Capa da Publicação

Afinal, qual será a importância de “Animais Fantásticos” para o Mundo Bruxo?

Por Gus Fiaux

Desde que Harry Potter chegou ao fim – nos livros, em 2007 e nos cinemas, em 2011 – os fãs tiveram que lidar com a dura dor do luto. Parecia impossível, mas em 2016, tivemos nossas preces atendidas com a estreia de Animais Fantásticos e Onde Habitam, o primeiro longa de uma franquia em cinco partes, narrando a jornada de Newt Scamander e, em segundo plano, a ascensão de Gerardo Grindelwald ao poder.

Agora, estamos prestes a testemunhar o lançamento do segundo longa, intitulado Os Crimes de Grindelwald. No entanto, ainda não são todos os fãs que compraram com fé a nova jornada de J.K. Rowling – ainda mais com tantas polêmicas a torto e a direito. De qualquer forma, aqui discorremos um pouco do que pode vir a ser trabalhado na nova saga do Mundo Bruxo!

Antes de mais nada, é importante estabelecer um pouco do contexto, para quem ainda não conhece muito bem a nova franquia. Animais Fantásticos, como mencionado no início, será uma saga de cinco filmes – todos escritos e produzidos pela própria Rowling.

Não há nenhum material-base na literatura, o que já torna a experiência bem diferente de Harry Potter, por exemplo. Aqui, acompanhamos a história de um magizoologista chamado Newt Scamander. Ele é responsável por escrever o bestiário Animais Fantásticos e Onde Habitam, que dá nome ao primeiro filme – embora seja apenas um almanaque com várias criaturas mágicas.

O primeiro filme serviu apenas para dar uma leve introdução na história e nos personagens, e talvez por isso não tenha recebido o mesmo nível de aclamação que os filmes da saga do Menino que Sobreviveu. Descobrimos não apenas Scamander, mas também Queenie e Tina Goldstein, duas bruxas que trabalham para o MACUSA – o Ministério da Magia dos Estados Unidos.

Além deles, também conhecemos Jacob Kowalski, um padeiro trouxa – ou no-maj – que logo cruza o caminho dos bruxos. Além dele, temos também Credence Barebone, um garoto com uma criação bem difícil, forçado a reprimir toda sua magia, transformando-se em um obscurial – como é denominada a massa de energia bruta repelida por magos reprimidos.

E isso nos leva diretamente ao grande vilão da trama: Grindelwald, cujos planos incluem aprisionar e utilizar um obscurus em sua jornada de ascensão ao poder.

Pois bem, a partir disso, temos uma série de teorias para onde a história pode fluir. Mas, como no passado, Rowling se tornou excelente em surpreender o seu público, então é bem seguro admitir que nada será exatamente como prevemos. Tudo o que sabemos até então é que os cinco filmes vão se passar em um espaço de tempo entre 1926 e 1945, e que cada um deles vai se situar em um país diferente.

Só isso já é o bastante para nos animar. Pensando na geografia, temos agora a chance de explorar o Mundo Bruxo para muito além do castelo de Hogwarts ou para as terras do Reino Unido – e isso já tem se mostrado nos dois primeiros filmes, conforme já conhecemos a magia dos Estados Unidos e em breve nos deslocaremos para descobrir o que a França pode nos oferecer.

Mas mais do que geografia, é importante analisar a história. Quem leu os livros sabe que a década de 40 foi marcada pela grande ascensão de Grindelwald, e sua conquista ideológica em toda a Europa. Ele só é impedido em 1945 (quando se passará o último filme da saga), por um bruxo muito famoso que iremos mencionar posteriormente.

Mas engana-se quem acha que essa jornada só terá relação com a ficção e o faz-de-conta. Sabemos que a ascensão de Grindelwald está diretamente associada ao surgimento do nazismo e a chegada de Hitler, em sua Segunda Guerra Mundial. Basicamente, no universo de Rowling, o ditador nada mais era do que uma marionete trouxa para Grindelwald.

Levando isso em consideração, teremos a chance de explorar o Mundo Bruxo sendo submerso em uma das fases mais sombrias da humanidade, onde poderemos também entender mais sobre como as ações dos feiticeiros afetam a vida das pessoas que não possuem sangue mágico.

E nesse sentido, podemos ver que Grindelwald já se mostra um vilão tão perigoso quanto Voldemort. Ele também acredita fielmente na supremacia bruxa, mas diferente do seu sucessor, o bruxo das trevas é muito mais carismático e conquista multidões com palavras doces em vez de ameaças. Em suma, ele pode acabar se provando um vilão muito mais multifacetado.

E é justamente isso que nos leva a um dos pontos centrais dessa nova franquia: Alvo Dumbledore. Sabemos que o bruxo é considerado um dos fan-favourites da saga de Harry, Rony e Hermione. Contudo, os livros nos trouxeram um aprofundamento em sua história que até agora não foi dissecada nos cinemas – e ainda assim, há muito mistério no ar.

A nova saga, embora seja centrada em Newt Scamander, é uma chance de trazer Dumbledore para os holofotes. Agora, saberemos muito mais a respeito de seu passado e até mesmo de sua vida pessoal – o que deve ser extremamente levado em consideração, no que diz respeito à Grindelwald e aos obscurials, já que se supõe que sua própria irmã, Ariana Dumbledore, também sofria com essa sina.

No entanto, o que realmente estamos aguardando para ver é o desenrolar da ligação entre Dumbledore e Grindelwald. Quem acompanha a saga há um bom tempo, sabe que o futuro diretor de Hogwarts foi, durante muitos anos, apaixonado pelo bruxo. Juntos, eles tiveram planos de vida e quase partiram em uma jornada devastadora pelas Relíquias da Morte. Mas a tragédia familiar os separou, e transformou Dumbledore em um homem muito diferente.

Até agora, tivemos várias polêmicas a respeito da forma que a sexualidade de Dumbledore será trabalhada nos cinemas, mas sigo firme dizendo que vale a pena esperar. Por mais que o queerbaiting sempre exista, alguns pequenos indícios já nos mostram que a relação entre os dois bruxos será um elemento muito importante desta nova saga – vide a aparição do bruxo no Espelho de Ojesed, respondendo uma pergunta que muitos fãs tinham há anos.

Enquanto isso, temos ainda mais motivos para nos encantar com esses novos personagens. Sabemos que o segundo filme vai destrinchar ainda mais a vida de Newt Scamander, provavelmente revelando o motivo pelo qual ele foi expulso da Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts. Também teremos uma relação importante envolvendo Leta Lestrange, a ancestral de uma das famílias mais poderosas da bruxidade.

E não pense que tudo se reserva aos protagonistas. Teremos mais desenvolvimento no que diz respeito ao papel de Tina como auror e até mesmo sua irmã, já que Queenie aparentemente estará tendo algumas inclinações sombrias no novo longa. A pergunta que resta é qual o papel destinado a Jacob, ainda mais considerando que o personagem teve sua trama “concluída” ao fim do primeiro longa.

E isso é apenas a ponta do iceberg. Ainda teremos uma exploração maior do que tudo que já vimos no universo mágico da franquia. Só no segundo filme, novos mistérios nos serão respondidos, incluindo a presença de Nicolau Flamel, um dos maiores bruxos de todos os tempos – e inventor da mesmíssima Pedra Filosofal que Harry encontra em seu primeiro ano letivo.

Ah, mas e quanto aos Animais Fantásticos em si? Pois bem, isso é algo que deixou muitos confusos em relação à nova franquia. Ao que tudo indica, o nome leva a crer que o foco da história serão as criaturinhas mágicas que Newt carrega em sua maleta, certo? Hmm… mais ou menos.

De acordo com Rowling, o termo original “Fantastic Beasts” veio para explicitar a existência de algumas feras fantásticas. E, segundo a autora, uma das feras que mais será trabalhada é o próprio ser humano. Assim sendo, espere ver um ótimo desenvolvimento de personagem, algo que a autora já se provou muito capaz de fazer em relação aos livros de sua criação.

Claro que nem tudo são rosas. Ainda temos um Você-Sabe-Quem no elenco, para a tristeza e o desapontamento de boa parte dos fãs. Não sabemos ainda como isso vai afetar a divulgação e até mesmo o lançamento dos próximos filmes. É uma pena que isso tenha que ser ignorado pelos atores e envolvidos na produção, e é algo que nos revolta não apenas pela índole do sujeito, mas também por seu próprio caráter profissional, já que ele definitivamente não é o ator mais adequado para o papel que ocupa.

E por mais que isso seja indefensável, ainda podemos olhar pelo lado positivo, esperando uma trama que aqueça novamente os corações daqueles que estão ávidos por boas histórias e por um retorno fantástico ao Mundo Bruxo!

 

Abaixo, fique com imagens do segundo longa da franquia:

Animais Fantásticos: Os Crimes de Grindelwald estreou nos cinemas dia 15 de novembro de 2018.

 

Imagem de perfil
sobre o autor Gus Fiaux

Formado em Cinema e Audiovisual pela UFPE. Crítico, roteirista e mago nas horas vagas. Wouldst thou like to live deliciously? || @gus_fiaux