Capa da Publicação

Divulgados detalhes sobre o filme dos X-Men que quase foi lançado nos anos 80!

Por Gus Fiaux

Os X-Men são uma das equipes de super-heróis mais populares do mundo, tendo dominado as HQs, os games e os cinemas, além de terem conquistado legiões de fãs ao redor do globo. E agora, descobrimos mais sobre os planos sobre um filme da década de 80 que nunca foi produzido!

Recentemente, o Polygon soltou uma extensa matéria que detalha como os Filhos do Átomo quase ganharam um filme na década de 80. Após o sucesso de Superman: O Filme, o co-criador da MarvelStan Lee, decidiu que seria uma boa ideia investir nos mutantes. Ele então entrou em contato com a produtora Alice Donenfeld-Vernoux, que tentou vender o projeto para vários estúdios – e todos recusaram.

No fim, Alice conseguiu fechar um acordo com a Nelvana, uma produtora canadense. Assim que o acordo foi firmado, Chris Claremont – o roteirista famoso pela “era de ouro” dos mutantes nas HQs – foi chamado para escrever o roteiro. Claremont desenvolveu duas versões, e a primeira delas era bem focada em Kitty Pryde:

“A primeira versão, de junho de 1982 e chamada de ‘Rito de Passagem’, focava-se especialmente em Kitty Pryde. [Chris] Claremont entra no mundo dos X-Men a partir da vida de Kitty, seguindo sua jornada de uma nova recruta a parte da Família-X. O vilão é o pai da heroína que, após tentar matar o Professor X após ser possuído por um mutante maligno chamado Proteus, se volta contra sua filha e usa seus poderes senatoriais para virar todo o país contra os mutantes. Enquanto isso, o Professor X se torna mais fraco devido à possessão, fazendo com que seus pupilos precisassem partir para salvá-lo e impedi-lo de ser preso no reino astral. No fim do dia, a turma salva Xavier, o amor do Senador Pryde por sua filha vence e todos saem felizes.”

Já a segunda versão, por mais que contasse com algumas similaridades, era bem mais focada na rivalidade entre o Professor X Magneto, e se situaria em meio à Guerra Fria:

“Em dado momento, Magneto levanta uma ilha do oceano e destrói um submarino soviético cheio de ogivas nucleares. Posteriormente, ele cria um vulcão em uma distante cidade russa e o ativa para deixar um recado para a humanidade. No fim, após quase matar Kitty, Magneto percebe que foi longe de mais e recorre a Charles, pedindo perdão.”

O problema começou quando a Nelvana acertou um acordo de distribuição com a Orion Pictures, que trouxe novos produtores que, por sua vez, desprezavam a mitologia das HQs. Eles propuseram várias mudanças no roteiro e o resultado final foi catastrófico.

Para se ter uma ideia, não havia menção à palavra “mutantes” no novo roteiro. Veríamos Xavier e Ciclope viajando pelo mundo recrutando super-heróis, dentre os quais Wolverine – que ganhava o esqueleto de adamantium após um acidente de carro. Jean Grey seria substituída por uma personagem chamada Yoshi (que, por sua vez, seria uma popstar japonesa). Havia também um personagem sem poderes chamado Bernie, que seria o interesse romântico de Kitty Pryde, já que os executivos não achavam que o público masculino se interessaria por uma história contada do ponto de vista de uma garota.

Os planos acabaram indo por água abaixo quando a Orion perdeu dinheiro e quase faliu. Posteriormente, os direitos da equipe foram comprados pela Fox e isso acabou resultando na franquia que conhecemos hoje.

Ambas as versões originais tinham a mesma equipe: Professor X, Ciclope, Fênix, Tempestade Wolverine, além de Kitty Pryde, que deveria servir como os “olhos do público” nessa saga. Embora o projeto não tenha ido para a frente, teria sido interessante ver um dos dois roteiros sendo desenvolvidos, mesmo com as limitações tecnológicas e orçamentárias da década de 80.

Além disso, é interessante notar como as duas histórias são bem inspiradas pelas HQs da época – mais despretensiosas e, ainda assim, com tramas e eventos mirabolantes. É curioso também que o vilão do primeiro roteiro tenha sido Proteus – que, nas HQs, é um dos inimigos mais poderosos dos mutantes e filho de Moira MacTaggert

E no fim das contas, a lição que fica é a mesma: quando os executivos só pensam em lucrar e não dão a mínima para o material fonte, coisas do tipo acontecem.

 

Na galeria a seguir, fique com imagens do Fênix Negra, o filme mais recente da saga:

X-Men: Fênix Negra está em cartaz nos cinemas.

Imagem de perfil
sobre o autor Gus Fiaux

Formado em Cinema e Audiovisual pela UFPE. Crítico, roteirista e mago nas horas vagas. Wouldst thou like to live deliciously? || @gus_fiaux