Como Aves de Rapina pode abrir as portas para o futuro da DC nos cinemas!

Capa da Publicação

Como Aves de Rapina pode abrir as portas para o futuro da DC nos cinemas!

Por Guilherme Souza

Por mais surreal que possa ser, a Warner Bros. realmente está desenvolvendo um filme das Aves de Rapina, a princípio, a ideia parece bem interessante, afinal, nos quadrinhos, a equipe é formada por um grupo de heroínas importantes e com um pano de fundo excelente, porém a ideia do filme se torna um pouco bizarra quando levamos em conta que ele não é apenas uma história da equipe feminina, pois elas, aparentemente, se unirão à Arlequina de Margot Robbie.

Por mais desastroso que Esquadrão Suicida possa ter sido, o filme conseguiu cair no gosto popular e impulsionou a Arlequina para a estratosfera, com isso, é óbvio que a Warner não demoraria muito tempo para fazer um novo filme estrelado pela personagem. Desde que foi criada na série animada do Batman nos anos 90, a Arlequina sempre cativou os fãs e se tornou uma personagem de extrema importância para a DC. Ao longo dos anos, a Arlequina deixou de ser uma mera personagem coadjuvante do Coringa e ganhou seu próprio espaço, se tornando uma espécie de Deadpool da DC.

A vilã/anti-heroína maluca já viveu todo o tipo de aventura nos quadrinhos, e agora, chegou a vez dela expandir seus domínios nos cinemas. Embora os detalhes da trama de Aves de Rapina (E a Fantabulosa Emancipação da Tal Arlequina) ainda sejam nebulosos, sabemos algumas informações que podem nos ajudar a deduzir o que acontecerá no longa e como ele pode ser uma ponte para o futuro cinematográfico da DC. No longa, veremos a Arlequina se tornando independente do Coringa e rompendo seu relacionamento com ele, algo que havia sido construído anteriormente em Esquadrão Suicida.

No meio dessa jornada de autodescoberta e “emancipação”, a vilã acaba, de alguma forma, se envolvendo na busca por uma garota chamada Cassandra Cain, que foi raptada pelo vilão conhecido como Máscara Negra.

Nos quadrinhos, o Máscara Negra é um dos grandes vilões do Batman e um dos mafiosos mais poderosos de Gotham. Com isso, podemos deduzir que veremos ligações com o homem-morcego, mesmo que a trama de seu filme solo ainda esteja longe de acontecer. Para quem não sabe, a Cassandra Cain atuou como Batgirl no período em Barbara Gordon estava paralítica e atuando como Oráculo, o que pode indicar que talvez não vejamos Barbara usando o manto da heroína, mas sim, Cassandra.

Independente de quem use o manto da Batgirl nos cinemas, é inevitável pensarmos nas conexões com o Batman e a Batfamília que Aves de Rapina deve conter, com isso, veremos o universo do morcego nos cinemas ficando mais rico e tomando mais forma, mesmo sem sua presença direta.

Durante sua busca pela garota, Arlequina acaba se deparando com outras três heroínas, sendo elas: Canário Negro, Caçadora e Renee Montoya. A Canário Negro é uma das heroínas mais importantes da DC, sendo considerada uma das melhores lutadoras corpo-a-corpo da editora, mas independente de suas qualidades, ela sempre ficou à sombra do Arqueiro Verde, herói no qual ela faz par romântico e atua como aliada.

Pela primeira vez, teremos a chance de ver a situação se invertendo e mostrando a Canário antes do Arqueiro. Com isso, a heroína tem a chance de mostrar seu valor sem precisar que um outro herói a apresente, criando um gancho para uma futura aparição do Arqueiro, Arsenal ou qualquer outro personagem desse núcleo. Além das habilidades de luta, a Canário também possui um grito supersônico, capaz de atordoar seus inimigos, porém não temos indícios se o filme produzido pela Warner irá adaptar isso ou não.

Helena Bertinelli, a Caçadora, é uma das heroínas mais brutais e habilidosas da DC, porém considerando sua origem traumática e violenta, faz sentido que ela atue inicialmente com base na vingança. A Caçadora também possui um relacionamento amoroso com o herói conhecido como Questão, um detetive extremamente habilidoso que também possui uma ligação com Renee Montoya.

Assim como a Arlequina, Renee Montoya também foi criada, inicialmente, para série animada do Batman, mas foi apresentada nos quadrinhos antes da série ir ao ar. Montoya era uma habilidosa detetive da polícia de Gotham, que acabou sucumbindo ao vício do álcool por conta da corrupção exacerbada da cidade. Com o passar do tempo, Montoya acabou se aliando ao Questão e assumiu essa identidade para si. Considerando que o filme irá adaptar o vício de Montoya, conforme mostrado no vídeo de teste de figurinos, é provável que a vejamos atuando sob a alcunha de Questão, mas será que farão uma introdução do herói original?

Além das heroínas que já sabemos que o filme deve conter, as Aves de Rapina também abrem um leque de possibilidades para outros personagens que estão ligados à elas, tais como a Batwoman e o Asa Noturna. Apesar de ser difícil imaginar que a Warner irá mostrar uma Batwoman nos cinemas agora que a personagem está prestes a ganhar uma série solo, não podemos deixar de pensar que existem grandes chances de termos ao menos uma menção ao Asa Noturna, que tem um filme solo confirmado.

Não sabemos ao certo quais são os planos da Warner para o futuro dos filmes da DC, porém é inegável que, por mais estranho que possa parecer, Aves de Rapina (E a Fantabulosa Emancipação da Tal Arlequina) pode ser a porta de entrada para diversos outros personagens da editora nos cinemas.

Fique com imagens dos bastidores de Aves de Rapina (E a Fantabulosa Emancipação da Tal Arlequina) em nossa galeria:

Imagem de perfil
sobre o autor Guilherme Souza

Outra grande manchete: 'Água, molhada!'