigo no Twitter: @aqueleraphael