Capa da Publicação

Assassin’s Creed Odyssey – Testamos o jogo e entrevistamos o produtor!

Por Felipe Vinha

Durante o evento GameXP, no Rio de Janeiro, a Legião dos Heróis teve a oportunidade de testar o game Assassin’s Creed Odyssey, novo título da série, que promete ser um dos principais lançamentos deste ano. Agendado para 5 de outubro, ele vai levar o jogador até a Grécia Antiga, no tempo dos filósofos e das guerras de enormes proporções.

Foi no evento que também pudemos entrevistar Pablo Toscano, diretor de arte do jogo, que trabalha há mais de 10 anos para a Ubisoft – em diversos títulos da empresa. Na verdade, foi quase um bate-papo informal, de tão confortável que Toscano estava não só dentro do evento, mas também vendo o público jogar.

Já sobre o novo Assassin’s Creed, ele diz que este jogo não é apenas uma sequência da saga, mas também “um passo adiante”. Ele garante que é uma experiência de RPG completa – e é mesmo. Pelo pouco que pudemos ver por lá, as opções de personalização do herói, ou heroína, estão muito maiores. Além disso, como explicou Toscano, os diálogos vão realmente importar.

“A liberdade é muito maior. Você escolhe seu caminho. Pela primeira vez na história do game você vai poder impactar o enredo do jogo de verdade”, comentou. Mas como seriam estas escolhas? Vai mesmo impactar? Perguntamos, mas Toscano se manteve reticente, temendo entregar detalhes da campanha. “Posso te garantir que teremos finais diferentes e serão realmente diferentes!”, adicionou o artista.

Sobre o que jogamos por lá, podemos dizer que, nos primeiros minutos, Odyssey se parece com uma skin de Origins, o game anterior da série. Principalmente por ser lançado apenas um ano depois de seu antecessor. O “gosto na boca” ainda é recente. Mas Pablo Toscano garantiu que aquela era só uma porção da aventura, bem pequena, preparada para o evento.

Ele também destaca que outro ponto forte do game é se passar na Grécia. “É um cenário muito bom, pois tem um equilíbrio incrível entre tirania e democracia. Temos um conteúdo vasto para criar essa história”, apontou. “Pessoas reais, como sempre, vão aparecer, como Sócrates”, adicionou.

Quem também estava por lá, e bem animado, era Bertrand Chaverot, diretor da Ubisoft no Brasil. Em um rápido bate-papo com a Legião dos Heróis, ele disse que não só Odyssey é uma das grandes apostas da empresa para o País neste ano, mas os torneios oficiais de Rainbow Six Siege também, além de lançamentos curiosos, como Starlink, o jogo que mistura brinquedo com videogame.

“A Ubisoft é a única das empresas que lançam jogos para os consoles que está aqui com um estande na GameXP, acreditamos muito no povo brasileiro e por isso também vamos trazer a final do Rainbow Six para o Rio de Janeiro”, comemorou. O evento ocorre nos dias 17 e 18 de novembro, na Jeunesse Arena, no Parque Olímpico.

E é claro que Assassin’s Creed Odyssey deve vir localizado, como vieram todos os jogos anteriores da saga. Para Bertrand, é um ponto muito importante, ao lançar games deste tipo aqui. Do pouco que vimos do jogo por lá, e do pouco que falamos com Pablo Toscano, saímos com uma boa impressão, apesar de estar um pouco parecido com Origins. Será que vai surpreender? Só saberemos, de fato, quando o game for lançado.

Veja ainda nossas fotos do estande e de Pablo Toscano, além de imagens do jogo:

Assassin’s Creed Odyssey será lançado no PS4, Xbox One e PC no ocidente. No Japão o game sairá também para Switch, mas apenas via streaming.

Imagem de perfil
sobre o autor Felipe Vinha

Já tentei salvar o mundo de uma invasão alienígena, mas hoje me contento em ser jornalista. Gosto de quadrinhos e suas adaptações na TV ou cinema, animes, tokusatsu, games (de luta principalmente) e tecnologia. Vamos trocar uma ideia no Twitter @felipevinha