The Flash: 3.22 – Momentos finais…

Capa da Publicação

The Flash: 3.22 – Momentos finais…

Por Mike Sant'Anna

É exatamente sobre isso que o penúltimo episódio da terceira temporada de The Flash se trata: Finais. Não somente o final da temporada, o final da saga de Savitar, o final da história deste ano na série. Finais em histórias pessoais, quando a história de uma pessoa, a história de toda sua vida, chega ao final.

O episódio desta semana foi extremamente carregado emocionalmente falando. Começamos já com uma música que geralmente estamos acostumados à ver apenas nos finais de episódio, onde a cantora Aurora cantando sua música Murder Song começa a dizer “5, 4, 3, 2, 1…” embalando o que seria de fato uma contagem regressiva do último dia de vida de Iris West.

O episódio foi dividido em dois momentos muito distintos e igualmente sensacionais. Um deles sendo o assalto à Argus, onde Flash mais uma vez viaja no tempo – P**RA BARRY – para buscar Leonard Snart.

Neste arco entre Barry e Snart nós pudemos matar as saudades de Wentworth Miller no papel do anti-herói canastrão. Lembramos mais uma vez como a química entre ele e Grant Gustin funcionavam tão bem. Toda a sequência meio “Missão Impossível” foi algo muito bem feito, principalmente na decisão de tirar os poderes de Barry e deixar ele resolver as coisas como um humano mesmo. E por favor, vamos destacar a excelente piada que a série fez consigo mesma ao dizer que no filme Tubarão eles evitavam mostrar a fera pois não tinham dinheiro pra fazê-la direito, assim como a série também faz.

Esse arco também serviu para colocar em cheque toda a bondade e o coração puro de Barry que agora sabe exatamente que tipo de pessoa ele poderia ser. Mas, felizmente, o saldo final do episódio ainda foi positivo para o status heroico de Barry, o que particularmente eu tinha muito medo desde o momento que foi revelada a identidade de Savitar.

Então temos o outro arco distinto do episódio, e com certeza o mais importante: O último dia de vida de Iris West.

O que você faria se soubesse que é seu ultimo dia vivo? É basicamente isso que se passa com a personagem durante todo episódio. Começando com ela pedindo para comer Caviar e gravando uma mensagem póstuma para Barry. Ao longo de quase toda a temporada, nós estamos sendo avisados que Iris West seria assassinada por Savitar e, assim como muitos de vocês, eu particularmente também não estava sentindo essa ameaça, não estava me sentindo aflito como supostamente deveria estar me sentindo com a morte de alguém tão importante na série, e isso me preocupava.

Ao longo do episódio pudemos ver como o acontecimento praticamente inevitável atingia pessoalmente cada personagem, o que levou à ótimas atuações de diversas pessoas neste episódio, incluindo Cisco, Wally e – pasmem – H.R. Mas um dos grandes destaques ficou para uma cena entre Joe e Iris, um pai que sabia que este poderia ser o último dia de vida de sua única filha, como você agiria? Nesse momento, chapéus precisam ser tirados mais uma vez para Jesse L. Martin, que eu não canso de exaltar como ele é o melhor ator desta série, entregando uma cena tão tenra, tão sensível, onde um pai canta para sua filha e tem uma última dança sabendo da possibilidade de em muito breve perdê-la para sempre. Uma cena embalada por memórias, enfatizando mais uma vez o espírito do episódio, o espírito do momentos finais, enfatizando que no final de uma história, nossa tendência é ver todo o caminho até aqui e ver se tudo valeu a pena.

Como eu disse anteriormente, eu também tinha o mesmo sentimento que vocês, que mesmo quando a inevitável morte de Iris chegasse, eu não me importaria o suficiente com isso pois a temporada não estava me levando a isso. Eu estava com aquele sentimento de “Se Iris morrer, tudo bem, morreu…”

E citando Thorin Escudo de Carvalho, “Eu não poderia estar mais enganado”. A morte de Iris chegou e, assim como Barry, assim como Iris, assim como Joe, assim como cada membro do Team Flash, assim como cada espectador, eu achei que eu estava preparado para isso, eu achei que eu estava pronto para quando o momento chegasse, mas você nunca está preparado o suficiente.

A série entregou uma sequência emocionalmente intensa em níveis que raramente foram vistos nas séries da CW até agora, onde cada personagem presente ali na quele momento entregou a atuação que precisava de uma maneira ímpar. “Não funcionou…” dizia Tracy dentro de um carro, embalando o início do desespero de Barry Allen ao ver seu plano falhando e se dando conta de que ele realmente perderia o amor de sua vida para sempre.

Se você é uma das pessoas que pensa em comentar “Nossa, aleluia essa mulher morreu.” ou algo parecido, se você comemorou ou ficou feliz com a cena da morte de Iris, independentemente dos motivos, não culpe a série, isso já é algo pessoal seu, provavelmente alguma incapacidade de se conectar emocionalmente com a situação de perder alguém amado. Independentemente de você gostar ou não de Iris West ou do relacionamento dela com Barry, foi uma cena impactante, emocional e, acima de tudo, muito bem executada.

O episódio está de parabéns por ter sido impecável do começo ao fim, assim como esperávamos que mais episódios tivessem sido.

Agora nos resta aguardar o desfecho dessa temporada, porque ao contrário da história de Iris, essa história ainda não acabou… Mas está chegando em seus momentos finais.

5..

4…

3…

2…

1…

Confira algumas imagens do próximo episódio.

Imagem de perfil
sobre o autor Mike Sant'Anna

Eu sou o melhor no que eu faço, mas o que eu faço... É bem retardado.