Capa da Publicação

De volta ao passado: a série animada dos X-Men!

Por Evandro Lira

Se você é fã de super-heróis e cresceu nos anos 90, você provavelmente deve ter como uma das suas maiores referências a série animada dos X-Men. Lançada em 1992, o programa é um marco na história dos mutantes, pois alçou a equipe da Marvel a um novo patamar de popularidade, atraindo uma nova geração de fãs.

Estrelada por uma das formações mais conhecidas dos X-Men, a série foi até mesmo inspiração para os filmes de sucesso que seriam lançados na década de 2000. Professor X, Ciclope, Wolverine, Vampira, Tempestade, Fera, Jean Grey, Gambit e a jovem Jubileu foram um verdadeiro fenômeno durante 5 temporadas, fazendo o programa se destacar como o desenho animado mais duradouro da Marvel.

Mas não foi sem perrengues que a Fox conseguiu colocar a série no ar. Primeiro, mais precisamente em 1989, foi produzido um piloto chamado X-Men: Pryde of the X-Men, mas ele não vingou e o projeto foi colocado na geladeira. Dois anos depois, em 1991, 13 novos episódios foram encomendados, dessa vez, com uma história diferente e até mesmo uma nova formação.

Os treze episódios foram produzidos com a ajuda de vários pequenos estúdios, mas devido a algumas complicações na produção, a série teve seu lançamento adiado em um mês. E se isso não fosse o bastante, quando os primeiros episódios foram ao ar, eles ainda trouxeram dezenas de erros de animação, o que fez com que a Fox ameaçasse romper com uma das produtoras do programa.

Ao longo da série, os criadores Eric Lewald, Sidney Iwanter e Mark Edens, sofreram com pressão de todos os lados, especialmente da Fox, que tentou cortar custos da produção e até mesmo mudar o tom da série, que para muitos empresários, era pesada o suficiente para afastar as crianças. Apesar disso, X-Men foi um verdadeiro sucesso de audiência e de crítica, sendo renovada para até mais episódios do que o plano original. Ao todo, foram 76 episódios, exibidos até 1997.

Adotando o visual semelhante às histórias desenhadas por Jim Lee no início dos anos 90, a série solidificou no imaginário popular vários dos uniformes mais conhecidos dos personagens. O que é mais marcante que o traje verde e amarelo da Vampira, acompanhado de uma jaqueta marrom? Ou o traje azul com detalhes amarelos do Ciclope?

X-Men: Animated Series adaptou livremente alguns títulos famosos dos quadrinhos, como “Dias de Um Futuro Esquecido”, “Genosha”, “A Saga da Fênix”, “Era do Apocalypse”, além de ter aproveitado a história de origem de vários personagens. No entanto, a maioria dos episódios eram de histórias originais, e algumas delas foram, inclusive, usadas posteriormente nos quadrinhos e até no cinema, como foi o caso da “Cura mutante”, que Joss Whedon levou para as HQs e Simon Kinberg e Zak Penn adaptaram no terceiro longa da franquia, X-Men: O Confronto Final.

Diversos outros personagens da Marvel acabaram cruzando com os mutantes na série, como Miss Marvel, Deadpool, Doutor Estranho, Capitão América e até Howard o Pato. E a equipe liderada pelo Professor X também participou da série animada do Homem-Aranha, um dos muitos programas de quadrinhos que foram produzidos graças ao sucesso de X-Men.

Mas essa não seria uma experiência completa sem que você clicasse no player do vídeo abaixo:

Um dos grandes feitos de X-Men foi imortalizar sua música tema entre uma das mais icônicas dos desenhos animados. Composta por Ron Wasserman, essa música instrumental acompanha a abertura da série, que traz letreiros enormes apresentando os heróis enquanto eles dão uma amostra de seus poderes mutantes.

Sua audiência foi uma das mais altas das manhãs de sábado da TV americana, e os elogios para a série são dos mais diversos, sendo o mais recorrente voltado para os enredos elaborados e muito maduros, algo nunca antes visto numa série animada.

Lembrada até hoje como um dos melhores desenhos de todos os tempos, X-Men foi aclamada e muito bem sucedida nos anos 90. Dá até para afirmar que seu sucesso foi fundamental para inaugurar a onda de super-heróis que viria a se instalar em Hollywood, já que a série foi importante na iniciativa de se produzir o filme X-Men, de Bryan Singer.

Poder dizer que cresceu com os X-Men, heróis icônicos representantes de uma classe marginalizada, é algo da qual nós podemos nos orgulhar, e essa série acabou sendo o primeiro contato de muita gente com essa história fascinante. Falar sobre ela é respirar pura nostalgia, uma ótima oportunidade de relembrar a infância. E o que fica é a vontade de revisitá-la e começar uma maratona agora mesmo. Quem sabe não é isso que eu vá fazer depois daqui…

E você, qual sua relação com o desenho? Deixe seu comentário!

Imagem de perfil
sobre o autor Evandro Lira

Bacharel em Cinema e Audiovisual, potterhead das antiga, filho dos filhos do átomo, fã de mais coisas do que deveria, frequentemente falando sozinho no Twitter. Segue: @evandroslira