Capa da Publicação

Batwoman – Atriz que interpreta a heroína na TV fala sobre criticas dos fãs!

Por Raphael Martins

Após surpreender em sua primeira aparição em Elseworlds, o último crossover anual dos heróis da DC pertencentes ao Arrowverso, a Batwoman ganhará muito em breve sua própria série de TV.

Na série, Kate Kane, vivida pela atriz Ruby Rose, precisa cumprir seu destino e se tornar a heroína que Gotham precisa agora que o Batman, seu maior defensor, desapareceu misteriosamente sem deixar rastros, deixando a cidade desprotegida.

Enquanto que muitos fãs aprovaram a escalação da atriz como a personagem, também houve que não gostou nada, inclusive comentando que Ruby Rose não seria “lésbica o suficiente” para interpretar a heroína das HQs, que é abertamente homossexual.

Em uma entrevista recente para o site Entertainment Weekly, Rose, que se identifica como gênero fluido, falou sobre como sua identidade impactou sua carreira:

“Eu vim para os Estados Unidos para atuar e não conseguia arranjar um empresário ou agente, então eu fiz um curta-metragem baseado na minha vida porque eu tinha tempo para isso. Eu o coloquei online, só para dizer ‘Isso é algo que eu queria fazer’, e aí viralizou, algo que eu não esperava. E aí eu tive a oportunidade de fazer um teste para Orange Is the New Black porque eles queriam ter uma personagem de gênero neutro. Mas também houve repercussão negativa. E é aí que você entende que você tem que se manter atualizada com as terminologias. Quando eu fui escalada como uma lésbica em Batwoman, eu não sabia que ser uma mulher de gênero fluido significava que eu não poderia ser lésbica porque eu não sou uma mulher – não era considerada lésbica o suficiente.”

A atriz então disse que dedicou seu tempo a tentar descobrir por que algumas pessoas se irritaram tanto e o que aquilo queria dizer sobre si mesma:

“Minha resposta inicial foi ‘Pfft!’ E então eu pensei, ‘Esperem. Me deixem entender isso. Como eu corrijo esse erro, porque se tem alguém lá fora que está irritado com isso, eu preciso saber o porquê e como consertar.’ E aí eu meio que disse, ‘Eu sou uma mulher que se identifica como mulher. Eu não sou trans. Mas se ser de gênero fluido significa que eu não posso me identificar como uma mulher, então eu acho que não posso ser isso.’ Talvez eu precise criar um outro termo, um que não pise no calo de ninguém. Um onde eu possa ser fluida em meu gênero, mas também uma lésbica, porque senão eu não tenho certeza do que eu sou.”

Na nossa galeria abaixo, você confere imagens de Batwoman:

Batwoman tem previsão de estreia para ainda em 2019.

Fonte: ComicBook

Imagem de perfil
sobre o autor Raphael Martins

Redator, apresentador e roteirista. Gosto de longas caminhadas na praia, Star Wars, tokusatsu, anime e filé com batata frita. Deixo as pessoas constrangidas. Você pode trocar uma ideia comigo no Twitter: @aqueleraphael