Capa da Publicação

Vingadores: Guerra Infinita – Diretores dizem como “negociaram” as mortes do filme!

Por Felipe Vinha

Atenção: Alerta de Spoilers!

Em Vingadores: Guerra Infinita nos despedimos de alguns personagens ao longo do filme. Uma das mortes mais sentidas foi a de Gamora, que é jogada de um penhasco por Thanos, para o vilão obter a Joia da Alma. Homem-Aranha, Pantera Negra, Soldado Invernal, Groot e outros também perecem, ao final da aventura, após o estalar de dedos de Thanos com a Manopla do Infinito.

Contudo, os diretores Joe e Anthony Russo esclarecem que a Marvel deu total liberdade criativa aos dois, para que eles decidissem que morreria e quem sobreviveria – e eles também não pediram autorização de James Gunn, diretor de Guardiões da Galáxia, para matar Drax, Mantis, Senhor das Estrelas e Groot.

Em conversa no podcast Happy Sad Confused, Joe Russo esclareceu

 “A Marvel é muito boa em dar liberdade para seus diretores”. Seu irmão Anthony adicionou: “Basicamente, apresentamos a história que queríamos contar para a Marvel. Não tivemos barreiras com nossas escolhas. Não conversamos diretamente com James sobre nossa escolha com Gamora, mas tenho certeza que Kevin Feige sim. E não houve impedimentos”.

Joe também falou do plano como um todo, envolvendo ainda os outros filmes dos heróis:

“No fim das contas, isso é uma parte da razão pela qual fizemos quatro filmes com a Marvel, eles são muito bons em deixar que os filmes sejam o que for preciso. Nada é sagrado. Eles correm riscos e estão ficando bons nisso, como vimos em produções como Ragnarok, De Volta ao Lar, Pantera Negra e agora com este filme. Creio que houve uma mudança na Marvel há alguns anos, o que permitiu uma melhor liberdade criativa, como está destacado por aí. Eles sempre foram ótimos em relação a nos deixar fazer escolhas extremas e mudanças dráticas no final de cada filme em que trabalhamos juntos”.

Veja artes e fotos de Vingadores:

Vingadores: Guerra Infinita já está em cartaz nos cinemas.

Imagem de perfil
sobre o autor Felipe Vinha

Já tentei salvar o mundo de uma invasão alienígena, mas hoje me contento em ser jornalista. Gosto de quadrinhos e suas adaptações na TV ou cinema, animes, tokusatsu, games (de luta principalmente) e tecnologia. Vamos trocar uma ideia no Twitter @felipevinha